Arquivo da tag: Paulo Câmara

legislativo

Apesar de negar interferência na Alepe, Paulo Câmara ressalta qualidades de Guilherme Uchoa

Publicado em 23/12/2014 às 15:47 por em Notícias
Foto: Mayra Cavalcanti/NE10

Foto: Mayra Cavalcanti/NE10

Em meio à polêmica sobre a possível candidatura do deputado estadual Guilherme Uchoa (PDT) ao quinto mandato como presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o governador eleito Paulo Câmara (PSB) negou, em entrevista à Rádio Jornal, nesta terça-feira (23), que o poder executivo vá interferir no processo na Casa, porém ressaltou qualidades do parlamentar e afirmou que ele sinalizou apoio ao seu governo.

“Tenho em Guilherme um companheiro que eu acompanho há muito tempo, que ajudou Eduardo, que ajudou João Lyra, que é um deputado muito bem votado, um dos melhores votados do Estado, e que sempre demonstrou, em todas as nossas conversas, uma clara disposição de ajudar meu governo e eu conto com ele para isso também”, disse, questionado se teme que o deputado vá para a oposição.

LEIA MAIS
» Guilherme Uchoa diz que não é o único a ficar mais de oito anos
» Procuradoria da Alepe deve defender candidatura à reeleição de Guilherme Uchoa
» Após morte de Eduardo Campos, Guilherme Uchoa pode experimentar inédita resistência dos socialistas
» OAB-PE diz que reeleição de Guilherme Uchoa é inconstitucional e promete levar caso à Justiça

“Ele anseia ser presidente e é legítimo dentro do que cabe a cada parlamento ter representantes que queiram almejar o cargo de presidente”, defendeu Câmara. “O que eu tenho dito a Guilherme e a todos os deputados que me procuraram para conversar sobre essa questão é que é preciso que a base de apoio do governo esteja unida e que siga nessa união para ver um nome que reflita os interesses deles, que possa representá-los, e a gente tenha na Assembleia Legislativa pessoas comprometidas com o nosso projeto”, acrescentou.

Uchoa enfrenta resistência até entre os próprios socialistas. A palavra de ordem, para destronar Uchoa agora, é usar e exigir o critério da proporcionalidade entre os partidos na casa, o mesmo que havia sido apresentado a Eduardo Campos lá atras e foi ignorado, na ocasião. Naquela época, o PSB já tinha obtido a eleição de 13 parlamentares. O número agora subiu para 15 deputados estaduais, enquanto o PDT de Guilherme Uchoa entrou e saiu das eleições fragmentado, com uma parte apoiando a oposição e outra apoiando Paulo Câmara.

Tags: Alepe, Guilherme Uchoa, Paulo Câmara,
a partir do dia 1º

Ao contrário de Renata Campos, futura primeira-dama não assumirá cargo no governo

Publicado em 23/12/2014 às 14:54 por em Notícias
Foto: Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Foto: Foto: Diego Nigro/JC Imagem

A esposa do governador eleito Paulo Câmara (PSB), Ana Luiza Câmara, continuará exercendo as suas funções de juíza na capital pernambucana mesmo a partir do dia 1º de janeiro, quando o socialista for empossado no Palácio do Campo das Princesas.

No entanto, Ana Luiza pediu autorização ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para conciliar a vida profissional à rotina de primeira-dama. Dessa forma, poderá estar perto do marido em eventos que demandarem a sua presença.

Segundo Paulo Câmara, no entanto, respeitará as limitações de horário e das suas funções. No intervalo da entrevista que concedeu nesta terça-feira (23) à Rádio Jornal, o governador eleito explicou que, como ela é responsável por causas cíveis, dificilmente ficará à frente de processos que envolvam o Estado, porém, se isso ocorrer, se afastará do caso.

