publicidade
20/04/18
Foto: Nelson Jr./ STF
Foto: Nelson Jr./ STF

Tucano ironiza Barbosa: ‘Não dizia que não tinha condições de saúde?’

20 / abr
Publicado por Amanda Miranda em Instant Articles às 11:41

Opositor do PSB em Pernambuco, o deputado federal Bruno Araújo (PSDB-PE), ex-ministro das Cidades no governo Michel Temer (MDB), afirmou nesta sexta-feira (20), em evento do Lide Pernambuco, que o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa será alvo de questionamentos em uma eventual campanha presidencial. O tucano ironizou a aposentadoria dele, solicitada 11 anos antes de ser afastado compulsoriamente. “Pressão por pressão, nada pode ser maior do que a presidência da República. Não dizia que não tinha condições de saúde?”, falou Bruno Araújo sobre os motivos apontados para ter se aposentado de forma precoce, em 2014.

LEIA TAMBÉM
» Eduardo Campos sofreu mais resistência do que Barbosa, diz Siqueira
» PSB vê Joaquim Barbosa alinhado à diretriz econômica da sigla
» Não convenci a mim mesmo que devo ser candidato, diz Joaquim Barbosa
» Tadeu Alencar: ‘Candidatura de Joaquim Barbosa não divide forças progressistas’

“É legitimo que todos possam numa democracia pleitear a candidatura à presidência, mas as pessoas também vão ter que dar a cara para dar explicações. Como explica que uma pessoa tenha pedido aposentadoria 11 anos antes do tempo?”, questionou o deputado. “Joaquim Barbosa vai ter que ir para o enfrentamento, vai ser questionado, sim”, disse. Sobre o problema de saúde que o impedia, desde 2008, de ficar sentado durante todas as sessões do Supremo por causa de dores, o tucano também ironizou: “imagina na campanha presidencial”.

Após meses de especulações e conversas com o PSB sobre a possibilidade de candidatura à presidência da República, Joaquim Barbosa se filiou ao partido no último dia 6. Nessa quinta-feira (19), participou da primeira reunião com a comissão eleitoral da sigla, em Brasília. Saiu de lá afirmando que nem ele sabe se quer ser candidato.

PSB de Pernambuco

Participaram da reunião o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, vice-presidente nacional do PSB, e o prefeito do Recife, Geraldo Julio, primeiro-secretário. Ambos eram resistentes à candidatura de Barbosa. Os dois conversam com o PT para retomar a aliança no Estado. 

“Essa eleição vai ser uma maravilha. Vamos acabar com muitos discursos falsos e engodos. Geraldo Julio e  Paulo Câmara sentaram conosco para discutir o impeachment de Dilma”, lembrou. Bruno Araújo foi do grupo conhecido como G8, que articulou o afastamento da ex-presidente, e deu o voto de número 342, decisivo para a abertura do processo. “Isso eles vão ter que explicar. E o PT também. O PT vai ter que explicar como se alia a um partido de Temer.” Para o tucano, a campanha vai começar a “esquentar” em agosto, quando se iniciam as inserções em rádio e televisão.


FECHAR