• Sport fica no 0x0 com o Cruzeiro mas mantém o quarto lugar

Sport: para Eduardo, marcação forte do Cruzeiro é o ônus do G4

eduardo_baptista_0208_770

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

A forte marcação do Cruzeiro teve duas consequências para o Sport, na opinião do técnico Eduardo Baptista. Primeiro, deixou muito pouco espaço para a criação de seu time. E, consequência disso, levou os jogadores a se precipitar em alguns momentos em que poderia ter feito a bola rodar com mais velocidade. Apesar disso ele viu o 0x0 como resultado normal e fruto da boa campanha leonina no Brasileirão.

“É o ônus de estar no G4. Agora não vem mais time aqui aberto. Eles vêm para se fechar porque sabem que o Sport é perigoso. Foi um jogo extremamente difícil mas em nenhum momento deixamos de lutar. O time se expôs e temos que lembrar que não jogamos com qualquer um. O Cruzeiro é o atual bicampeão brasileiro”, lembrou.

O técnico rubro-negro explicou que tanto Marinho quanto Alisson, jogadores que atuavam como extremos pelos dois lados do campo voltaram para reforçar a marcação, não deixando espaço para Régis e Marlone fazerem as diagonais e permitir a ultrapassagem de Samuel Xavier e Renê. “Faltou um pouco da saída rápdida, de Élber e Maikon Leite. Até o centrovante deles estava voltando”, lembrou.

Os maiores elogios ficaram para o sistema defensivo, que permitiu muito pouco para o adversário. Para Eduardo foi um jogo em que os dois times mostraram uma estrutura tática quase perfeita. “As duas linhas estavam muito próximas e mérito para nossa defesa que não abriu espaço em nenhum momento. Os esquemas dos dois estava quase perfeito. Vanderlei armou o time muito bem, é sempre difícil enfrentá-lo”.

hernane_brocador_2D_770

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

BROCADOR – Apesar da visível falta de ritmo, o técnico do Sport gostou da atuação do atacante Hernane Brocador, que entrou aos 13 minutos do segundo tempo. “Foi uma boa estreia. É um jogador técnico, que segura bem a bola e faz o pivô. Faltou ritmo e é normal. Ele ainda tem muito a dar”, disse.

Ainda no campo, o Brocador fez uma avaliação semelhante à de Eduardo. Ele disse que foi estranho ficar sete meses sem atuar e sabia que sentiria um pouco da falta de ritmo. “Mais três ou quatro jogos entro num ritmo ideal para fazer bons jogos e ajudar o Sport”.

Sport fica no 0x0 com o Cruzeiro mas mantém o quarto lugar

Foto: Diego Nigro/JC Imagem.

Foto: Diego Nigro/JC Imagem.

Num jogo em que as defesas levaram ampla vantagem sobre os ataques o Sport ficou no empate por 0x0 com o Cruzeiro neste domingo (2), na Arena Pernambuco, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. O ponto conquistado foi suficiente para manter o time da Ilha na quarta colocação agora com 29 pontos. O Cruzeiro é o 14º, com 18.

» Para Eduardo, forte marcação do Cruzeiro é o ônus do G4

Com três volantes, o Cruzeiro conseguiu inibir a criatividade do Sport. Os volantes Rithely e Wendel estavam sempre cercados por até três adversários. Com isso a saída para o ataque foi na base da ligação direta. Para completar, o lado direito ficou sem a mesma força do esquerdo, já que Régis deu mais uma prova que não rende quando deslocado para atuar pelos lados.

A primeira boa chance foi do Cruzeiro. Charles levantou na marca do pênalti e Henrique apareceu sozinho para cabecear. Incrivelmente ele mandou para fora. O Sport devolveu da mesma forma quando Régis pôs na cabeça de Marlone. A bola foi no canto e Fábio fez grande defesa. A partir dos 30 minutos o Sport encaixou melhor a marcação nos dois lados do campo e impediu as investidas mais perigosas do Cruzeiro. No entanto, continuava a ter dificuldade quando ultrapassava o círculo central.

O jogo ficou amarrado entre as duas intermediárias sem ninguém levar vantagem. O Cruzeiro tinha superioridade no meio de campo e acabava com a transição rubro-negra. Por sua vez, o time da casa devolvia na mesma moeda quando perdia a bola. No último minuto Fábio falhou e quase deixou a bola nos pés de Régis. Mena apareceu para afastar o perigo.

Os dois times voltaram com as mesmas configurações do primeiro tempo. E tudo continuou como estava antes. Aos 13 minutos o técnico Eduardo Baptista promoveu a estreia de Hernane Brocador. Ele entrou no lugar de Régis e mudou a função de Diego Souza e André. O camisa 87 foi deslocado para o lado direito do campo. André recuou para o setor antes ocupado por DS87.

