Arquivo da tag: Paulo Câmara

ex-secretário da Fazenda

Oposição responsabiliza Paulo Câmara por ultrapassar limite de gastos com pessoal

Publicado em 31/03/2015 às 10:42 por em Notícias
Foto: reprodução/Facebook

Foto: reprodução/Facebook

O líder da Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Silvio Costa Filho (PTB), responsabilizou pessoalmente o governador Paulo Câmara (PSB), ex-secretário da Fazenda, pelo fato de o Estado ter ultrapassado o limite prudencial de gasto com pessoal, conforme informou nesta terça-feira (31) o jornalista Fernando Castilho, na coluna JC Negócios. Em fevereiro, os gastos do governo teriam chegado a 47,14%, quando o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal é de 46,55%.

“Isso está muito claro que são as contas que o secretário Paulo Câmara deixou para o governador Paulo Câmara”, alfineta Silvio Costa Filho. Para ele, por prever que 2015 seria um ano desafiador para a economia, o Governo do Estado devia ter começado a fazer o dever de casa em 2014, quando Câmara ainda era secretário. “O Estado gastou demasiadamente, de forma excessiva. Faltou planejamento”, diz.

Uma das principais críticas é a de que Paulo Câmara, por ser ex-secretário da Fazenda, conhecia a situação financeira estadual, as perspectivas de receita e arrecadação, e devia ter ponderado isso antes de prometer aumento de salários e realização de concursos na disputa eleitoral do ano passado.

LEIA TAMBÉM:
>> Pernambuco não pode dar aumento para professores porque ultrapassou limite de gastos, diz secretário
>> Governo de Pernambuco teria estourado o limite prudencial com despesas
>> MPPE abre investigação sobre reajuste do governo para piso dos professores
>> Paulo Câmara diz que paralisação dos professores prejudica alunos: “governo não vai tolerar”

O deputado do PTB defende a necessidade de um ajuste fiscal para reduzir o custo da máquina pública no Estado. “O Estado, há muito tempo, não chega a uma situação de desequilíbrio fiscal tão preocupante”, dispara.

Silvio Costa Filho defende uma redução de 20% no número de cargos comissionados no Governo do Estado, um corte nos gastos com publicidades e com custos como passagens, diárias e locação de veículos.

“O PSB defende nacionalmente que o governo federal reduza o custo da máquina pública. Então ele devia fazer o dever de casa. Até para dar credibilidade às suas cobranças no plano federal”, diz o petebista.

O líder da oposição também se diz preocupado com o déficit primário, com a capacidade de pagamento dos contratos de financiamento e com a política de renúncia fiscal implantada pelo Palácio do Campo das Princesas.

“No PAF, o Estado até tem margem para pegar mais empréstimo, mas não tem dinheiro para pagar as prestações”, afirma.

Para ele, Pernambuco cresceu além da capacidade nos últimos anos. “Se anunciou obras para ter uma vitória no cenário eleitoral. Foi assinada ordem de serviço. Mas não tem dinheiro para executar”, critica.

O tema deve ser cobrado, nesta quarta-feira (1º), às 9h30, na apresentação que o secretário da Fazenda, Márcio Stefanni, fará na Comissão de Finanças da Alepe.

Tags: Governo de Pernambuco, Milton Coelho, Paulo Câmara, psb, PTB, Sílvio Costa Filho, Sintepe,
administração

Pernambuco não pode dar aumento para professores porque ultrapassou limite de gastos, diz secretário

Publicado em 31/03/2015 às 9:12 por em Notícias
Paulo Câmara em entrevista após diplomação. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem.

Paulo Câmara em entrevista após diplomação. Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem.

O reajuste de 13,01% que o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) pedem para todos os professores da rede estadual não pode ser concedido porque o Governo do Estado ultrapassou o limite prudencial de gastos com pessoal, informa o secretário estadual de Administração, Milton Coelho (PSB), após uma reunião de mais de seis horas, nessa segunda-feira (30), que marcou a terceira rodada de negociação com a categoria.

“Nesse momento o Governo não pode assumir um compromisso, pois ele vai além de sua capacidade fiscal, não só pela crise econômica, mas, principalmente, pelo comprometimento das despesas de pessoal que já ultrapassam 46% da receita corrente líquida, o que poderá trazer graves consequências para Pernambuco”, afirmou Milton Coelho.

