publicidade
23/06/16
zapgolpe
zapgolpe

“Veja quem visitou seu perfil” – Golpe do Facebook mudou e agora mira usuários do WhatsApp

23 / jun
Publicado por Renato Mota em Redes sociais às 15:50

Gente, que mania (porque isso é uma MANIA) é essa de querer saber a todo custo quem visitou o seu perfil nas redes sociais? A todo custo mesmo, pois nesse caso envolve segurança.

Mais um toque da galera da Kaspersky: está rolando um novo golpe entre usuários do WhatsApp que usa a mesma técnica de engenharia social das campanhas maliciosas que rodavam no Facebook: a promessa de ativação de um recurso para saber quem visitou seu perfil.

Deixa eu explicar uma coisa para vocês: isso não existe na plataforma. Ou, como diria o Padre Quevedo, “isso non ecxiste!”. Parem de cair nessa!

A mensagem maliciosa chega por meio de algum contato da vítima e apresenta a mensagem “Quem visitou seu perfil do WhatsApp? Sabe quem xeretou seu perfil?”. Os especialistas da Kaspersky atentam para um detalhe que pouca gente percebe: os caras estão usando gírias brasileiras para tentar te convencer. Mas, sério… “xeretou”? Quem fala isso? É golpe, mo véi!

Olha o golpe vindo, muleke!
Olha o golpe vindo, muleke!

Ao clicar, o usuário é direcionado ao site que oferece o recurso falso e cobra o compartilhamento da fraude para dez contatos ou três grupos. “Se a vítima seguir as orientações, após o compartilhamento, ela será redirecionada para diversos sites de propaganda – mas nenhum deles sobre o recurso prometido. As ofertas apresentadas são de conteúdos premium e, caso a vítima faça o cadastro do seu número em algum deles, receberá a cobrança do serviço na fatura ou a taxa será debitada de seus créditos. É neste momento que o cibercriminoso ganha dinheiro”, explica a Kaspersky.

O empresa alerta ainda que estas campanhas funcionam e colecionam vítimas. “Basta fazer uma rápida busca nos sites de reclamações de consumidores para encontrar uma grande quantidade de pessoas reportando que seus créditos do celular foram descontados indevidamente, justamente por terem se cadastrados em serviços como estes”, explica Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab no País.

Se você já caiu, deve entrar em contato com sua operadora móvel e solicitar o cancelamento da assinatura. Também deve ficar atento para não instalar aplicativos oferecidos por sites fraudulentos, pois alguns deles contêm adware (vírus que exibe propaganda) ou programas espiões que podem infectar o dispositivo.


FECHAR