Desde 2007 até este ano, Renata Campos (PSB), viúva do ex-governador Eduardo Campos (PSB), era gerente do Programa Mãe Coruja, instituído no primeiro ano de mandato do socialista com o objetivo de reduzir a mortalidade materna e infantil em Pernambuco. “Renata é servidora do Estado e ficou à disposição do Estado”, disse. A ex-primeira-dama é auditora do Tribunal de Contas do Estado (TCE), assim como Câmara e Eduardo.

Tags: Governo de Pernambuco, Paulo Câmara, primeira-dama, programa mãe coruja, Renata Campos,
celebração

Em respeito a Eduardo, Paulo Câmara fará cerimônia da posse discreta

Publicado em 23/12/2014 às 13:53 por em Notícias
Paulo Câmara em entrevista após diplomação. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem.

Paulo Câmara em entrevista após diplomação. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem.

Do Jornal do Commercio, desta terça-feira (23)
Por Franco Benites

Quando o PSB chegou ao poder em 2007, a posse do então governador Eduardo Campos foi festejada com toda a pompa possível. Caravanas de trabalhadores rurais, organizadas por entidades como a Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Pernambuco (Fetape), e moradores de diversas cidades pernambucanas se aglomeraram em frente ao Palácio do Campo das Princesas para ver o neto de Miguel Arraes assumir o governo.

No dia 1º de janeiro de 2015, a cerimônia que oficializará Paulo Câmara (PSB) como chefe do Executivo estadual será mais discreta. “Vamos fazer uma posse simples, mais para cumprir o rito e as pessoas que forem poderem falar comigo”, disse ele.

A ausência de um evento grandioso se dará por algumas razões. A posse de Paulo Câmara ocorrerá cerca de cinco meses após a morte do ex-governador e a tristeza pelo acidente que o vitimou ainda é muito presente entre os socialistas – tanto que o PSB não realizou a tradicional confraternização de fim de ano. Além do mais, o governador eleito não tem o mesmo peso político de Eduardo. Some-se a isso a falta de apoio de alguns sindicatos ao PSB.

“Não haverá nenhuma movimentação de caravanas para o Recife”, explica o presidente da Fetape, Doriel Barros, projetando um cenário bem diferente do de 2007 quando 1,5 mil trabalhadores rurais desembarcaram no Recife para assistir a posse. Caravanas, se houver, serão articuladas por prefeitos que ajudaram Paulo a garantir a vitória.

Se em 2007 o discurso de Eduardo pregava o início de um “tempo novo” e pequenas críticas às gestões de Jarbas Vasconcelos (PMDB) e Mendonça Filho (DEM), a expectativa é que Paulo foque na importância de dar continuidade ao legado do padrinho político. Após discursar, Paulo receberá os cumprimentos nos jardins do Palácio.

Apesar das críticas veladas que recebeu do governador João Lyra (PSB) no último domingo, o socialista não deve estimular o fogo amigo ao ser empossado. Uma prova disso é que ontem Paulo teve a chance de comentar a entrevista do colega de partido e escolheu as palavras com cuidado. “João Lyra tem as posições dele e a gente respeita. Ele teve um desafio muito grande nesses nove meses e cumpriu os compromissos que pôde cumprir e que combinou com Eduardo”, disse.

ASSEMBLEIA – Antes da cerimônia de transmissão de cargo no Palácio, às 16h, Paulo participará da solenidade de posse, na Assembleia Legislativa, às 15h. O plenário estará reservado aos parlamentares eleitos e atuais, às autoridades convidadas e aos familiares do socialista e do vice-governador eleito Raul Henry (PMDB). A exemplo do que fez na posse de Lyra este ano, o cerimonial da Assembleia colocará um telão no pátio do prédio da Alepe e montará uma estrutura com toldo, cadeiras, ventiladores e banheiros químicos.

Tags: eduardo câmara, Paulo Câmara, posse,
será?

