publicidade
26/01/17
Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Só a banda larga fixa cresceu em 2016, afirma Anatel

26 / jan
Publicado por Renato Mota em TELECOM às 10:57

As TVs por assinatura encolheram 1,63% em 2016, perdendo 311.362 assinantes em 2016. A telefonia móvel, que já foi a menina dos olhos do setor de telecomunicações, na época que “menina dos olhos” era uma expressão popular, viu 13.747.515 linhas serem canceladas, uma redução de 5,33% no ano passado.

Telefonia fixa, nem se fala… Manteve a tendência de queda registrada em outros anos, diminuindo 6,30%, menos 1.148.680 de linhas. Só a banda larga fixa escapou da foice de 2016, de acordo com a Anatel. “Os 1.104.483 novos contratos representaram um crescimento de 4,33% no serviço de transmissão de dados”, afirma a agência.

Em Pernambuco, foram 12.422 contratos a mais, um aumento de 2,46%. Mas impressionante mesmo foi o crescimento dos estados do Amapá, Maranhão e Rondônia, que apresentaram crescimento de 19,73%, 13,03% e 10,80% respectivamente. “No entanto, de novembro de 2016 a dezembro de 2016, o serviço apresentou queda de 0,58% no número de contratos no País”, completa o comunicado da Anatel.

Leia mais
Anatel contraria ministro em relação ao limite da banda larga: “nenhuma intenção de reabrir a questão”
Telefonia móvel no Brasil registra queda de um milhão de linhas, segundo Anatel

Quem mais aumentou sua base foi a Tim (Telecom Italia), que apresentou uma ampliação de 29,04%, seguida pela Sky com 17,46% e a prestadora Cabo com 14,38% de crescimento. Em números absolutos, quem ganhou mais clientes foi a Telecom Americas (Net/Claro), com 301.278 novos contratos (aumento de 3,71%) e a Telefônica/GVT, com 186.536 novos clientes (2,56%).

“Destaque para os pequenos grupos que, com menos de 50 mil contratos, apresentaram crescimento de 18,05% de assinantes”, aponta o relatório da agência. A tecnologia DSL, que utiliza a estrutura da telefonia convencional para o transporte de dados, continuou sendo a mais usada pelos brasileiros com 13,38 milhões de usuários, seguida pelo cabo com 8,58 milhões e a fibra ótica com 1,73 milhão.

Telefonia Móvel

A diminuição nos números da telefonia móvei foi mais impactante nas regiões Norte e Nordeste. As maiores retrações foram no Rio Grande do Norte (-11,75%), Alagoas (-10,94%) e Pernambuco (-10,9%).

Oi, Claro (Telecom Américas) e Tim (Telecom Italia) apresentaram queda e a Vivo (Telefônica) se manteve estável ano passado. “O serviço pós-pago apresentou grande crescimento no em 2016, chegando a quase um terço dos acessos e no último mês do ano o pré-pago apresentou queda de 3,11% com um acumulado de menos 10,75% no ano”, informa a Anatel.

No setor de dados móveis, o 4G registrou crescimento de 136,20% ano passado, com 34.657.660 novas linhas – graças ao investimento que as operadoras têm feito em ampliar suas áreas de cobertura. Outras tecnologias apresentaram redução tanto na variação anual quando de novembro para dezembro.

TV por assinatura e telefonia fixa

Também no setor da TV paga, Pernambuco está encabeçando a lista de perdas, com -9,73%, seguido por Amapá, com -7,34% e Rondônia, com – 7,3%. Piauí, Sergipe e Pará foram os Estados onde houve crescimento maior, de 6,96%, 2,18% e 2,10% respectivamente.

Já na telefonia fixa, o Amapá perdeu um quarto das suas linhas (-25,44%), seguido por São Paulo (-12,45%, a maior em termos absolutos, com 828.572 linhas a menos) e Roraima (-9,72%).


FECHAR