publicidade
17/05/18
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Voto de aplauso para Marcha da Maconha, no sábado, gera polêmica na Câmara Municipal do Recife

17 / maio
Publicado por jamildo em Instant Articles às 11:11

O vereador Fred Ferreira (PSC) pediu vista ao requerimento que pede voto de aplauso para a 11ª Marcha da Maconha do Recife, apresentado pelo vereador Ivan Moraes (PSOL).

Na visão de Fred, haveria coisas mais importantes no município para ser debatido na Câmara do Recife.

Eleito sob a bandeira de defesa da família, o vereador considera que o problema das drogas vem crescendo a cada dia, e isso precisa ser combatido e não estimulado no Legislativo municipal.

“No meu mandato busco sempre defender a bandeira da família e sou contra as drogas e qualquer ato que venha a incentivar o seu consumo”, afirmou o vereador, ao comentar sobre a proposta do colega de Câmara.

Fred Ferreira disse que irá trabalhar contra a matéria durante a votação na Casa de José Mariano.

“Os números da violência no Estado mostram que cerca de 70% das mortes em Pernambuco estão ligadas ao tráfico de drogas. Esse é um assunto muito sério, que exige um debate profundo sobre os efeitos provocados em nossa sociedade. Não é pedindo voto de aplauso para uma marcha da maconha que nós faremos o enfrentamento necessário a esse problema tão sério”, afirmou o vereador.

11ª Marcha da Maconha ‘ocupa’ centro do Recife neste sábado

O Coletivo Antiproibicionista de Pernambuco (Cape), a Rede Nacional de Feministas Antiproibicionistas (Renfa), a Acolher, o Recifree e a Associação Canábica de Pernambuco (Cannape) realizarão neste sábado (19) a 11ª Marcha da Maconha do Recife no Centro da cidade.

A concentração será a partir das 14h, na Praça Oswaldo Cruz, com saída às 16h20 em direção ao Pátio de São Pedro, onde ocorrerá o 5º Festival de Cultura Canábica – evento de programação cultural com apresentações de artistas e bandas locais.

“Nessa edição, a marcha traz como principais lutas e demandas a descriminalização do usuário e regulamentação do uso de todas as substâncias psicoativas no país; a luta por uma política de desenvolvimento da maconha medicinal; a luta contra o genocídio da população negra; e contra a intervenção militar no Rio de Janeiro e a possibilidade de sua implantação em outras capitais”, informam os organizadores.

“A Marcha da Maconha é plural e cotidiana, feminista, antirracista e anticapitalista. A cada ano, o objetivo é perceber as novas demandas propostas pelos grupos que compõem sua organização, composta por moradores e moradoras das periferias da Região Metropolitana do Recife. A marcha luta por profundas mudanças no modo como as drogas são vistas e tratadas pela sociedade e propõe frentes de batalha relacionadas entre si”.


FECHAR