Apesar de queixas de FBC e João Lyra, Geraldo Julio vê PSB unido

Publicado em 22/12/2014 às 12:37 por em Notícias
Foto: Amanda Miranda/NE10

Foto: Amanda Miranda/NE10

Desde a semana passada, o que se chama “fogo amigo” no jargão político é o que não tem deixado o governador eleito de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), em paz. Apesar das queixas do futuro senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) e das críticas do antecessor de Câmara, João Lyra, ao correligionário, o prefeito do Recife, o também socialista Geraldo Julio afirmou, nesta segunda-feira (22), após a entrevista de uma hora que concedeu à Rádio Jornal, que a legenda está unida nos âmbitos nacional e regional.

Do time do futuro gestor, Geraldo Julio disse que o questionamento de Lyra à liderança de Câmara, publicada no Blog de Jamildo nesse sábado (22), foi um erro de interpretação.

“Não vi isso. Não vejo como um questionamento ao papel de liderança. Acho que a leitura não está correta. Acho que ele faz uma observação de que Paulo é uma pessoa muito jovem e que forma a sua primeira vitória nessa eleição, agora, que tem uma carreira muito longa pela frente. Eu leio assim o que eu vi no jornal ontem”, afirmou o prefeito.

LEIA MAIS
» Prestes a deixar Palácio, João Lyra questiona liderança de Paulo Câmara: sem trajetória
» Tempo dirá se Paulo Câmara acertou ao colocar Thiago Norões no secretariado, afirma João Lyra
» Paulo Câmara esnoba indicação de Fernando Bezerra Coelho, que reclama publicamente 
» “Eu escolhi essa equipe”, diz Paulo Câmara em recado para FBC

Para Geraldo Julio, as considerações feitas pelos outros socialistas surgem normalmente no partido que perdeu a sua principal liderança, o ex-governador Eduardo Campos, esse ano, em acidente aéreo.

“Acho que é natural no meio do caminho algumas observações, posições que em alguns determinados momentos possam vir a surgir. Faz parte do processo”, disse.

Para ele, a expectativa é de que Câmara consiga conduzir bem o Governo de Pernambuco, do qual foi secretário de Administração, Turismo e Fazenda durante os sete anos de Campos à frente do Palácio do Campo das Princesas.

“Paulo é um craque”, apontou o prefeito, que, da mesma forma que o governador eleito, tinha perfil técnico e passou a assumir o seu lado político nos dois anos de gestão.

A perspectiva de Geraldo Julio vem no momento em que o aliado é questionado sobre as suas escolhas, principalmente para a pasta de Desenvolvimento Econômico, que delegou ao ex-procurador-geral do Estado, Thiago Norões, primo de Eduardo.

Tags: Fernando Bezerra Coelho, Geraldo Julio, João Lyra, Paulo Câmara, psb,
não é bem assim para Lyra...

Empresários aprovam Thiago Norões para pasta de Desenvolvimento Econômico

Publicado em 21/12/2014 às 15:03 por em Notícias
Foto: BlogImagem

Foto: BlogImagem

Por Scheila Borges
Na coluna Pinga-fogo, do Jornal do Commercio

Um homem que sabe de tudo

Foi recebida com festa por empresários e empreiteiros a confirmação de que Thiago Norões vai comandar a Secretaria de Desenvolvimento Econômico na gestão de Paulo Câmara. O grupo considera que o ex-procurador-geral do Estado é o nome adequado para destravar projetos e descascar os pepinos da gestão pública. Tem experiência e conhecimento para fazer a máquina moer.

LEIA TAMBÉM
» Tempo dirá se Paulo Câmara acertou ao colocar Thiago Norões no secretariado, afirma João Lyra
» Prestes a deixar Palácio, João Lyra questiona liderança de Paulo Câmara: sem trajetória
» O perfil do secretariado de Paulo Câmara

Tags: empresários, Governo de Pernambuco, Paulo Câmara, Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Thiago Norões,
primeiro escalão

Seguindo exemplo de Eduardo Campos, Paulo Câmara quer secretariado integrado

Publicado em 20/12/2014 às 17:26 por em Notícias
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

“Secretário não pode estar isolado, tem que estar conversando com todos. As políticas têm que estar integradas”. Foi o que afirmou o governador eleito Paulo Câmara após a primeira reunião realizada com o alto escalão do seu governo, neste sábado (20), no escritório de transição, no Recife. O secretariado foi anunciado na última segunda-feira (15), com maioria de nomes que integraram a gestão de Eduardo Campos (PSB), padrinho político de Câmara que tinha como hábito agregar aqueles que considerava sua mão direita. O próprio Paulo foi secretário por sete anos, nas pastas de Administração, Turismo e Fazenda.