Como o problema dos rubro-negros era posicionamento coletivo e não qualidade – ou falta dela – individual. A compactação bem feita na hora de defender, sem deixar espaço entre as linhas, não era repetida na hora de atacar. O jogador que vinha de frente não tinha opção de passe, pois o Cruzeiro conseguia quebrar as linhas.

Ainda que o problema não fosse o ataque o comandante leonino resolveu inflacionar o setor com a entrada de Samuel no lugar de Wendel. O Sport abusou ainda mais da bola rifada para o ataque, onde Hernane Brocador não tinha o que fazer a não ser ficar perdido no meio dos zagueiros. Quando tentava trocar passes dificilmente o time acertava mais de três seguidos. Desse jeito só sairia gol em bola parada e quem chegou bem perto foi o time mineiro aos 48 numa cabeçada de Manoel que Danilo Fernandes fez milagre.

Ficha de jogo

Sport: Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Durval, Matheus Ferraz e Renê; Wendel (Samuel), Rithely, Régis (Hernane Brocador) e Diego Souza (Neto Moura); Marlone e André. Técnico Eduardo Baptista.

Cruzeiro: Fábio; Mayke, Manoel, Paulo André e Mena; Henrique, Willians e Charles; Marinho (Arrascaeta) e Alisson (Marquinhos); Vinícius Araújo.Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Série A (16° rodada). Local: Arena PE. Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS). Assistentes: Marcelo Van Gasse (SP) e Fabricio Vilarinho da Silva (GO). Gols: . Cartões amarelos: Mayke, Charles e Renê. Público: 28.018.

Erros de passe do Santa Cruz acima da média

Foto: Antônio Melcop / Santa Cruz

Foto: Antônio Melcop / Santa Cruz

Apesar de o técnico Marcelo Martelotte ter reclamado de que faltou controle do jogo, os números mostram que o Santa Cruz não foi dominado pelo Oeste, na derrota deste sábado (1). A começar pela posse de bola, um pouco maior para o time pernambucano: 52,9% x 47,1%. O que atrapalhou bastante o time e, diga-se de passagem, está virando regra, é a grande quantidade passes errados. Em Osasco foram 44.

Nos últimos quatro jogos o Santa errou mais de 40 passes em todos, o que representa um número acima da média total de erros do time na Série B: 37,9. Foram 46 com o Bahia, 41 com o Criciúma e 43 com o Atlético-GO. Embora nesses três jogos citados não tenha havido derrota – duas vitórias e um empate – foram partidas em que os adversários tiveram condições de jogar e marcar seus gols.

Nos demais fundamentos os dois times mostraram equilíbrio, como, por exemplo, finalizações certas. Os visitantes acertaram a barra de Jefferson Romário cinco vezes contra quatro dos donos da casa. Nos desarmes a vantagem coral foi mínima, 12×11. Só na hora de fazer falta o Oeste chegou mais junto: 18×9.

No plano individual, o destaque foi Bileu, que começou o jogo como lateral-direito e terminou como volante. Ele foi o jogador com mais posse de bola na partida: 8% do tempo total. Ele também acertou mais passes que todos: 42.

Já o lateral-direito Vítor, que fez a estreia no segundo tempo, teve a bola em 4% do jogo, igual ao meia João Paulo, que atuou 90 minutos. Apesar de ter sido muito acionado ele errou os três cruzamentos que tentou. Acertou três passes e errou um, além de ter acertado um lançamento.

Blog sorteia camisa do Náutico autografada por Lisca

nauticolisca

O Blog do Torcedor tem promoção especial para os internautas do Náutico, principalmente aqueles que curtem o trabalho do técnico Lisca. Vamos sortear duas camisas oficiais do Timbu autografadas pelo treinador, com direito até a um “Lisca doido”.


Abaixo as regras:

Seguir o Blog do Torcedor no Twitter, o perfil é @blogdotorcedor, e tuitar a seguinte frase: Sigo o @blogdotorcedor e quero ganhar uma camisa autografa por Lisca doido – http://sorteia.eu/cl9. O link tem que fazer parte da frase para que a participação seja considerada válida.

O sorteio será feito na próxima segunda-feira, 3 agosto. O resultado será publicado no Blog. O ganhador terá que ter disponibilidade para vir buscar a camisa na redação do NE10, em Santo Amaro. Nós não entregamos os brindes na casa dos vencedores. Cada participante só poderá ganhar uma camisa.

Boa sorte para todos!