Na coluna JC Negócios desta terça-feira (31), o colunista Fernando Castilho informa que em fevereiro a folha de pessoal do Estado atingiu 47,14% da Receita Corrente Líquida (RCL). O limite prudencial determinado pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) é de 46,55%.

LEIA TAMBÉM:
>> Governo de Pernambuco teria estourado o limite prudencial com despesas
>> MPPE abre investigação sobre reajuste do governo para piso dos professores
>> Paulo Câmara diz que paralisação dos professores prejudica alunos: “governo não vai tolerar”

De acordo com a Secretaria de Administração, a negociação dessa segunda chegou a avançar, mas depois o Sintepe voltou a defender a proposta de 13,01% para toda a categoria. O governo quer reajustar os salários que estão abaixo do piso nacional e discutir o aumento salarial após uma avaliação do cenário econômico realizada após o fechamento do primeiro quadrimestre fiscal. A data-base dos servidores estaduais é em junho.

“Poderíamos ter avançado mais e já fechado pontos importantes para a categoria, bem como não prejudicar os alunos das Escolas Públicas Estaduais e suas famílias, assegurando as aulas sem interrupções. Mas o Sintepe se manteve irredutível”, lamenta Milton Coelho.

Foto: Mariana Dantas/NE10

Foto: Mariana Dantas/NE10

Estados que ultrapassam o limite prudencial sofrem restrições. Só podem conceder reajustes autorizados pela Justiça, e contratar pessoal se for para repor funcionários em áreas estratégicas, como saúde, educação e segurança. Se estourar o limite máximo de 49% da RCL, o Estado também não poderá contrair financiamentos, conseguir garantias de outras unidades da Federação para linhas de crédito e obter transferências voluntárias.

VOTAÇÃO NESTA TERÇA – O projeto com a proposta do governo, que faz adequação do salário de 4 mil professores ao piso nacional, deve passar pela primeira discussão no Plenário da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) nesta terça (31). A proposta, que passou na Comissão de Educação nessa segunda com voto do governo, fixa o piso em R$ 1.917.

Pela proposta, o piso será aplicado para as carreiras de professor com Licenciatura Plena e com formação em Magistério, desde que o educador não tenha habilitação específica e cumpra jornada de trabalho de 200 horas-aula no Ensino Fundamental ou Ensino Médio. O pagamento será retroativo a janeiro. O impacto orçamentário é de 17,2 milhões de reais por ano.

Professores estaduais em audiência pública na Alepe. Foto: Rinaldo Marques/Alepe

Professores estaduais em audiência pública na Alepe. Foto: Rinaldo Marques/Alepe

Para o relator da proposta, Eduíno (PHS), a negociação da categoria segue normalmente, uma vez que o projeto apenas faz com que os professores deixem de receber abaixo do piso. “O processo de negociação vai continuar. Professor ganha muito pouco, é preciso que haja um sacrifício da sociedade. Só que no momento, levando-se em conta a crise nacional, que repercute dentro do Estado”, afirma.

Já o líder da oposição, Silvio Costa Filho (PTB), afirma que a proposta não atende à categoria e que é uma afronta aos professores do Estado. “O nosso sentimento é de que o governo precisava dialogar mais. E, sobretudo, ter um gesto de humildade e desprendimento. Não adianta querer usar a força e aprovar porque tem a maioria da Casa. Eu tenho certeza de que os professores de Pernambuco estão profundamente insatisfeitos com esse projeto que chegou à Casa”, critica.

Tags: Governo de Pernambuco, Milton Coelho, Paulo Câmara, psb, Sintepe,
Estado pobre A

Governo de Pernambuco teria estourado o limite prudencial com despesas

Publicado em 31/03/2015 às 7:33 por em Notícias, Opinião
Governador Paulo Câmara (PSB) durante o Todos por Pernambuco. Foto: Roberto Pereira/Governo do Estado.

Governador Paulo Câmara (PSB) durante o Todos por Pernambuco. Foto: Roberto Pereira/Governo do Estado.

Por Fernando Castilho
Na coluna JC Negócios do Jornal do Commercio desta terça-feira (31).