A poucos dias de assumir o Palácio do Campo das Princesas, Câmara afirmou ter transmitido aos secretários a “necessidade de estar sempre procurando oportunidades para melhorar sua pasta”. Para alinhar informações sobre o Estado, um dos objetivos da reunião, o encontro começou com uma palestra da economista Tânia Bacelar sobre as perspectivas e os cenários econômicos em Pernambuco, nacionalmente e no contexto mundial. “Se mantivermos esse ritmo de crescer dois pontos percentuais a mais que o Brasil, temos tudo para superar bem qualquer tipo de dificuldade que haja em 2015″, disse o socialista após a reunião.

LEIA MAIS
» Com crescimento do PIB, Pernambuco pode superar dificuldades, diz Paulo Câmara
» Paulo Câmara promete concurso para policiais civis e militares

Depois da fala de Bacelar, o atual secretário de Planejamento e futuro gestor da pasta de Educação, Fred Amâncio, apresentou as metas do Pernambuco 2035, iniciativa idealizada por Eduardo Campos para elaborar um plano estratégico que prepare o Estado para os desafios do futuro, projeto lançado pelo seu sucessor, João Lyra (PSB), na semana passada.

“Foram informes para ter condições de governar Pernambuco com a nova equipe e não haver nenhum tipo de descontinuidade em virtude dessa mudança de comando”, afirmou Câmara, questionado sobre as perspectivas econômicas apresentadas na reunião.

LEIA TAMBÉM
» Prestes a deixar Palácio, João Lyra questiona liderança de Paulo Câmara: sem trajetória
» Tempo dirá se Paulo Câmara acertou ao colocar Thiago Norões no secretariado, afirma João Lyra
» João Lyra reconhece necessidade de ajustes no Pacto Pela Vida

Para Paulo Câmara, uma das prioridades da gestão que começa em menos de duas semanas é de concluir obras que estão em andamento. Entre as polêmicas, está a construção do Complexo de Ressocialização de Itaquitinga, na Zona da Mata pernambucana, apresentada como uma forma de atenuar os efeitos do calo do sistema prisional, que se arrasta desde 2009 em uma Parceria Público-Privada (PPP) e está parada. Cerca de 85% do presídio estão finalizados. Além dessa obra, quando assumir, Paulo Câmara deverá se deparar com questionamentos da população sobre empreendimentos de mobilidade urbana, como os corredores de BRT e a navegabilidade do Rio Capibaribe.

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Em meio a discussões sobre os resultados negativos do Pacto pela Vida este ano, o governador eleito ainda prometeu convocar concursos públicos para ampliar o quadro de policiais civis e militares. Embora não tenha divulgado detalhes, como o número de vagas, o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, que continuará no cargo, adiantou que 100 delegados serão selecionados.

Diante das dificuldades financeiras esperadas para o próximo ano, Paulo Câmara já havia anunciado, na última segunda-feira, que iniciará 2015 com a meta de reduzir a folha de pagamento dos cargos comissionados em 20%. Seguindo o futuro governador, o projeto de reforma das secretarias que será enviado para Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) já provocará essa redução.

Tags: Governo de Pernambuco, Paulo Câmara, psb, secretariado,
para atingir metas

Paulo Câmara promete concurso para policiais civis e militares

Publicado em 20/12/2014 às 16:15 por em Notícias
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Em entrevista após a primeira reunião com o seu secretariado, neste sábado (20), o governador eleito Paulo Câmara (PSB) prometeu abrir concurso público para ampliar o quadro de policiais civis e militares em Pernambuco. O secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, que continuará no cargo, adiantou que vai fazer prova para selecionar 100 novos delegados.

