publicidade
13/06/18
Foto: Ananda Borges/Câmara dos Deputados
Foto: Ananda Borges/Câmara dos Deputados

Em resposta a Jarbas, Daniel diz que mudou para se opor a Eduardo e Temer

13 / jun
Publicado por Amanda Miranda em Instant Articles às 21:07

O deputado federal Daniel Coelho respondeu, na noite desta quarta-feira (13), à crítica de Jarbas Vasconcelos (MDB), que havia questionado a coerência do parlamentar, que foi do PV, do PSDB e agora está no PPS. “As duas mudanças que fiz foram para me manter na oposição a Eduardo Campos e a Michel Temer. Estou onde sempre estive, na oposição ao PT, ao PSB e a Temer”, afirmou.

LEIA TAMBÉM
» Jarbas rebate Daniel: ‘muda de partido como quem muda de roupa’
» Daniel se diz ‘decepcionado’ com Jarbas: ‘questão de vergonha na cara’
» Não vou ter dificuldade para pedir votos para Humberto, diz Jarbas
» Quem apoiar Lula terá apoio do PT, diz presidente petista sobre Jarbas
» Jarbas está pensando que o povo não tem memória, diz aliado de Ferreira

Tudo começou quando Daniel usou as redes sociais para alfinetar Jarbas e se dizer decepcionado por ele ter declarado não ter dificuldade de pedir votos para o petista Humberto Costa, apesar de ter sido opositor dos governos do PT.

“Não tenho medo de mudar de partido para manter a coerência e a linha de conduta que carrego ao longo da vida. Posso mudar de partido, mas não mudo de lado”, disse ainda Daniel Coelho. “Não me rendi a Eduardo Campos por conveniência e não vou me render ao PT por oportunismo. Não vou bajular Lula, nem apoiar Humberto Costa por medo de perder eleição. Quem me guia não são pesquisas de opinião, é a minha consciência”, concluiu.

Daniel Coelho levou o PPS para a oposição ao governador Paulo Câmara (PSB), como o senador Fernando Bezerra Coelho quis fazer com o MDB de Jarbas Vasconcelos. No caso do PPS, por decisão da Justiça Eleitoral no fim da janela partidária, o comando ficou dividido entre o deputado e o então presidente, Manoel Carlos, que não se entenderam.

O palanque tem como pré-candidato ao Senado o deputado federal Mendonça Filho (DEM), ex-ministro da Educação do governo Michel Temer (MDB), e ao governo o senador Armando Monteiro (PTB), ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior da gestão Dilma Rousseff (PT).



FECHAR