Arquivo da tag: fortaleza

Entrevista: “Carbono é uma molécula de muitas pessoas”, diz Lenine sobre novo trabalho

Publicado por em Notas às 21h30

O cantor e compositor pernambucano Lenine está agora na estrada com turnê nova de seu mais recente trabalho, Carbono, lançado no dia 30 de abril. No fim de semana, em Fortaleza, num show que lotou a Praça Verde do Dragão do Mar, Lenine estreou a turnê no Nordeste e conversou com o Social1, no camarim, sobre a obra, a que se refere como sua “cria nova”. Perguntado quando virá ao Recife, respondeu: “logo, logo!”, com sorriso de mistério.

Lenine em registro durante o show de Fortaleza/Foto: Social1

Lenine em registro durante o show de Fortaleza/Foto: Social1

Carbono veio da sua relação com a química?
Eu já estava apaixonado pela palavra independente dessa minha paixão pela química. É uma constante no meu trabalho: quando tenho desejo de fazer um projeto, a primeira coisa em que eu penso é na ambiência, e portanto a primeira coisa tem que ser um título que agregue tudo o que eu procuro. Desde Labiata (CD anterior) que a minha tentativa é não fazer uma coletânea de contos, mas sim um romance. Então, o desencadear de cada canção, tudo, foi meio que pensado: tem muita legenda, muita coisa que, eu espero, as pessoas descubram nas audições. Agora estou orgulhoso como pai lambendo a cria nova. [risos]

Foram só três meses para fazê-lo?
Foram dois meses de gravação, mixagem e masterização… Uma tsunami. Nunca fiz em tão pouco tempo. Nem também a simultaneidade de estrear show e disco.

Você lançou o CD e estreou o show no mesmo dia, 30 de abril, isso?
Isso. A gente queria que o disco fosse quase como o ingresso físico do evento. Então para eu poder estrear o show no dia 30 de abril, como a gente tinha programado, tinha que terminar no dia 30 de março. Para ter tempo hábil de produzir o show. Foi tudo feito assim, no meio da tsunami.

Gostou dessa experiência?
Depois de tantos anos produzindo, acho que o caminho é o melhor de tudo – o caminho, o desejo e o estímulo – porque muitas vezes as coisas se perdem. O que você vai ver aqui [no show] já é uma adaptação das coisas que a gente fez no estúdio. O estúdio já foi, como uma foto que eu fiz. O filme está acontecendo e começou agora. Então, ainda é tudo muito novo. Eu não consegui descolar a ponto de olhar para o filho de longe. [risos]

Voltando à primeira pergunta, em você, tudo começa pela palavra?
Perfeito. Todas as músicas do Carbono foram escritas sob a égide do carbono. Elas falam disso, a palavra aparece em vários momentos do disco. É uma coisa intencional e também o desencadear: uma canção aqui e a outra em sequência… Existe uma história sendo contada ali.

Desse trabalho o que você escreveria numa folha de carbono para reproduzir?
É engraçado você dizer papel carbono, porque já é outra conotação que a palavra tem e que eu não usei. Eu ainda pensei… Mas cada projeto é um fotografia a partir do nosso olhar. Significa dizer que é uma crônica, parecido com o que você faz. É uma reportagem o que eu faço. O Carbono  tem também uma coisa coletiva. Não por acaso a música que abre, Castanho, diz “O que eu sou, eu sou em par, não cheguei sozinho”. Essa coisa de poder estar com o núcleo duro tocando junto – que é o Pantico Rocha (baterista), Guila (baixista), JR Tostoi (guitarrista) e Bruno Giorgi (guitarrista e bandolinista) -, o fato de poder ter contato com tantos amigos e cúmplices de criação – como Carlos Malta, Marcos Suzano, Carlos Rennó, Lula Queiroga -, e também com a turma mais recente – Vinícius Calderoni, Carlos Posada, João Cavalcanti, meu filho, mas que é a primeira canção que a gente fez… É um disco que congrega muita gente. Todos, de uma maneira ou de outra, me ajudaram a fazer esse projeto. O Carbono, antes de tudo, tem essa coisa alotrópica. Ele juntou e fez uma molécula só de muitas pessoas, muitos elementos. O disco está carregado dessas pessoas.

