publicidade
16/nov
Armênio Dias recebeu a comenda das mãos do embaixador de Portugal no Brasil Framcisco Ribeiro Telles - Fotos: Dayvison Nunes / JC Imagem
Armênio Dias recebeu a comenda das mãos do embaixador de Portugal no Brasil Framcisco Ribeiro Telles - Fotos: Dayvison Nunes / JC Imagem

Armênio Dias é condecorado pelo governo de Portugal

Publicado por Anneliese Pires em Notas às 16:20

Armênio Dias recebeu a comenda das mãos do embaixador de Portugal no Brasil Framcisco Ribeiro Telles - Fotos: Dayvison Nunes / JC Imagem

Armênio Dias recebeu a comenda das mãos do embaixador de Portugal no Brasil Framcisco Ribeiro Telles – Fotos: Dayvison Nunes / JC Imagem

Filho de Portugal, pernambucano de coração, o proprietário do restaurante Leite, Arménio Dias, teve seus serviços prestados em prol do comércio de Lisboa, onde também mantém negócios, reconhecidos nesta segunda-feira. Ele recebeu das mãos do embaixador de Portugal no Brasil, Francisco Ribeiro Telles, a Comenda da Ordem do Mérito Empresarial, na classe comercial, em solenidade ocorrida no Hospital Português, do qual é vice-provedor. Além da mulher, Célia, e da filha Daniela, prestigiaram o empresário: João Carlos Paes Mendonça, o provedor Alberto Ferreira da Costa, a desembargadora Margarida Cantarelli, os médicos Chicão Trindade e Rostand Paraíso…

Armênio Dias entre os amigos João Carlos Paes Mendonça e Alberto Ferreira da Costa

Armênio Dias entre os amigos João Carlos Paes Mendonça e Alberto Ferreira da Costa

“Esta comenda é um reconhecimento a tudo o que Armênio fez e também um estímulo para que continue a fazer sempre com o mesmo empenho e dedicação um trabalho que orgulha a todos nós”, afirmou o embaixador minutos antes de entregar a medalha.  Em seu discurso, Armênio relembrou sua trajetória desde que decidiu sair de Portugal para tentar a vida no Brasil.”Esse reconhecimento da minha pátria tem um valor inesquecível. Saí de lá ainda jovenzinho em procura de melhores condições econômicas e também porque seria convidado a combater nas colônias portuguesas. Preferi vir para o Brasil que era mais calmo”, contou. F



PUBLICIDADE
FECHAR