Diz a sabedoria popular que, na crise, é melhor ser pobre A do que classe média C. Pobre A mora longe, mas no melhor edifício do bairro. O carro é usado, mas é o mais novo do prédio e seus filhos estudam em colégio particular, ainda que não seja o melhor da cidade. E ele ainda tem cartão de crédito Visa quando seus vizinhos só possuem o Hipercard. Classe média C só tem a pose. Está sempre no limite, vive no cheque especial e se enche de despesas que a renda não consegue pagar na hora do aperto.

Pernambuco está nessa situação. Durante o governo Eduardo Campos o pacote de investimentos, a geração de emprego acima da média nacional e as verbas transferidas pela União criaram despesas (e a ilusão) de que tínhamos mudado de padrão e tínhamos virado Estado classe média. Não era verdade e o governo Paulo Câmara herdou um volume de despesas fixas que não consegue manter.

Esse pacote de novas despesas não tem como ser sustentado só com o ICMS, FPE e Transferências Obrigatórias. Exige empréstimo e verba da União. Hoje, Pernambuco precisa gerar receita para pagar contas como a da Arena Pernambuco, o déficit do Sistema BRT, o pacote das UPAs (algumas prontas e sem poder funcionar devido aos novos custos) e as escolas técnicas estaduais. Isso sem falar nos hospitais regionais, que funcionam pela metade. O caso do reajuste dos professores é emblemático.

Assim como Dilma Rousseff (lembra do Pátria Educadora?), Paulo Câmara prometeu fazer de Pernambuco um Estado onde os alunos da rede pública têm Ideb igual ao dos alunos da rede privada. Mas se pagar o piso do setor, estoura, de vez, o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Estouramos o limite prudencial

Na conversa que terá, amanhã, com os deputados, na Comissão de Finanças da Assembleia, o secretário da Fazenda, Marcio Stefanni, vai dizer que as contas do Estado, no primeiro bimestre, foram muito ruins: O ICMS cresceu 6,8%, o FPE caiu 0,6% e a folha de pessoal atingiu, em fevereiro, 47,14% da Receita Corrente Líquida e estourou o Limite Prudencial (46,55%) determinado pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Tags: Alepe, Economia, Governo de Pernambuco, Márcio Stefanni, Paulo Câmara, psb,
briga com professores

Sem professores estaduais, Paulo Câmara discute como melhorar a educação no Palácio

Publicado em 30/03/2015 às 8:01 por em Notícias
Foto: Hélia Scheppa/Arquivo JC Imagem

Foto: Hélia Scheppa/Arquivo JC Imagem

Em crise com os professores estaduais, que chegaram a paralisar as atividades nessa semana e prometem entrar em greve, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), reúne representantes de entidades civis, nesta segunda-feira (30), para discutir como melhorar a educação, sem a presença do Sindicato dos Trabalhadores da Educação em Pernambuco (Sintepe).

O evento, que o Palácio do Campo das Princesas, está chamando de Encontro dos Amigos da Educação, foi organizado pelo vive-governador Raul Henry (PMDB), estudioso do assunto, com o objetivo de fazer o secretário estadual de Educação, Fred Amâncio, dialogar com essas entidades.

LEIA TAMBÉM:
>> Acossado por sindicatos atrelados à oposição, Paulo Câmara chama ‘amigos da educação’ para debate
>> Paulo Câmara diz que paralisação dos professores prejudica alunos: “governo não vai tolerar”

O encontro reúne representantes do Todos pela Educação, Fundação Lemann, Instituto Ayrton Senna, Instituto Natura, Instituto Unibanco, Instituto de Co-Responsabilidade da Educação (ICE), Universidade de São Paulo (USP) e Instituto do Estudos do Trabalho e Sociedade (Iets).

“Essas pessoas abraçaram a causa da educação e têm muito a contribuir com Pernambuco. Espero que esse seja o primeiro de muitos outros encontros deste seleto grupo”, diz Henry.

Paulo Câmara serve um almoço para os visitantes às 13h. Depois, às 14h30, Fred Amâncio vai fazer uma apresentação sobre os avanços da Educação em Pernambuco nos últimos anos e o programa de trabalho no próximo quadriênio.

A expectativa é que, depois, o tema seja debatido entre os presentes.