Falando em parceria, sobre a sua com Nação Zumbi, que foi muito repercutida, qual representatividade tem para você?
Tem total. Você veja que, quando falei dos novos nem falei do Nação, porque não são novos. Pupillo falou uma coisa muito bacana: a gente estava acumulando conversas para ter o que fazer juntos. É uma verdade. [risos] Tínhamos uma admiração profunda, somos do mesmo lugar, trabalhamos com música contemporânea… Quando pensei em Cupim de ferro me ocorreu eles imediatamente ao tema. Liguei para o Pupillo e perguntei como é a mecânica quando eles fazem disco, que é outra característica do Carbono – cada faixa foi uma mecânica diferente, uma equação diferente para resolver. Foi só uma sessão e a gente fez a canção; todos num estúdio. Foi muito coletivo e delicioso. Novos velhos amigos. [risos] Era uma questão de tempo mesmo.

Assista à entrevista curtinha feita no camarim e transmitida via Periscope antes do show:

Dragão Fashion 2015: o que o Social1 viu e adorou

Publicado por em Notas às 10h00

Fortaleza (CE) – A 16ª edição do Dragão Fashion Brasil, que se intitula como o maior evento de moda autoral do País, escureceu a passarela na noite de domingo (10), somando 32 desfiles, no novíssimo Terminal de Passageiros do Porto de Fortaleza. Da primeira noite, quinta (7), a renda de Almerinda Maria – associada ao jeans Tencel, em alguns looks – mais as criações modernas de João Paulo Guedes para o guarda-roupa masculino e os cortes elegantes e geométricos de Aládio Marques ficaram exaltados na memória até o último dia de catwalk. Leia mais aqui.

Na sexta-feira (8), Melk Z-da, único pernambucano a figurar no line-up, encerrou a noite com delicadeza, em coleção inspirada na palha, no lenço e na flor de maracujá. Inovou ao levar noivas para a passarela. Leia mais aqui.

Melk apronta modelo para seu desfile/Foto: Divulgação

Melk apronta modelo para seu desfile/Foto: Divulgação

melk

Modelos no backstage para o desfile de Melk/Foto: Divulgação

Antes de Melk, no entanto, outros dois desfiles elevaram muito a energia das salas: Bikiny Society e Lindebergue Fernandes. A primeira, da estilista cearense Paula Pinto Villas-Boas, única de beach wear na grade, prendeu os olhos com sofisticação e sensualidade. Paula contemplou o P&B, as estampas e invocou o já não tão mais assediado nude, posto em biquínis e maiôs com belos detalhes de corda azul marinho usadas margeando as peças, como amarrações ou formando estruturas geométricas. Aliás, para as costas e os ombros, Paula fez um trabalho caprichado. Um sutiã, por exemplo, era desprovido de fechamento nas costas – ficava aderente ao corpo por uma estrutura que acabava na parte de trás do ombro. Também saltaram à vista peças de crochê e macramê, feitas inteiramente a mão. O público babou. Paula vive na Suíça, onde criou a marca que só há pouco abriu loja em Fortaleza, e diz que suas inspirações vêm das viagens que faz, por praias do mundo todo, uma vez que o marido é surfista. Conta, ainda, que o conceito da sua marca, casual-chic ou natural-chic, contempla a mulher que vai da praia de Jericoacoara ao verão europeu.

bikiny3

Fotos: Roberta Braga/Leila Motta/Ricardo K.

bikiny4

bikiny5

Na sequência, Lindebergue Fernandes levantou ainda mais alto a peteca, ao desfilar coleção afetiva. Primeiro homenageou João Sobarr, estilista cearense de quem era muito amigo, morto no ano passado. Numa alusão à alegria de Sobarr e ao quão noturno ele era, o desfile foi entremeado pelo elenco do espetáculo cearense Quem tem medo de travesti?, que vestia camisetas com expressões do universo queen, como “neca”, “close” e “cafuçu”. Usando trilha que remetia a um rádio pulando de estação, num caldeirão de sucessos populares, Lindebergue caprichou aplicando o artesanato em propostas novas: pôs homem usando renda, mas fez outras travessias mais possíveis para a moda real – com a renda mesmo, no uso dela em looks, digamos, esportivos. Também se saiu bem com a colocação de pequenas franjas de canutilhos no jeans, inclusive para homens. Sobre sua coleção, ele fala: “Resolvemos reprocessar alguns hits da minha história, desconstruindo e remontando, como um quebra-cabeças composto por peças que se encaixam, mas que, ao mesmo tempo, não formam nenhuma imagem definida”. Havia ainda bastante crochê, muitos deles desconstruídos, como que esmiuçando o handmade, tema do DFB. A última peça pesava nove quilos.

