publicidade
16/05/18
Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula
Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

Fernando Pimentel terá encontro com Paulo Câmara no Recife, nesta quinta-feira

16 / maio
Publicado por jamildo em Notícias às 18:15

Antes do encontro oficial, na sexta-feira, no Recife, com o governador Paulo Câmara (PSB), o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, do PT, chegará mais cedo a capital pernambucana, nesta quinta-feira à noite, para ter um encontro reservado com o socialista, de modo a poder debater temas políticos antes da agenda oficial.

O encontro deve ser realizado em um hotel da cidade.

Acordo do PT com PSB inclui até ajuda a Fernando Pimentel, em Minas Gerais

Além de Paulo Câmara, estão confirmados no encontro o prefeito do Recife, Geraldo Julio, além do ex-secretário da Casa Civil, Antônio Figueira.

O evento oficial com os socialistas, no Palácio do Campo das Princesas, está marcado para às 11 horas, devendo girar em torno do tema venda da Eletrobrás, além das ações judiciais do governo de Minas Gerais contra a União para partilha de receitas federais.

Na comitiva, Pimentel vai trazer os auxiliares que ganharam a primeira ação contra a União em torno da DRU, mecanismo de Desvinculação de Receitas da União.

A DRU permite ao governo federal incorporar ao Tesouro Nacional até 30% das contribuições sociais, que têm finalidades específicas, e utilizá-los para quaisquer fins, sem compromisso de aplicar no segmento específico para o qual a contribuição foi criada.

Após o encontro está previsto um almoço no Palácio do Campo das Princesas para os petistas mineiros.

Estados aderiram a requerimento de Minas Gerais para partilha de recursos

No final de abril ainda, o Colégio Nacional de Procuradores-Gerais dos Estados e do Distrito Federal (Conpeg) encaminhou ofício, ao presidente Michel Temer, por meio do qual os Estados de Acre, Amapá, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Sergipe, Tocantins e Distrito Federal manifestam apoio ao pedido formulado pelo Estado de Minas Gerais para que o governo federal realize a repartição da parcela desvinculada das contribuições sociais com os Estados e o Distrito Federal.

Naquela altura, estima-se que, apenas em 2017, sejam devidos aos estados R$ 20 bilhões referentes à Desvinculação das Receitas da União (DRU). Os Estados também requerem que sejam apurados os valores que deixaram de ser repassados nos últimos cinco anos, abatendo-os das dívidas dos Estados com a União.

O ofício foi assinado pela vice-presidente do Conpeg, a procuradora-geral do Distrito Federal, Paola Aires Corrêa Lima, e enfatiza a necessidade de o governo federal dar uma pronta resposta ao requerimento de Minas Gerais, em atenção ao pacto federativo e para minorar o problema crônico da repartição injusta e concentradora dos recursos.

O requerimento do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, foi encaminhado ao presidente Temer em 3 de abril.

Desde 1994, a União faz uso dos tribunos não vinculados – primeiro chamado de Fundo de Estabilização Fiscal (FEF), depois Fundo Social de Emergência (FSE) e atualmente DRU – sem compartilhar com os estados tal arrecadação. Os procuradores disseram então que, entre 1994 e 2002, a carga tributária brasileira subiu de 24% para 34% do PIB, enquanto, nesse mesmo período, a parcela das contribuições na receita total cresceu de 11% para 48%.

Carlos Siqueira e Gleisi Hoffmann fazem reunião para ‘rifar’ candidatura de Marília em Pernambuco

Já circulava, como suposto boato, desde o dia anterior, na segunda-feira, mas os aliados de Marília Arraes negavam que o nome dela estivesse sendo retirado da disputa em Pernambuco, para que o PT pudesse ajudar o PSB de Paulo Câmara.

No entanto, de fato, as direções do PSB e do PT estão reunidas em Brasília, nesta noite de terça-feira, especificamente para discutir as eleições nacionais e em Pernambuco.

Acordo do PT com PSB inclui até ajuda a Fernando Pimentel, em Minas Gerais

De acordo com informações de bastidores, Carlos Siqueira e Gleisi Hoffmann, com a presença ainda do deputado federal Paulo Teixeira, do Grupo de Tática Eleitoral do PT Nacional, estão discutindo neste momento as condições de um acordo eleitoral entre os dois partidos.

Entre os pontos discutidos, o PSB aceitou, como pediu o PT, que abrisse mão da candidatura a governador do socialista Mário Lacerda, do PSB em Minas Gerais. Lacerda pode sair para o Senado ou mesmo federal, em compensação.

A decisão do PSB ajuda na reeleição do petista Fernando Pimentel, eleito pelo PT e que vai mal das pernas, atrasando salários inclusive, conforme registram as publicações nacionais.

Não por acaso, sob o pretexto ou desculpa de discutir as águas do São Francisco, o governador do PT em Minas estará visitando o governador Paulo Câmara, em mais uma sessão de fotos públicas, nesta sexta-feira.

Com a saída dela da disputa estadual, haveria menos divisão dos votos no primeiro turno, situação que em tese ajuda a situação (Paulo Câmara) e complicaria a vida da oposição (Armando Monteiro).

Supostamente alheia à movimentação nacional, na tarde desta terça-feira, a vereadora do Recifee estive com o governador da Bahia, Jaques Wagner, em Salvador. Wagner é outra figura que ficou vendida nas articulações. Depois de uma visita a Lula, em Curitiba, defendeu que o PT deveria ter um plano B (em substituição a Lula), mas depois foi desautorizado pelo partido.

“Foi uma excelente conversa sobre o Nordeste, o Brasil, a luta em defesa do ex-presidente Lula, a política e sobre os rumos que o País precisa tomar para voltar a ser um lugar onde a democracia, os direitos e as conquistas sociais sejam respeitados. É sempre muito bom poder estar com um companheiro como o governador”, disse.

LEIA TAMBÉM
» Barrada do Clube dos Oficiais, Marília Arraes fará ato no Internacional
» Humberto nomeia assessor de Marília para gabinete e acirra briga no PT
» Aliados de Marília Arraes usam redes sociais para criticar Humberto
» No Senado, Humberto Costa defende aliança do PT com Paulo Câmara
» Em reação a Humberto, Silvio leva Marília à Câmara para defendê-la
» Saída de Joaquim Barbosa prejudica Marília Arraes. PSB fica livre para aliança com PT



FECHAR