• Náutico busca primeira vitória fora de casa contra o Bahia

Náutico busca primeira vitória fora de casa contra o Bahia

Náutico não quer perder o ritmo diante do Bahia na Série B. Foto: André Nery/JC Imagem

Náutico não quer perder o ritmo diante do Bahia na Série B. Foto: André Nery/JC Imagem

Na Série B, o time que quer conquistar uma vaga no grupo de acesso precisa realizar uma boa campanha dentro e fora de casa durante as 38 partidas. Com o objetivo de terminar a competição entre os quatro primeiros colocados, o Náutico visita o Bahia, nesta terça-feira (30), às 19h15, na Arena Fonte Nova, em busca da primeira vitória longe da Arena Pernambuco.

Quatro rodadas se passaram na competição e o Timbu venceu dois jogos em casa – Vila Nova e Sampaio Corrêa – e perdeu duas partidas distante dos seus domínios – Criciúma e Londrina. Nas duas oportunidades que teve para conquistar pontos na casa do adversário, o Alvirrubro vacilou e acabou saindo derrotado. Mesmo sabendo das dificuldades que vai enfrentar, a meta do Náutico é simples: a vitória.

“É um jogo difícil, a gente sabe da tradição do Bahia e é um clássico do nordeste. Sabemos que vai ser difícil, mas vamos pra vencer o jogo. A gente vem fazendo boas partidas fora, tendo chances de gol, mas basta fazer. Nos jogos fora de casa tivemos duas ou três oportunidades de gol. A gente marcando com certeza sai com um bom resultado”, declarou o atacante Rafael Coelho.

TIME

Foto: André Nery/JC Imagem

O departamento médico do Náutico vetou a participação do volante Rodrigo Souza. Foto: André Nery/JC Imagem

O técnico do Náutico, Alexandre Gallo, perdeu uma peça importante da equipe para o jogo contra o Bahia: o volante Rodrigo Souza. Ele sentiu uma lesão no músculo adutor da coxa ainda na goleada em cima do Sampaio Corrêa. Ele foi poupado do primeiro tempo do confronto porque estava com um desgaste muscular.

A tendência é que Gastón continue improvisado na cabeça de área ao lado de Maylson. Como também é o Timbu deve repetir pela primeira vez a escalação na competição. O quarteto ofensivo formado por Bergson, Rony, Jefferson Nem e Rafael Coelho parece ter ganho a confiança do comandante.

“Não vamos ter moleza. Sempre vamos enfrentar um jogo difícil. O nosso único problema é que não estamos tendo tempo para treinar. Apenas focar na recuperação dos jogadores. Fizemos jogos equilibrado longe de casa, mas perdemos. Nossa expectativa é de mais uma vez fazer um jogo equilibrado e vencer”, disse o treinador alvirrubro.

ADVERSÁRIO

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Hernane Brocador está confirmado na equipe baiana. Foto: Diego Nigro/JC Imagem

O Bahia é um adversário direto do Náutico na briga pelo acesso para Série A. Ambas as equipes estão próximos na classificação. Um ponto separa as duas equipes. Com um grande investimento para a competição, o técnico Doriva não vai poder contar com um dos principais reforços: o atacante Thiago Ribeiro. Ele sentiu um incômodo na coxa e não vai participar da partida.

“É um time muito forte. Por tudo que tem é fadado ao acesso. Mas todos os jogos são iguais e vale os três pontos. Precisamos respeitar o nosso adversário e fazer o nosso melhor”, afirmou o técnico do Alexandre Gallo, do Náutico.

FICHA TÉCNICA

Bahia – Marcelo Lomba; Tinga, Éder, Jackson, João Paulo; Feijão, Juninho (Paulo Roberto), Danilo Pires, Renato Cajá; Luisinho (Edigar Júnio) e Hernane. Técnico: Doriva

Náutico – Júlio César; Joazi, Eduardo, Rafael Pereira, Mateus Muller; Gastón, Maylson, Bergson; Rony, Jefferson Nem e Rafael Coelho. Técnico: Alexandre Gallo.

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador-BA. Horário: 19h15. Árbitro: Joao Batista de Arruda (RJ). Assistentes: Carlos Henrique Alves de Lima Filho (RJ) e Daniel Vidal Pimentel (SE).

“Não era a estreia que eu queria no Sport”, diz Edmilson

edmilsonDN

Atacante fez estreia nesse domingo, contra o Corinthians. Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Um dos jogadores mais observados pela torcida do Sport na partida contra o Corinthians, nesse domingo, na Ilha do Retiro, Edmilson lamentou que sua estreia não tenha sido com vitória. Ele bem que tentou e chegou perto de marcar ao acertar uma bola no travessão no primeiro tempo. Mas não conseguiu impedir que os paulistas saíssem de campo vencedores.