PROFESSORES – A discussão do governo Paulo Câmara com o Sintepe acontece porque o governador quer aprovar,  na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), um projeto de Lei que reajusta o piso salarial dos professores, para se adequar à legislação nacional.

Os professores reclamam, porém, que o reajuste não vai atender toda a categoria, e vai acabar com a diferença salarial entre os profissionais que têm apenas Ensino Médio e os que possuem graduação em nível superior.

O projeto de reajuste chegou a entrar na pauta de votação da Alepe, mas foi retirado por um acordo entre as bancadas do governo e da oposição. A proposta deve ser votada nesta terça-feira (31).

O impasse levou o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) a abrir um inquérito para apurar o descumprimento da lei federal do piso dos professores no Estado. A promotoria convocou o secretário de Administração, Milton Coelho (PSB), para uma audiência pública nesta terça.

Tags: Governo de Pernambuco, Paulo Câmara, PMDB, psb, raul henry, Sintepe,
seca na pauta

Com mudança no cenário político, governadores do NE enxugam pautas para apresentar a Dilma

Publicado em 25/03/2015 às 16:25 por em Notícias
Encontro de governadores do Nordeste com Dilma. Foto: divulgação/Prefeitura da Paraíba.

Reunião de governadores em Brasília para apresentar pauta para Dilma. Foto: divulgação/Governo da Paraíba.

Três meses após o encontro de todos os governadores do Nordeste, no Estado da Paraíba, para definir as pautas prioritárias para a região, a presidente Dilma Rousseff (PT) finalmente encontrou brecha na agenda para recebê-los, no Palácio do Planalto. Mas, de dezembro para março, o cenário político virou e as pautas dos gestores seguiram as mudanças.

Na manhã desta quarta-feira (25), os nove governadores se reuniram para alinhar as prioridades. Em conjunto, redigiram um documento administrativo com uma redução das propostas apresentadas. Entre os pontos estão: linha de crédito para os Estados com capacidade fiscal, manutenção dos investimentos em obras estruturadoras, como as hídricas, e verbas emergenciais para o combate à seca.

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, articulador do encontro, destacou que foi realizado um enxugamento dos 15 pontos apresentados na reunião de dezembro, quando a conjuntura do País era outra.

A crise política enfrentada pelo governo Dilma também não poderia ficar de fora da discussão. Por isso, os gestores estaduais redigiram um documento político com o posicionamento diante da situação.

Ricardo Coutinho explica pautas que serão apresentadas a Dilma

“Não existe uma pauta de cada Estado. Nós trouxe, exclusivamente, pontos que são comuns a todo o Nordeste, até porque eu não lembro de nenhum momento em que um presidente da República se reuniu , fora da Sudene, com todos os governadores da região Nordeste. O Brasil precisa de diálogos, o Brasil precisa de entendimentos e superar as adversidades que estão colocadas”, disse o governador da Paraíba Ricardo Coutinho, articulador do encontro.

Participam da reunião os governadores de Pernambuco, Paulo Câmara; do Rio Grande do Norte, Robson Faria; da Bahia, Rui Costa; do Maranhão, Flávio Dino; de Sergipe, Jackson Barreto; do Ceará, Camilo Santana; de Alagoas, Renal Filho; e do Piauí, Wellington Dias.

Tags: cenário político, Dilma Rousseff, Nordeste, Paulo Câmara, Ricardo Coutinho,
suporte para o FEM

Paulo Câmara libera R$ 10 milhões para escritório de projetos

Publicado em 23/03/2015 às 14:51 por em Notícias
Paulo Câmara anuncia liberação de R$ 10 milhões para escritório de acompanhamento de projetos. Foto: Roberto Pereira/Sei.

Paulo Câmara anuncia liberação de R$ 10 milhões para escritório de acompanhamento de projetos. Foto: Roberto Pereira/SEI.

ATUALIZADA ÀS 15H53
Com informações do repórter Paulo Veras

Promessa feita durante a campanha eleitoral, o escritório de projetos para auxiliar prefeitos de Pernambuco a administrarem com eficiência os recurso do Fundo de Desenvolvimento e Apoio aos Municípios (FEM) vai ter investimento de R$ 10 milhões. O governador Paulo Câmara (PSB) antecipou a cifra destinada à iniciativa durante o discurso no 2º Congresso Pernambuco de Municípios, organizado pela Amupe.