No entanto, Câmara não informou mais detalhes sobre o certame. “É uma área que a gente vai estar permanentemente fazendo concurso, tanto para a Polícia Militar quanto para as outras polícias”, disse apenas.

LEIA TAMBÉM
» Com crescimento do PIB, Pernambuco pode superar dificuldades, diz Paulo Câmara
» João Lyra reconhece necessidade de ajustes no Pacto Pela Vida
» Pela primeira vez, Pacto pela Vida deve fechar o ano com resultado negativo

A ideia do governador que assumirá o Palácio do Campo das Princesas no próximo dia 1º é iniciar o processo após o prazo final para chamar os aprovados no último concurso para PMs, realizado em 2009 e com validade em fevereiro de 2015.

Faltando pouco para deixar o cargo, João Lyra (PSB) autorizou a Secretaria de Defesa Social (SDS) a formar 500 novos policiais entre os aprovados no exame.

Foto: Amanda Miranda/NE10

Foto: Amanda Miranda/NE10

Um grupo que fez a prova esteve no Centro de Convenções nessa sexta-feira (19), na diplomação de Paulo Câmara e dos outros eleitos em Pernambuco, levando mensagens positivas ao socialista, apesar da reivindicação de convocar mais PMs.

Tags: Governo de Pernambuco, Paulo Câmara, polícia militar, Secretaria de Defesa Social,
quem é o líder?

Prestes a deixar Palácio, João Lyra questiona liderança de Paulo Câmara: sem trajetória

Publicado em 20/12/2014 às 14:00 por em Notícias
Foto: BlogImagem

Foto: BlogImagem

A duas semanas de deixar o Palácio do Campo das Princesas, o governador João Lyra Neto (PSB) questionou a capacidade de liderança do sucessor, o governador eleito Paulo Câmara (PSB), durante a entrevista de final de ano concedida ao Blog de Jamildo e ao Jornal do Commercio; disse que o processo de escolha de Câmara como candidato foi equivocado e alegou que Paulo não poderá depender da história do ex-governador Eduardo Campos.

“Eu não acredito em substituição de liderança. E nem que o cargo faz da pessoa líder”, cravou o atual governador durante a conversa de uma hora e meia concedida em seu gabinete, no primeiro andar do Palácio. “Eduardo Campos tinha o legado ideológico do Dr. Arraes e passou trinta anos até ser governador. A começar como chefe de gabinete, deputado estadual, secretário duas vezes, deputado federal e ministro de estado. Então tinha uma trajetória, diferentemente do governador Paulo Câmara. Ele surgiu em um momento em que tinha Eduardo Campos como líder”, afirmou.

LEIA TAMBÉM:
» Tempo dirá se Paulo Câmara acertou ao colocar Thiago Norões no secretariado, afirma João Lyra
»  Tive dificuldade de gerenciar a máquina, diz João Lyra
» João Lyra defende fim da reeleição, mandato de 5 anos e fala em nova Constituinte
» João Lyra reconhece necessidade de ajustes no Pacto Pela Vida
» Raquel tem todas as credenciais para ser prefeita de Caruaru, avalia João Lyra

Lyra foi vice de Eduardo Campos durante mais de sete anos. Apoiou o ex-governador, falecido em agosto, quando ele amargava 3% das intenções de voto nas pesquisas, em 2006. Como vice, foi um aliado fiel e, por isso, até o início de 2014, acreditava ser o candidato natural à sucessão estadual. “Todos os governadores eleitos – com exceção de Eduardo Campos, que substituiu essa trajetória porque foi ministro -, ou foram vice governadores ou prefeito do Recife. Sem exceção, ganhando ou perdendo a eleição”, diz.