“Não era a estreia que eu queria, infelizmente foi com derrota. Mas individualmente foi bom ter jogado os noventa minutos. Fomos muito bem no primeiro tempo, dominamos o jogo e criamos chances”, disse o jogador ao site oficial do clube.

LEIA MAIS:
> #FutebolNaRede debate futebol pernambucano

> Problema do Sport é finalização, mas também a criação

> Sport deve encarar que briga é contra rebaixamento neste momento

> Oswaldo elogia Edmilson e espera que ele corresponda no Sport

Edmilson tinha a sua estreia aguardada pelo fato de ter sido muito rejeitado pelo torcedor do Sport. O jogador, contudo, ganhou aval do técnico Oswaldo de Oliveira e deve seguir como titular.

O atacante só espera que o segundo jogo dele, o clássico contra o Santa Cruz, no Arruda, acabe com um resultado mais favorável ao Leão. “Temos que trabalhar forte esses dias pois quarta teremos um clássico e, ganhando, a gente muda tudo. A confiança e a autoestima vão lá pra cima”, disse.

DE FORA – O zagueiro Henríquez vai ficar afastado dos gramados por cerca de três semanas. O defensor lesionou a coxa esquerda e vai desfalcar o Sport nos próximos jogos. Sendo assim, Matheus Ferraz deve ser mantido entre os titulares.

#FutebolNaRede debate futebol pernambucano

Com Roberto, Santa Cruz se prepara para o clássico

“Milton me ensinou como ser profissional”, diz reforço do Santa

Jogador disputava com Allan Vieira a vaga. Foto: André Nery/JC Imagem

Atualizada às 20h30

O lateral-esquerdo tem tudo para fazer sua estreia com a camisa do Santa Cruz. Com a suspensão de Tiago Costa, que levou o terceiro amarelo, o jogador foi acionado como substituto no treinamento desta segunda-feira, no Arruda. Roberto disputava com Allan Vieira a vaga no time titular que enfrenta o Sport, nesta quarta-feira, no Arruda.

LEIA MAIS:
> Santa Cruz usa eficiência para largar bem no Brasileirão

> Santa Cruz tem pelo menos quatro desfalques para o clássico

> Santa Cruz recusa favoritismo no clássico

Quem também treinou foi o lateral-direito Léo Moura. O atleta saiu com dores na coxa durante a partida contra a Chapecoense e poderia desfalcar os corais. Mas como participou das movimentações nesta segunda não deve ser problema.

Já o restante da equipe foi a mesma que empatou com a Chapecoense. Milton Mendes formou assim o time no treinamento: Tiago Cardoso, Léo Moura, Alemão, Danny Morais e Roberto; Uillian Correia, João Paulo, Wallyson, Arthur e Keno; Grafite.

NEGOCIAÇÃO – O Santa Cruz pode anunciar mais um lateral-direito para a Série A. O Tricolor procurou Mário Sérgio, que estava no Joinville, e está perto de confirmar o jogador. Segundo o repórter João Victor, da Rádio Jornal, o atleta já está no Recife para finalizar as negociações.

DE FORA – O volante Wellington Cezar vai ficar cerca de dez dias afastado. Ele passará por uma artroscopia no joelho direito para retirada de corpo estranho. Já o zagueiro Néris apresentou edema na coxa esquerda e ficará cinco dias afastados. O lateral-direito Vitor foi para a transição.

Sem Rodrigo Souza, técnico do Náutico pode repetir o time

Foto: André Nery/JC Imagem

Foto: André Nery/JC Imagem

O volante Rodrigo Souza sentiu uma lesão no músculo adutor da coxa e não enfrenta o Bahia, nesta terça-feira (31), fora de casa, em partida válida pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Segundo o técnico Alexandre Gallo, a contusão foi sofrida durante a goleada aplicada no Sampaio Correia. Vale lembrar que o jogador foi poupado de entrar de frente no confronto por conta do seu condicionamento físico que estava ameaçado. “Perdemos o Rodrigo com uma lesão na coxa no último jogo. Os exames dele mostravam que ele estava bastante desgastado”, afirmou o treinador.

Com a ausência do cabeça de área, a tendência é que Gallo mantenha o lateral-esquerdo Gastón Filgueira improvisado no setor ao lado de Maylson. Caso o Náutico entre com a mesma formação do último duelo, será a primeira vez que o Timbu irá repetir uma escalação na competição. No entanto, o treinador alvirrubro não descartou possíveis alterações.