Sob a gerência da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), a estrutura tem a proposta de dar apoio a projetos municipais. O escritório terá um corpo técnico e analistas de gestão para auxiliar os gestores na elaboração das propostas. “Muita coisa que atrasou no FEM foi por erro nos projetos”, explicou o governador Paulo Câmara (PSB).

>> Em encontro com prefeitos nesta segunda, Câmara anuncia nova etapa do FEM e escritório de projetos

O secretário estadual de Planejamento e Gestão, Danilo Cabral, explica que atualmente boa parte das obras atrasadas do FEM são consequência de projetos mal feitos.

Quanto aos R$ 10 milhões destinados ao escritório, o recurso será dividido da seguinte forma: os municípios, por conta própria, podem solicitar projetos de até R$ 200 mil. Outra opção dada aos gestores é a criação de consórcios. Pela linha de financiamento, os gestores devem se unir para pleitear projetos de até R$ 400 mil.

De acordo com o governo, será levado em consideração ainda se as propostas beneficiam a população de municípios de baixo IDH; se a área beneficiada tem maior adensamento populacional; se área é de baixa renda, ou sujeita a fatores de risco, insalubridade e degradação ambiental.

FUNDO – O FEM 2015 vai liberar R$ 263 milhões, o valor corresponde a 9,13% a mais do que foi investido em 2014. O recurso deve estar disponível a partir de julho, mas o montante só começa a  ser liberado a medida que as obras do FEM 2013 e 2014 foram finalizadas.

A primeira versão do fundo foi anunciada em fevereiro de 2013, durante o evento Juntos por Pernambuco, realizado em Gravatá, no Agreste de Pernambuco. Os R$ 228 milhões previstos naquela ocasião contemplaram 442 planos de trabalho apresentados pelos municípios.

Paulo Câmara foi extremamente aplaudido pelos prefeitos ao anunciar as iniciativas. Ele também anunciou que o escritório do Estado em Brasília vai passar a dar suporte aos prefeitos que precisem ir à capital federal para pedir demandas à União.

Durante o discurso, o chefe do executivo estadual disse que Pernambuco tem atravessado “aquela que pode ser a maior crise dos últimos 50 anos”, em função da estiagem e da situação fiscal do Estado. Mas se mostrou confiante com o futuro.

EDUARDO CAMPOS – Ele também fez questão de elogiar o ex-governador Eduardo Campos, falecido há seis meses, de quem foi afilhado político. Campos criou o FEM em 2013. “Eu, como governador de Pernambuco, não vou retroceder em políticas que deram tão certo com Eduardo”, garantiu aos prefeitos.

Depois do discurso, os prefeitos cantaram o hino de Pernambuco, enquanto imagens eram exibidas no telão. No final, o rosto de Campos apareceu, com a mensagem “saudade”.

CERIMONIAL – Durante o evento, o cerimonial do Palácio do Campo das Princesas esteve em polvorosa com o atraso e a quantidade de pessoas colocadas para discursar antes do governador. Até o presidente da Associação dos Municípios de Alagoas (AMA), Marcelo Beltrão, foi ouvido.

No Centro de Convenções, o que circulou foi que o maior incômodo foi com os discursos do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado Ranilson Ramos (representava o TCE) e com Gilmar Dominici (do Ministério das Relações Institucionais). Diz no cerimonial que em evento com o governador, representante não fala.

Tags: 10 milhões, escritório, Paulo Câmara, projetos,
não era pra ajudar?

Em Arcoverde, secretário de Paulo Câmara critica governo Dilma

Publicado em 23/03/2015 às 7:28 por em Notícias
Foto: reprodução do Facebook

Foto: reprodução do Facebook

Mesmo depois de o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), afirmar que o Nordeste quer ajudar a presidente Dilma Rousseff (PT), o secretário de Planejamento do Estado, Danilo Cabral (PSB), disparou contra a gestão da petista, em Arcoverde, no Sertão, durante o Todos por Pernambuco.

