publicidade
05/12/17
Foto: DariuszSankowski/Pixabay
Foto: DariuszSankowski/Pixabay

Venda de celulares sofre queda no Brasil

05 / dez
Publicado por Renato Mota em Smartphones às 10:12

Apesar da venda de smartphones ter apresentado crescimento se comparado com o terceiro trimestre do ano passado, o mercado de celulares como um todo ficou abaixo das expectativas para o período no País em 2017. É o que aponta o estudo IDC Mobile Phone Tracker Q3, realizado pela IDC Brasil.

Entre os meses de julho e setembro de 2017 foram comercializados 12,4 milhões de aparelhos, 2% a menos do que no mesmo período de 2016. Do total de celulares vendidos, 11,7 milhões foram smartphones, um aumento de 5% – porém, somente 700 mil unidades de feature phones foram vendidas, uma redução de 51%.

Leia mais
Venda de smartphones cai no 2º trimestre, e Samsung fica na liderança

Por outro lado, a receita total aumentou 18% em relação ao terceiro trimestre de 2016, chegando a R$ 13,1 bilhões. Leonardo Munin, analista de pesquisa do mercado de celulares da IDC para América Latina destaca uma mudança de comportamento do brasileiro em relação aos aparelhos. “O consumidor procura por celulares com melhores funcionalidades. Os modelos que oferecem memória interna acima de 32GB representaram 10,6%, do total de smartphones vendidos em 2016. Em 2017, já representam 33% do acumulado das vendas até setembro”, explica o analista.

No ano passado foram comercializados 28,9 milhões de aparelhos com tela acima de 5 polegadas, 65% do total do ano. “Até setembro de 2017, foram vendidos 29,1 milhões destes aparelhos, ou seja, 83% do total”, finaliza Munin. O tíquete médio dos aparelhos no terceiro trimestre de 2017 teve aumento de 12,4% em relação ao mesmo período do ano passado, passando de R$ 994 para R$ 1118.

A expectativa para o fim do ano é que sejam comercializados 13,1 milhões de smartphones e 650 mil feature phones. Já para o ano todo, a previsão é de que sejam vendidos 52,1 milhões de aparelhos, crescimento de 6% em comparação ao ano de 2016.


FECHAR
publicidade