Foto: BlogImagem

Foto: BlogImagem

Nos bastidores, o que se comenta é que Lyra teria ficado magoado ao ser preterido por Câmara. Questionado, ele nega, mas não deixa de criticar o processo de escolha da candidatura de Paulo por Eduardo, que na época buscava um nome jovem com condições de representar a tese de “nova política” que seria adotada na campanha presidencial.

“O que aconteceu na decisão? A forma foi equivocada do governador Eduardo Campos. Deveria ter feito uma ampla discussão na escolha do candidato. Então, não houve essa discussão. Eu vim saber no dia em que Paulo Câmara foi anunciado. E disse a ele numa conversa reservada. Houve um equívoco. Mas isso foi praticado por Eduardo Campos como líder do partido e líder do Estado”, confessa.

“Aí aconteceu a tragédia. Vamos ter que construir ou reconstruir essa liderança. E tem que ser conquistada pelo líder. Não pode ser delegado: fulano vai ser meu substituto. Não existe isso. Dr Arraes não disse que Eduardo ia ser seu sucessor. Apenas Eduardo conquistou através de sua trajetória a condição de ser o líder do PSB estadual e nacionalmente”, afirma ainda. Durante a campanha, mais de uma vez, o filho de Eduardo, João Campos, pediu voto para Paulo Câmara dizendo que ele teria sido escolhido pelo pai para ser o novo líder de Pernambuco.

ÁUDIO:
» Ouça o áudio da entrevista de João Lyra ao SJCC

Desde a morte de Eduardo Campos, Paulo Câmara e o prefeito do Recife, Geraldo Julio, têm se cacifado como os principais líderes do PSB em Pernambuco, apesar de serem técnicos sem muita experiência política. João Lyra, por outro lado, faz questão de dizer que a liderança do partido no Estado ainda precisa ser construída e que não basta ser prefeito ou governador para comandar a legenda.

“São dois cargos importantes. Duas pessoas respeitadas. Mas vão ter que construir suas lideranças”, lembrou. “O líder tem os liderados independentemente do cargo. O cargo fortalece. Quem vai ser o líder futuro do PSB? Sinceramente, só o tempo vai dizer”, disse.

Perguntado se Paulo Câmara precisa descolar sua imagem da do ex-governador Eduardo Campos após assumir o mandato, o caruaruense alertou que a gestão de Câmara precisa estar descolada da história deixada pelo padrinho político.

“Sabe qual a questão? Eduardo foi um grande governador que encerrou tragicamente sua trajetória. Ele faz parte da história. A realidade para Paulo Câmara como governador vai começar 1º de janeiro”, avisa o caruaruense.

“Conselho não se dá, mas desejo que ele cumpra todos os compromissos assumidos durante a campanha. Independentemente da equipe que convocou. Ele tem um compromisso: com o povo pernambucano. Ele vai ser julgado pelo seu governo”, deixou o recado.

Ouça a entrevista abaixo:











Tags: Governo de Pernambuco, João Lyra, liderança, palácio do campo das princesas, Paulo Câmara,
"chantagistas e bajuladores"

Tempo dirá se Paulo Câmara acertou ao colocar Thiago Norões no secretariado, afirma João Lyra

Publicado em 20/12/2014 às 13:59 por em Notícias
Foto: BlogImagem

Foto: BlogImagem

Instado a comentar a nomeação do ex-procurador Thiago Norões para a secretaria de Desenvolvimento Econômico mesmo depois de ele ter deixado o Governo do Estado após desentendimentos com o chefe do Executivo, o governador João Lyra Neto (PSB) nega que o episódio tenha causado incômodo, mas lavou as mãos quanto a escolha do sucessor Paulo Câmara. Ainda que ele não tenha comparecido ao anúncio da equipe do futuro governador.

“A saída dele foi por não atender às conveniências da minha gestão. Resolveu pedir demissão. Agora se o governador Paulo Câmara entende que pode desenvolver um trabalho importante na secretaria que ele colocou, só o tempo vai dizer se ele está correto ou não”, disse.

