Futebol e tatuagem: uma relação de amor pelo clube e de culto ao corpo

A paixão pelo clube de coração não tem limites para o torcedor. Utilizar a camisa não basta para o fanático pelas cores da equipe favorita. Às vezes é necessário ir além e registrar para sempre o amor pela camisa através da tatuagem do escudo ou das cores do time.

Foi esse pensamento que levou o torcedor Thiago Duarte Alves a fazer duas tatuagens do Sport no corpo. Thiago tem o escudo do rubro-negro pernambucano no braço e um leão com a bandeira do Sport nas costas. "Fiz as tatuagens porque amo o clube e não o time, independente dos resultados vou apoiar", disse o torcedor para a reportagem.

Tão apaixonada quanto Thiago, a catarinense Raisa Guglielmi, de 21 anos, tem seis tatuagens espalhadas pelo corpo, uma delas do Cruzeiro, paixão desde os cinco anos de idade. "A sensação de ter seu time tatuado no corpo é indescritível, só sabe quem tem. Sabe aquela vontade de mostrar para todo mundo que você realmente ama, torce, vibra e chora por algo ou alguém importante? Sou louca pelo Cruzeiro", afirmou.


Escudo do Cruzeiro é uma das seis tatuagens da catarinense Raisa. "Sou louca pelo Cruzeiro". Foto: Arquivo pessoal

O sentimento de se mostrar para para os outros torcedores é justamente um dos objetivo da tatuagem segundo a antropológa Fabiana Pereira. Mestre e doutora no assunto, Fabiana explica que existem locais especifícios para que o torcedor exiba a tatuagem do seu clube. "A tatuagem funciona como uma forma de identificação com o grupo. O torcedor quer mostrar como ele é fiel".


Thiago Duarte tem o escudo do Sport no braço. Foto: Arquivo pessoal

O amor expressado através das tatuagens foi alvo de nota até no site da Fifa. Na ocasião, um torcedor do Nacional de Medellín que tinha a camisa tatuada no corpo foi o personagem.

Autor de tatuagens em alguns jogadores famosos no futebol de Pernambucano como Kuki e Marcelinho Paraíba, o tatuador Carlinhos acredita que a tatuagem funciona como a manifestação da personalidade. "Devemos um grande respeito para a tatuagem. Ela faz a pessoa se sentir diferente. Já fiz várias tatuagens de futebol".


Lateral Cicinho, do Sport, é um dos jogadores que mais tem tatuagens em Pernambuco. Foto: Breno Pires/Blog do Torcedor

Entrando para as quatro linhas do gramado, a tatuagem também está bastante presente entre os jogadores. Nos três grandes clubes de Recife, por exemplo, há pelo menos um tatuado na equipe. Um dos jogadores que mais possuem tatuagem no Estado, o lateral-direito Cicinho, do Sport, em entrevista recente ao Esporte10 revelou que não se importa muito com as "marcas" pelo corpo, mesmo tendo virado evangélico recentemente. "Não tenho porque me arrepender, eu não faria hoje, mas não me indomoda", declarou.

Cicinho, porém, parece ser uma das exceções no grupo dos tatuados do futebol. A ideia que mais prevalece neste nincho parece ser mesmo a do quanto mais melhor. Vide os exemplo de jogadores famosos como o inglês Beckham, do Los Angeles Galaxy, dos Estados Unidos, e o ganês Prince Boateng, do Milan, da Itália. "A tatuagem dos jogadores pode ser muito relacionada com a história de vida dele. Também existe a relação com o corpo, de valorizar a estetíca", explicou Fabiana Pereira.


Ganês Boateng é um dos mais tatuados no futebol intenacional

E o torcedor? Tem opinião formada sobre o assunto?

Deixe um Comentário