lind1

lind2

Na noite seguinte, o sábado (9), ninguém foi mais feliz do que Ivanildo Nunes, aplaudido por todos em pé por sua coleção de vestidos de festa, todos pretos, nos mais variados comprimentos. Nunes buscou para a sua roupa referências em Oscar Niemeyer. Havia de curvas a desenhos que remetiam a vitrais. A transparência levada ao máximo por Nunes, em rendas francesas e tules, era de uma elegância desmedida. Alguns bordados desafiavam os olhos, parecendo terem sido colados ao corpo, como tatuagens – ou “como construções sólidas que se lançam no vazio”, conforme o estilista apresenta. Em se tratando de modelagem, quase toda a coleção une a silhueta bastante marcada com saias esvoaçantes. As pedrarias entregavam um luxo que fez a passarela brilhar.

ivanildo1

ivanildo2

No domingo (10), último dia de DFB, Ronaldo Silvestre e Gisela Franck causaram as melhores impressões. Silvestre prendeu os olhos de quem viu seu trabalho de criar texturas, e também formas, com técnica de costura de jeans como se fosse viés, sobre seda, criando outro tecido. Vários costurados, juntos, retamente ou formando desenhos que se aproximavam de flores, em sintonia com o tema escolhido pelo estilista, Flores de guerra, baseado no poema A flor e a náusea, de Carlos Drummond de Andrade, que cita uma flor que brota num asfalto rígido. Ótimas criações ficaram a camisa e o casaco vermelhos com estampas florais – que parecem chita – “cortadas” pelos tais vieses costurados, como se fossem nervuras. Silvestre fez um dos desfiles mais felizes, julgando ideia, realização e o quão sua criação é uma roupa-desejo.

silvestre1
silvestre2

silvestre3

Por fim, a cearense Gisela Franck desfilou looks elegantes usando a palha em detalhes usuais, como na barra do short. Aqui e acolá uma flor remetendo à fonte que a inspirou – a obra Flor dalinae, de Salvador Dalí. Na coleção, além da palha, Gisela fez uso basicamente de organza de seda, linho puro e gaze de linho.

gisela1

gisela2

* Repórter viajou a convite da organização do evento.

Wesley Safadão poderá disputar prefeitura de Fortaleza, de acordo com partido Solidariedade

Publicado por em Notas às 11h35
Fotos: Divulgação

Fotos: Divulgação

O cantor Wesley Safadão pode ser o candidato do partido Solidariedade (SDD) à Prefeitura de Fortaleza nas eleições de 2016. A informação foi passada pelo presidente da legenda no Ceará, o deputado federal Genecias Noronha, em entrevista ao “Blog do Eliomar”. O nome de Wesley aparece em lista junto com políticos veteranos do estado como uma das opções estudadas pelo partido.

A escolha, ainda de acordo com o líder do SDD, só deve ser feita em 2016, por meio de votação entre os membros do partido. O cantor, assim como outros “concorrentes”, deve ser chamado para reuniões da legenda nesse período antes da decisão.

Social1 no Dragão Fashion

Publicado por em Notas às 14h00
Terminal Marítimo de Passageiros de Fortaleza vai abrigar o evento de moda pela 1ª vez/Imagem: reprodução da internet

Terminal Marítimo de Passageiros de Fortaleza – na imagem, uma perspectiva – vai abrigar o evento de moda pela 1ª vez/Imagem: reprodução da internet

De quinta (7) até domingo (10), Fortaleza vai respirar moda, graças ao 16º Dragão Fashion, que vai ocupar o Terminal Marítimo de Passageiros do Porto de Fortaleza, com vista para a Praia Mansa. O DF é conhecido por atrair desfiles mais autorais, menos comerciais. Serão 32 talentos mostrando seus trabalhos – entre eles, o cearense Lino Villaventura e o pernambucano Melk Z-da. O Social1 estará lá e você poderá acompanhar a cobertura aqui no blog e também pelas nossas redes sociais – Facebook, Twitter, Instagram e Periscope. Fique ligado!