“Aqui não tem gente que está se escondendo da crise, que enterrou a cabeça no chão e deixou de conversar com o povo. Ou você escuta o povo  fazendo um governo aberto de forma organizada, abrindo canal de diálogo com transparência  ou você  escuta a voz do povo nas ruas, como a gente tem visto”, disse o socialista.

“É um momento desafiador para todo mundo. A inflação está voltando. Estamos vemos a subida dos preços da energia e do combustível e o desemprego aumentando. Há quatro anos o nosso Nordeste e nosso Pernambuco vivem a dureza da estiagem que massacra o mundo rural e o Governo Federal não chega junto para ajudar”, criticou.

Danilo, que foi secretário da Educação e Cidades durante a gestão do ex-governador Eduardo Campos, padrinho político de Câmara, disse que o Brasil sente falta de um estadista como ele, que chegou a disputar a Presidência da República no ano passado, mas morreu durante a campanha.

Tags: Danilo Cabral, Dilma Rousseff, Governo de Pernambuco, Governo Federal, Paulo Câmara, psb, PT,
Congresso Amupe

Em encontro com prefeitos nesta segunda, Câmara anuncia nova etapa do FEM e escritório de projetos

Publicado em 22/03/2015 às 18:41 por em Notícias
Paulo Câmara e Patriota juntos em eventos do Todos por Pernambuco. Foto: Prefeitura de Afogados da Ingazeira.

Paulo Câmara e Patriota juntos em eventos do Todos por Pernambuco. Foto: Prefeitura de Afogados da Ingazeira.

Depois de percorrer municípios do Sertão pernambucano nos seminários do Todos por Pernambuco, o governador Paulo Câmara (PSB) terá novo encontro com gestores de todo o Estado, nesta segunda-feira (22), às 10h, no Centro de Convenções. Desta vez para anunciar as novidades do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM). O programa, criado para auxiliar as finanças das prefeituras, será mantido em 2015, mas sofrerá ajustes.

O valor liberado pelo governo em 2015 deve girar em torno dos R$ 260 milhões. O cálculo tem por base uma cota do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) em 2014. Este ano, uma das principais mudanças da iniciativa será condicionar a liberação dos recursos à conclusão das obras.

O secretário estadual de Planejamento e Gestão, Danilo Cabral, explica que a intenção da alteração é “premiar” os gestores que estão dando uma execução mais rápida aos projetos. “É uma medida para preservar a boa aplicação dos recursos”, justificou.

As prefeituras pernambucanas têm até o fim deste ano para concluir os trabalhos, que receberam a cota de 2014.

Dados da secretaria de Planejamento e Gestão mostram que 127 dos 182 municípios que conseguiram recursos do programa em 2013  já concluíram as obras. “Outros 23, estão com 80% da obra finalizadas”, afirmou Danilo Cabral.

ESCRITÓRIO DE PROJETOS – No encontro com os gestores, Paulo Câmara também deve tirar do papel promessa feita durante a campanha.

O governador deve anunciar a criação do escritório de projetos, cuja finalidade é apoiar os municípios na elaboração das propostas.

A ideia é ajudar as prefeituras a montar os planos de trabalho, melhorar a eficácia das obras regionais e contribuir na captação de recursos junto ao governo federal.

Em 2014, o governo liberou o montante de R$ 241 milhões para o FEM. A primeira versão do fundo foi anunciada em fevereiro de 2013, durante o evento Juntos por Pernambuco, realizado em Gravatá, no Agreste de Pernambuco. Os R$ 228 milhões previstos naquela ocasião contemplaram 442 planos de trabalho apresentados pelos municípios.

Tags: Amupe, encontro, FEM, Paulo Câmara, prefeitos,
seminários

Todos por Pernambuco, projeto para ouvir demandas da população, recebeu mais de 3 mil sugestões

Publicado em 22/03/2015 às 14:19 por em Notícias
Paulo Câmara está percorrendo o Estado para ouvir as demandas da população. Foto: Roberto Pereira/Governo do Estado.

Paulo Câmara está percorrendo o Estado para ouvir as demandas da população. Foto: Roberto Pereira/Governo do Estado.