Após oitavo amarelo na Série B, Gastón não pega o CRB

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Punido com o oitavo cartão amarelo no Campeonato da Série B, o lateral-esquerdo do Náutico, além do recorde absoluto de advertências na competição, desfalca o time mais uma vez. Contra o Macaé, o uruguaio já vinha de uma suspensão frente o Paraná e agora não encara o CRB, na 17ª rodada, sábado (8), em Maceió.

O técnico Lisca praticamente já confirmou o volante Fillipe Soutto em seu lugar, assim como aconteceu frente o Paraná e também no clássico contra o Santa Cruz, quando Gastón cumpriu uma de suas suspensões automáticas na Série B.

“Não achei muito justa a aplicação do cartão em Gastón contra o Macaé, mas não vou reclamar do árbitro, pois foi uma interpretação dele de um lance de jogo”, afirmou o treinador, que descartou a procura de um substituto imediato na lateral esquerda, já que o titular costuma passar tanto tempo fora.

“Vocês conhecem as limitações do orçamento do Náutico. Estamos guardando as nossas fichas para a contratação de um atacante. E Fillipe Soutto vem desempenhando bem esse papel”, disse Lisca.

Lusinho diz que jogadores do Santa sabem onde erraram

Luisinho disse que o Oeste se defendeu o tempo todo. Foto: André Nery / JC Imagem

Luisinho disse que o Oeste se defendeu o tempo todo. Foto: André Nery / JC Imagem

O atacante Luisinho avaliou a atuação do Santa Cruz na derrota para o Oeste de forma diferente do que fez o time no jogo anterior fora de casa, contra o Criciúma – houve empate por 0x0. Para ele, mesmo jogando, em casa, a equipe rubro-negra entou em campo apenas para se defender e foi feliz num chute de fora da área.

“Eles vieram para se defender o jogo inteiro e tivemos que abrir os espaços. Numa felicidade acertaram um belo chute”, disse. Por isso ele acredita que as avaliações têm que ser feita com calma sem procurar julgar a qualidade do time apenas por esse resultado. “Não podemos achar que está tudo errado porque o time vem numa crescente”.

Ele não quis apontar culpados pela derrota. Dividiu a responsabilidade entre todos e garantiu que o grupo sabe avaliar o que fez de certo e errado. “Sabemos o que temos que fazer para melhorar porque a próxima partida vai ser complicada e temos que vencer em casa”, disse.

O meia João Paulo tem uma opinião parecida. Ele também não viu o Oeste ser superior ao Santa em nenhum momento e creditou o gol a um lance de felicidade. Apesar disso reconheceu que a atuação poderia ser melhor. “Incomoda não ganhar fora, mas hoje fomos um pouco abaixo do que vínhamos jogando. Vamos trabalhar para acertar e voltar melhor no próximo jogo”, apontou.

Ingresso para a estreia de Grafite no NE10ingressos

Grafite é esperança de reação do Santa Cruz na Série B. Foto: Divulgação

Grafite é esperança de reação do Santa Cruz na Série B. Foto: Divulgação

Atenção, tricolor. Você pode garantir presença na estreia do atacante Grafite sem ter que pegar fila ou mesmo sair de casa. Os ingressos para Santa Cruz x Botafogo, sábado (8), às 16h30, podem ser adquiridos no site NE10 Ingressos (www.ne10ingressos.com.br), com várias formas de pagamento via Pagseguro.

Eller diz que é a hora do Náutico pontuar fora de casa

Eller projeta duelo decisivo no próximo sábado. Foto: JC Imagem

Eller projeta duelo decisivo no próximo sábado. Foto: JC Imagem

Com dois jogos longe da Arena Pernambuco pela frente, contra CRB e Bahia, o Náutico vai ter que mudar o retrospecto fora de seus domínios se quiser voltar ao G4 do Brasileiro da Série B. Para o zagueiro Fabiano Eller, a hora é agora. “Pelas nossas pretensões na competição, que é o acesso e o título, temos que voltar a vencer fora”, disse.

LEIA MAIS:

>> Náutico tropeça no Macaé e deixa o G4

>> Fabiano Eller lamenta chances perdidas contra o Macaé

O zagueiro, que chegou a culpar o cansaço pela maratona de jogos como um dos fatores da queda de rendimento da equipe no segundo tempo contra o Macaé, comemorou o fato de o Náutico agora ter uma semana até o próximo compromisso, dia 8, no Rei Pelé, em Maceió. “Temos que nos recuperar fisicamente e focar nos próximos jogos para voltar a pontuar fora”, falou.

O Náutico folga neste domingo (2) e volta aos trabalhos na segunda (3), no CT da Guabiraba.

Página 1 de 7.4861234567Última »