Festival Sunset On The River é adiado horas antes da abertura dos portões

Publicado por em Notas às 08h12
Onze20 - crédito Maria Toscano

Onze:20. Foto: Maria Toscano/Divulgação

Os planos dos produtores do Sunset On The River mudaram e o show que aconteceria neste domingo (26), no Estelita, foi adiado para o mês de julho. O comunicado foi feito horas antes da abertura dos portões, que estava prevista para às 15h. A remarcação da data se deu devido ao adiamento da apresentação da banda onze:20, a principal atração do festival, em Fortaleza. As fortes chuvas que atingiram a capital cearense  impossibilitaram a realização do show e acabaram atrasando toda a turnê pelo Nordeste. Quem comprou o ingresso, há possibilidade de resgatar o dinheiro ligando para 3127.4143.

Madonna faz show no Nordeste em 2016

Publicado por em Notas às 16h46

Deu na Coluna Dia a Dia desta quarta-feira (11):

Em maio, Madonna vai anunciar sua turnê na América Latina e o Brasil está na lista. Em 2016, São Paulo terá show, mas a surpresa da vez fica por conta da inclusão de Fortaleza, que, pela primeira vez, terá a oportunidade de ter uma apresentação da Rainha do Pop. Já tem alguém ansioso?

Filho de Isabeli Fontana faz cara de raiva em fotos de aniversário

Publicado por em Notas às 12h31

A modelo Isabeli Fontana resolveu preparar uma festinha no Beach Park, em Fortaleza, em comemoração ao aniversário de oito anos de Lucas, seu filho com o ator Henri Castelli. A data oficial é 23 de outubro, mas a celebração só aconteceu na última segunda-feira (10), no parque aquático cearense. Palhaços, piratas e personagens animados foram contratados para embalar a criançada, além de um bolo de chocolate com os dizeres: “Parabéns, Lucas!”. Nada disso foi o suficiente para fazer a alegria do aniversariante. Em todas as fotos divulgadas pelo portal Terra, a criança aparece com cara de “chateada”, posando ao lado da mãe e do irmão mais velho, Zion, fruto do relacionamento de Isabeli com o modelo Álvaro Jacomossi. As imagens caíram na graça dos internautas e viraram o comentário desta terça-feira (11). Dá uma olhada:

Fotos: Felipe Panfili / AgNews / divulgação

Fotos: Felipe Panfili / AgNews / divulgação

aniversario-filho-da-isabelli-fontana-02

aniversario-filho-da-isabelli-fontana-03

aniversario-filho-da-isabelli-fontana-04

aniversario-filho-da-isabelli-fontana-05

aniversario-filho-da-isabelli-fontana-06

aniversario-filho-da-isabelli-fontana-07

aniversario-filho-da-isabelli-fontana-09

aniversario-filho-da-isabelli-fontana-10

Belo faz primeira aparição depois de anunciar pausa na carreira

Publicado por em Notas às 11h53

Depois de alguns dias afastado do público devido a problemas de estafa e suspeitas de síndrome do pânico, o cantor Belo gravou um vídeo para os fãs na noite desta quarta-feira (8). É a primeira vez que ele aparece desde que seu estado de saúde virou assunto nacional e o músico anunciou uma pausa na carreira. Na gravação, ele convida o pessoal para curtir seu show em Fortaleza, dia 1º de novembro. “Galera linda de Fortaleza, estou aqui para convidar todos vocês para o próximo dia primeiro de novembro. Eu vou estar no Musique fazendo uma grande festa, um super show e, lógico, conto com a presença de vocês. É a minha volta aí no Nordeste”, disse o pagodeiro que cancelou seu último show no Recife, no fim do mês passado.