A segunda rodada do Todos por Pernambuco, projeto do governo para ouvir a demanda da população do Estado, acabou neste fim de semana depois de percorrer os sertões de Itaparica, Pajeú e Moxotó e recolher, segundo o executivo estadual, 3.518 sugestões nas áreas de educação, cultura, saúde, segurança, água, cidadania, desenvolvimento rural, economia, inovação, sustentabilidade e infraestrutura. De acordo com o balanço divulgado pelo governo, 3.409 pessoas foram ouvidas durante os encontros.

A próxima rodada dos seminários será no Agreste, nas cidades de Surubim, Garanhuns e Caruaru; nos dias 9, 10 e 11 de abril, respectivamente.

A equipe técnica que acompanhou o governador Paulo Câmara durante os seminários destacou algumas demandas prioritárias citadas pela população. Na área de Saúde apareceram os pedidos por reforma de hospitais, aumento do número de leitos, universalização do Programa Mãe Coruja, que apareceu como pleito em todas as regiões, além da realização de concurso público.

Durante a passagem pelo Sertão, Paulo Câmara assinou  um termo de compromisso para a instalação de uma Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia no Sertão. Foto: SEI.

Durante a passagem pelo Sertão, Paulo Câmara assinou um termo de compromisso para a instalação de uma Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia no Sertão. Foto: SEI.

A melhoria da estrutura física de algumas escolas estaduais que ainda precisam de reforma, assim como o investimento em quadras poliesportivas nas unidades estaduais foram demandas registradas na sala temática de Educação e Cultura.

A maioria delas tratou da melhoria das PEs, como a pavimentação da PE-310 (trecho Custódia-Iguaraci); da implantação e pavimentação da PE-312 (trecho Custódia-Ibimirim); da PE-250 (trecho de Pedra ao Distrito de São Domingos); entre outras. Nos três dias, um total de 927 pessoas participaram das plenárias.

GÊNESE DO PROJETO – Em 2015, o Todos por Pernambuco chegou a sua terceira edição. O ex-governador Eduardo Campos ouviu as demandas da população, durante os seminários, no início dos dois governos, em 2007 e 2011.

A iniciativa de ouvir a população sobre políticas públicas em um esquema institucional, no entanto, não começou na gestão socialista e remete à década de 1950, à gestão do então prefeito do Recife Pelópidas Silveira.

Tags: demandas, Governo do Estado, Paulo Câmara, população, Todos por Pernambuco,
mandando recado

Brasil quer gestores verdadeiros e humildes, diz Paulo Câmara

Publicado em 20/03/2015 às 14:31 por em Notícias
Paulo Câmara está percorrendo o Estado para ouvir as demandas da população. Foto: Roberto Pereira/Governo do Estado.

Paulo Câmara está percorrendo o Estado para ouvir as demandas da população. Foto: Roberto Pereira/Governo do Estado.

No início desta semana, a presidente Dilma Rousseff (PT) tentava conter a crise política instalada no governo federal com discurso pregando “diálogo humilde”. O pronunciamento veio um dia depois das manifestações em todo o Brasil pedindo a saída da petista. Nesta sexta-feira (20), o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), também mandou seu recado para a gestora.

Durante as agendas pelo interior, no programa Todos por Pernambuco, o socialista não citou diretamente a presidente, mas pregou humildade e afirmou que o Brasil “quer gestores que sejam verdadeiros e trabalhem em favor do povo”.

“O modelo do Todos Por Pernambuco veio para ficar. Não é apenas uma política de governo. Tenho certeza que os próximos governantes vão utilizar essa ferramenta que tem feito tão bem ao povo. Faz parte da concepção do Estado de planejar, estar junto da população, ouvir críticas, mas também sugestões e sempre dizer a verdade. Temos que ter humildade para explicar o que é possível fazer e o que não é. O Brasil quer isso hoje: gestores que sejam verdadeiros e que trabalhem em favor do povo. É isso que vamos fazer, com a ajuda dos prefeitos, das lideranças políticas e principalmente com a ajuda da população”, afirmou o governador Paulo Câmara.

O governador deu início ao Seminário do Todos por Pernambuco em Floresta, no Sertão, de lá partiu para Afogados da Ingazeira, nesta sexta (20). No primeiro município, o socialista recebeu 1.005 sugestões para o programa de governo.

Tags: brasil, gestores, humildade, Paulo Câmara, Todos por Pernambuco,