publicidade
06/09/17
Debate sobre música e tecnologia no lançamento do LabSonica. Foto: Renato Mota/MundoBit
Debate sobre música e tecnologia no lançamento do LabSonica. Foto: Renato Mota/MundoBit

LabSonica – Um laboratório de experimentação sonora e musical de alta tecnologia no Rio

06 / set
Publicado por Renato Mota em INOVAÇÃO às 9:28

RIO DE JANEIRO* – A música, nos últimos anos, sofreu mudanças significativas tanto em seus modelos de negócios quanto até na sua produção. Mixagem de som, sound design, equalização e todos os processos pelas quais uma boa experiência sonora passa, podem ser feitos com equipamentos e softwares acessíveis hoje.

Então, se todo mundo é sua própria mídia, como as pessoas criativas de dentro da “garagem” e fazer com que elas trabalhem juntas? São poucos os lugares no País que possuem esse repertório tecnológico aliado ao criativo – e acabamos de ganhar mais um. Bandas, músicos, produtores, pesquisadores da arte sonora, gravadoras independentes e até desenvolvedores de aplicativos se encontrarão no LabSonica, o laboratório de experimentação sonora e musical criado pela Oi e pela Oi Futuro, no Rio de Janeiro.

O lançamento do empreendimento aconteceu nesta segunda (04), no prédio administrativo do instituto Oi Futuro, no Flamengo, onde também funcionará o laboratório, poucas casas adiante. A ideia é que o espaço possa reunir projetos sonoros diversos, que serão viabilizados como produções independentes selecionadas por meio de editais públicos. O primeiro edital de residência está disponível para consulta pública a partir desta segunda no site do Oi Futuro e o empreendimento tem previsão de abertura para dezembro.

O lançamento do LabSonica contou com uma amostra do que se espera que o laboratório produza: shows, DJs, performances, artistas sonoros, debates sobre o mercado musical no Brasil e outras atrações, com curadoria coletiva de projetos parceiros (os festivais Multiplicidade, A.Nota, Levada, Novas Frequências e BIG – Brazil’s Independent Games Festival).

“O LabSonica é uma plataforma de lançamento de novos criadores, cantores, bandas e festivais, consolidando a vocação do Oi Futuro de catalisador das novas linguagens contemporâneas”, diz Roberto Guimarães, gestor de Cultura do Oi Futuro. “Temos um histórico de fomento e envolvimento com a musica, mas depois de uma imersão no segmento, queremos dar mais espaço para o começo é o meio da produção do som”, completa.

Roberto Guimarães, gestor de Cultura do Oi Futuro. Foto: Renato Mota/MundoBit

Além de estúdios de gravação, salas de ensaios e coworking para selos e gravadoras independentes, o espaço terá suporte técnico e estrutura física para produção musical, arte sonora, espaço maker, oficinas de DJ e de sound design, workshops e pocket shows. O estúdio tem projeto assinado pelo produtor musical Rodrigo Vidal e o engenheiro de gravação Carlos Duttweller. “Queremos atrair artistas, produtores e pesquisadores para ocuparem nosso novo espaço, onde terão condições privilegiadas para desenvolverem ideias originais, trocarem entre si e reverberarem seus projetos para a cidade”, explica Roberto Guimarães.

O estúdio do LabSonica é equipado com modernos equipamentos digitais, mas também conta com tecnologia analógica, para poder abraçar os mais diversos tipos de projetos que possam ser trazidos. “Chegamos a nos perguntar, no século 21, onde é possível fazer quase tudo com um smartphone e um software, a relevância de um estúdio. Mas conversando com nossos parceiros percebemos que era importante inclusive permitir que artistas que nunca estiveram num estúdio profissional possam se apossar do local”, acredita Roberto.

*Repórter viajou à convite da Oi


FECHAR
publicidade