“Acredito que time que ganha também se mexe. Depende muito do adversário. É preciso sempre ter essa flexibilidade dentro do grupo. Então temos que ter um equilíbrio e oxigenar alguns setores. Já que não temos tempo para treinar, precisamos usar todo o elenco”, finalizou o técnico.

LEIA MAIS:

Náutico muda programação, mas Gallo não vê prejuízo

Náutico: “Ganhou pontos comigo”, diz Gallo sobre Gastón

Náutico: Gallo destaca atuação de Rony nos últimos jogos

Rafael Coelho aliviado após balançar as redes pelo Náutico

Rubro-negro na Austrália

1b69ae45-3a7f-4053-a63b-aefc0ccb27a3

O rubro-negro Kleyton Renato leva as cores do Sport para a Tasmânia, na Austrália.

Quer ver sua foto aqui no Blog? Basta enviar a imagem para blogdotorcedor@ne10.com.br ou marcar o Blog no Instagram, o perfil é @blogdotorcedor, com a tag #tocedornomundone10.

Náutico muda programação, mas Gallo não vê prejuízo

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

A forte chuva que castigou a Região Metropolitana do Recife, nesta segunda-feira (30), fez com que o Náutico mudasse a sua programação. O elenco iria treinar pela manhã no Centro de Treinamento Wilson Campos, na Guabiraba, mas para evitar maiores transtornos embarcou no final da manhã para a cidade de Salvador onde enfrenta o Bahia em partida válida pela quinta rodada da Série B.

O técnico Alexandre Gallo minimizou a alteração na logística e tratou como uma eventualidade. “A mudança não atrapalhou muito. A única coisa que perdemos foi a privacidade do nosso CT e a chance de criar alguns aspectos mais específicos. Vamos ter que conversar bastante. Isso faz parte da competição e temos que estar preparados”, afirmou o comandante alvirrubro.

Ainda hoje, no final da tarde, o Náutico realiza o último treino no CT do Vitória, na capital baiana. Com a moral elevada depois de golear o Sampaio Correia na último rodada, Gallo frisou que boa atuação já faz parte do passado e que o time precisa de uma sequência no campeonato.

“Nós temos que virar a página em qualquer momento. O importante é a sequência da competição. Claro que uma vitória sempre passa confiança. Vamos enfrentar um adversário muito difícil, muito duro quando joga em casa, mas temos que ter a personalidade quando jogarmos fora”, declarou técnico. “Fizemos jogos equilibrado longe de casa, mas perdemos. Nossa expectativa é de mais uma vez fazer um jogo equilibrado e vencer”, completou.

LEIA MAIS:

Náutico: “Ganhou pontos comigo”, diz Gallo sobre Gastón

Náutico: Gallo destaca atuação de Rony nos últimos jogos

Rafael Coelho aliviado após balançar as redes pelo Náutico

Santa Cruz usa eficiência para largar bem no Brasileirão

Corais estão em terceiro na Série A. Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Corais estão em terceiro na Série A. Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Mesmo sem ter uma equipe recheada de craques ou um futebol que envolva por completo os adversários, o Santa Cruz vem se destacando neste começo de Brasileirão. Muito por causa da sua eficiência dentro de campo. Em terceiro com 8 pontos, os corais não lideram as principais estatísticas do campeonato. Muito porque estão conseguindo fazer muito com pouco nas partidas da Série A.

O ataque é o melhor exemplo disso. O Santa Cruz é o time que menos precisa chutar para marcar gols. Ao todo foram apenas 27 chutes para obter 11 gols. A estatística dá uma média de 2,45 chute por gol. Bem na frente de equipes como o líder Grêmio, por exemplo. Os gaúchos precisam de 7,7 finalizações para balançar as redes. Os dados são do Footstats.

LEIA MAIS:
> Santa Cruz tem pelo menos quatro desfalques para o clássico

> Santa Cruz recusa favoritismo no clássico

> Sem Tiago Costa, Milton esconde substituto para o clássico

Mas a eficiência tricolor vai além. Os comandados de Milton Mendes também são os que menos trocam passes no Brasileirão. São apenas 965 passes em quatro rodadas. Isso dá uma média de pouco mais de 240 por partida. Só para efeito de comparação, o lanterna Sport tem 1742 neste aspecto. Prova que nem sempre ter a bola nos pés é garantias de vitórias.

Só que mais do que apontar a eficácia do Santa Cruz, os números também mostram a estratégia do time do Arruda. Ciente de que não pode jogar de igual para igual com equipes de maior orçamento, o Tricolor aposta em uma postura mais contida, que não pode ser confundida com retranca. É apenas priorizar a defesa para explorar os contra-ataques na sequência. Vem dando muito certo até agora.

Página 1 de 8.0911234567Última »