LEIA TAMBÉM:
» Turma de João Lyra também não gostou do secretariado de Paulo Câmara

“Olha, mas o que eu tenho muito cuidado, uma restrição, é com alguns tipos de políticos. Ou bajulador, que só eu acerto e tudo está correto. Ou chantagista, que só faz as coisas em troca de alguma vantagem. Então o chantagista e o bajulador, eu tenho uma filtragem muito forte ao que eles me dizem. Isso faz parte da relação humana. Mas na política isso é muito evidenciado. Essa relação de promiscuidade na política tem que mudar”, emendou o governador, ainda na mesma pergunta.

João Lyra diz não ter indicado nenhum nome para o secretariado de Paulo Câmara. Afirma ainda que no dia 8 de dezembro, foi procurado pelo governador eleito, que, numa conversa de duas horas e meia no Palácio, lhe apresentou alguns nomes e pediu que ele os avaliasse.

ENTREVISTA:
» Prestes a deixar Palácio, João Lyra questiona liderança de Paulo Câmara: sem trajetória
»  Tive dificuldade de gerenciar a máquina, diz João Lyra
» João Lyra defende fim da reeleição, mandato de 5 anos e fala em nova Constituinte
» João Lyra reconhece necessidade de ajustes no Pacto Pela Vida
» Raquel tem todas as credenciais para ser prefeita de Caruaru, avalia João Lyra
» Ouça o áudio da entrevista de João Lyra ao SJCC

A escolha dos secretários causou pelo menos um atrito para Câmara com o senador eleito Fernando Bezerra Coelho (PSB), que reclamou de não ter sido ouvido na indicação para comandar justamente a pasta que foi entregue à Norões.

“Temos que respeitar o perfil de cada um. Ele disse claramente que o governador era ele e quem resolvia era ele. Agora se isso vai agradar ou desagradar, só o tempo vai resolver isso”, diz o atual chefe do Palácio.

Tags: Governo de Pernambuco, João Lyra, Paulo Câmara, Thiago Norões,
crise

Com crescimento do PIB, Pernambuco pode superar dificuldades, diz Paulo Câmara

Publicado em 20/12/2014 às 13:43 por em Notícias
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Diante da frustração de receitas que o Palácio do Campo das Princesas teve em 2014 e de prováveis mudanças na política econômica brasileira, o governador eleito de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), afirmou, neste sábado (20), após a primeira reunião com o primeiro escalão do seu governo, que o Estado poderá superar a crise com o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), acima do índice do País – enquanto aqui deve fechar o ano em 2,7%, o nacional deve ficar em pouco mais de 0,5%.

“Se mantivermos esse ritmo de crescer dois pontos percentuais a mais que o Brasil, temos tudo para superar bem qualquer tipo de dificuldade que haja em 2015″, disse o socialista.

LEIA MAIS
» O perfil do secretariado de Paulo Câmara
» Em anúncio do secretariado, Paulo Câmara cita Eduardo e fala em dificuldades
» Desafio da Fazenda será manter nível de investimento, diz Márcio Stefanni

Embora Câmara reconheça que as medidas da União podem impactar o Estado, Câmara adiantou que, em rápida conversa com a presidente Dilma Rousseff (PT) na diplomação dela, nessa quinta-feira (18), em Brasília, a petista se mostrou aberta a dar andamento a investimentos e obras em Pernambuco. Uma delas é o Arco Metropolitano, eixo viário apresentado em 2008 como uma das soluções para escoar a produção do polo de desenvolvimento da Mata Norte para o Porto de Suape, mas que nunca saiu do papel. No dia da diplomação, havia dito ao Jornal do Commercio que as eleições, em que foi de campo oposto ao da presidente, são página virada.

“O governo federal vai fazer ajustes, ele já está mostrando isso. Ajustes principalmente na política fiscal, que inclui gastar menos. Quando se gasta menos, dependendo do tipo de gastos, pode ou não afetar parcerias com estados e municípios”, afirmou o socialista.

Tags: crise econômica, Economia, Paulo Câmara, pib, política fiscal, secretariado,