publicidade
10/06/18
gatosdacopa
gatosdacopa

E se os craques da Copa fossem divas pop?

Publicado por Mirella Martins em Notas às 9:19

Eduardinho Sena
Especial para o Social1

Quando entram em cena, não há estrela quasar que brilhe mais. Paralisam o público, levam ao choro e ao riso, geram uma epifania injustificável e discussões infindáveis sobre quem é melhor. Entre as tantas coisas em comum, cantoras pop e jogadores de futebol rezam a cartilha do espetáculo. Nela, a lição número um propõe se destacar dos demais pela rara habilidade em orquestrar talento, determinação e performance. Há menos de um mês da Copa do Mundo da Rússia, o Social1, sabendo que comparação faz parte do processo de dar sentido às coisas, responde a pergunta do título. Daniel Alves, a gente sentiu tanto o teu corte por lesão, que serás a nossa Lady Gaga no Rock in Rio: “Brazil! I´m devasted”

Neymar/Rihanna
Só andam com seus “parças”, atraem os holofotes naturalmente e não precisam de muitos artifícios para uma festa acontecer em torno deles. Em cena, se sobressaem pela elevada capacidade de criação e hipnose. No topo do mainstream, quando o público mais quer ver show, eles vêm vender cosmético e underwear. Há, ainda, quem prefira colocar o Taison aqui, só que por outros motivos.

Cristiano Ronaldo/Madonna
Não são apenas o apreço aos cosméticos e o exercício da vaidade que une a dupla. A adesão de um rigor espartano para continuar exercendo a profissão em grande estilo e alta performance faz parte da vida do atual melhor jogador do mundo e da eterna rainha do pop. Se cobram e dão muito de si para não deixar o reinado acabar.

Salah/Beyoncé
Difícil encontrar quem esteja em melhor fase que os dois. O egípcio, atacante do Liverpool, tomou pra si a Champions League. Ela, vestida de rainha egípcia, foi a dona do Coachella. Além de levar a sua seleção à Copa após três décadas, Salah usa do poder da sua imagem para levantar bandeiras humanísticas em torno de questões étnicas. Queen B dos gramados!

Messi/Katy Perry
Fases marcadas por corte de cabelos, amplo domínio de palco, talento, versatilidade… Mas falta alguma coisa na carreira dos dois. Há 10 anos, com “I kissed a girl”, a cantora emplacou seu primeiro hit. Nesse interim, nunca conseguiu ganhar um Grammy. Em sua quarta Copa do Mundo, o argentino que foi 2º lugar no Mundial do Brasil, dará a última cartada em busca do título que não tem.

Harry Kane/Adele
Se aos 21 anos, a cantora britânica já havia vendido 30 milhões de discos no mundo. Aos 24, o atacante já é dono da braçadeira de capitão da seleção inglesa e acumula a artilharia do campeonato inglês por duas vezes consecutivas. Com ele em campo, rolling in the deep para a defesa adversária.

Pogba/Camila Cabello
Sem a sombra de Benzema na seleção francesa, o meia tem tudo para brilhar ainda mais no Les Bleus. Assim como Camila em carreira solo após o Fifth Harmony. Será na Rússia que o homem referência do Manchester terá a oportunidade de emplacar a sua “Havana” e “Sangria Wine” pessoal.

Eden Hazard/Ariana Grande – Destaque da chamada “nova geração belga” – uma das equipes promessas do Mundial – o meia do Chelsea é uma das grandes apostas para a Copa 2018. Ariana é a esperança da longevidade pop, mostrando com quantos hits, coreôs e, claro, gritos, se faz uma cantora pop.

Iniesta/ Britney Spears
Já fizeram muito sucesso e, aparentemente, já renderam o caldo que poderiam. Mas sempre tem quem ainda acredite. Essa Copa representa a despedida dele dos gramados – e sem residência em Las Vegas. Toda torcida vale a pena!



FECHAR