publicidade
17/maio
facebook
facebook

Você não vai acreditar no que o Facebook quer fazer com quem usa manchetes “caça-clique”

17 / maio
Publicado por Renato Mota em Redes sociais às 15:03

Quantas vezes você já clicou num post no Facebook só por causa do título sensacionalista – e acabou fechando a página ou voltando para seu feed de notícias decepcionado? Essa prática, que abusa de manchetes como “você não vai acreditar nisso” ou “saiba o que fulano falou/fez” é chamada de clickbait, ou caça-clique, e serve para atrair a atenção do usuário e levá-los a clicar no link.

É uma mania que está tomando conta das redes socias (sempre fui contra e tenho verdadeiro asco), mas parece estar com os dias contados. O Facebook anunciou hoje que fará uma série de atualizações para reduzir o uso de caça-cliques para melhorar a experiência no Feed de Notícias e “diminuir o impacto da desinformação na nossa comunidade”.

A rede social usará inteligência artificial para identificar frases e termos geralmente usados em manchetes ‘caça-cliques’, um trabalho semelhante ao que é feito para filtrar spams em e-mails.

“Percebemos que as pessoas não gostam de manchetes com tendência a reter informações ou enganar o leitor. Em vez disso, elas preferem chamadas claras e precisas. As atualizações que estamos fazendo usam a tecnologia para reduzir a presença dos ‘caça-cliques’, criando uma comunidade mais informada”, explica Greg Marra, gerente de Produto do Facebook.

Processo

Depois de categorizar milhares de publicações como clickbait, uma equipe do Facebook reuniu um conjunto de manchetes e palavras-chave para servir como filtros iniciais para identificar títulos destinados a chamar a atenção e atrair as pessoas para clicarem em um link. As novas ferramentas serão testadas em mais uma dúzia de idiomas, incluindo o português, espanhol e francês.

Os alvos do Facebook são principalmente posts que intencionalmente escondem informações cruciais e forçam o usuário a clicar no link para saber mais (ex: “Quando ela olhou debaixo de seu sofá e viu ISSO…”) e manchetes que exageram na importância do fato noticiado tendem a fazer a história parecer algo maior do que realmente é (ex: “UAU! O chá de gengibre é o segredo da juventude eterna. Você TEM que ver isso!”).

A rede social alerta ainda que páginas que dependem de títulos caça-cliques “devem esperar que sua distribuição diminua”. “Páginas devem evitar chamadas que retenham informações necessárias para oferecer o conteúdo completo de um artigo e também aquelas que exageram, com a intenção de criar expectativas enganosas. Caso a Página pare de publicar esses tipos de conteúdo, suas postagens deixarão de ser impactadas pela mudança”, completa o comunicado.

 


FECHAR
publicidade