Estafa foi motivo do cancelamento da vinda de Belo ao Samba Recife
Belo anuncia pausa na carreira
Saúde de Belo pode estar mesmo bem fragilizada

Fortaleza, 4 de julho: para ficar na memória da Copa

Publicado por em Notas às 23h17

Se você imagina 24h de Carnaval, consegue ter uma ideia do que foi Fortaleza nesta sexta, dia 4 de julho. Música, alegria, animação, hino, muitos beijos, abraços e confraternização total. Mas antes de falar sobre o pós-jogo na Arena Castelão, vamos contar da odisseia de sair do Recife e pegar nove horas de carro até aqui. Eu disse no-ve!

AC040714018Saímos na quinta à tarde, na hora do almoço. Tentamos de todas as formas conseguir um voo. Via Recife, João Pessoa, Mossoró, Natal.. Nada. O jeito foi se “abraçar” com a velha e boa BR 101. E posso dizer: não foi ruim não.

Na quinta à noite, Fortaleza já respirava Copa do Mundo. Coisa bonita de se ver, de vivenciar, de cantar junto. O sentimento era de esperança. Carros passavam com bandeiras, o amarelo dominava as ruas… Até porque a Colômbia também tem um padrão parecidíssimo com a nossa Canarinho.

AC040714041

A sexta começou cedo. Às 7h, fogos de artifícios acordaram os brasileiros. É hoje… A Fan Fest foi ponto de encontro de muitos. Por volta de meio-dia já tinha DJ para animar e gente. Muita gente, mas ninguém queria saber de ficar parado. Nas ruas, só camisa amarela. De ambos os lados.

Para chegar no estádio, ônibus faziam translados gratuitos para os torcedores. Tranquilo. Calmo. Sem maiores problemas.

Todos com pressa. Pressa para chegar cedo e ver o jogo da Alemanha x França. Na Arena Castelão,  muita festa, gente e calor. Muito calor. Para aplacar, cerveja, muita cerveja.

O estádio tinha pouco mais de 60 mil pessoas. Gritando o tempo todo. Cantando. Xingando. Vibrando. Justiça seja feita. Desta vez, deu orgulho. Ninguém se calou. Vários novos gritos de guerra surgiram. Uns impublicáveis, mas o importante é passar energia. E deu certo.

No apito final do juiz, o Castelão veio abaixo. “O campeão voltou!!!”, era o que mais se escutava.

000_DV1807133

Ninguém queria ir embora. Todos queriam ficar mais um pouco. Aproveitar mais um pouco . Viver aqueles momentos – únicos e inesquecíveis – por mais um período. E, lógico, que todos devidamente registrados nos zilhóes de aparelhos celulares.

A volta para casa foi mais enfadonha do que a ida pela quantidade de gente. Fila era quilométrica, mas a animação e excitação da torcida compensavam qualquer espera. E todas as vezes em que passava um colombiano: ah, ah, ah, vai voltar para Bogotá“, pense num mantra…

Neste exato momento, às 22h40, há um barulho ensurdecedor nas ruas de Meireles, bairro em que se encontram vários hotéis e onde se localiza a Fan Fest daqui. Agora, por exemplo, o pessoal está cantando o Hino Nacional.

Com muito orgulho.

Com muito amor.

R2 será a academia do RioMar Fortaleza

Publicado por em Notas às 14h53

Ainda em outubro deste ano, uma das maiores redes fitness da cidade amplia seus serviços para o Ceará. A Academia R2 chega ao RioMar Shopping Fortaleza. Os sócios Rodrigo Longman e Rodrigo Colaço embarcaram na  manhã desta terça-feira (26) e participam, amanhã, de um café-da-manhã com lojistas do futuro centro de compras. Na ocasião, o presidente do grupo JCPM, João Carlos Paes Mendonça, também estará presente. Os empresários adiantaram que a unidade de Fortaleza será nos moldes da unidade de Boa Viagem, no Recife. 

Rodrigo Colaço e Rodrigo Longman, sócios da R2 (Foto: Divulgação)

Rodrigo Colaço e Rodrigo Longman, sócios da R2 (Foto: Divulgação)

Em tempo, a nova filial da R2, em Casa Forte, tem uma nova data para inaugurar: será no dia 16 de junho. A gerente de marketing da rede, Carol Ribeiro, comentou que vai ter festinha de open house.