publicidade
12/07/18
Foto: Roque de Sá/Agência Senado
Foto: Roque de Sá/Agência Senado

‘Raquel Dodge não devia tomar partido’, diz Gleisi Hoffmann

12 / jul
Publicado por Douglas Fernandes em Notícias às 13:41

A senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, criticou nesta terça-feira (12) a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, por ter tomado “partido”, segundo a parlamentar, ao pedir a abertura de inquérito no Supremo Tribunal de Justiça (STJ) contra o desembargador Rogério Fraveto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). Fraveto foi o responsável por acatar o pedido de habeas corpus dos deputados petistas Wadih Damous, Paulo Texeira e Paulo Pimenta para libertar o líder petista no último domingo (8).

Após reunião com o governador Paulo Câmara (PSB), a senadora disse a jornalistas que a Procuradoria-Geral da República precisa ser isenta e questionou se o órgão investigará o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara de Curitiba. “A Raquel Dodge não devia tomar partido. Eu quero saber se a PGR vai investigar Moro por desobediência também. Ou por interferência administrativa na condução da Polícia Federal e em articulação com o TRF-4. Eu acho que se a PGR quiser ter respeito nesse País, ela tem que ser isenta”, disse a senadora.

O pedido de abertura de inquérito foi feito nessa quarta-feira (11). Segundo Raquel Dodge, a conduta de Rogério Fraveto “apresenta elementos de ato ilícito praticado dolosamente com o objetivo de satisfação de sentimentos e objetivos pessoais, tipificado pela lei penal”.

Confira o pedido na íntegra



FECHAR