publicidade
16/04/18
Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Em carta da prisão, Lula volta a criticar Polícia Federal, MPF, Moro e TRF4

16 / abr
Publicado por Amanda Miranda em Instant Articles às 21:13

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, leu no acampamento montado fora da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR) uma carta do ex-presidente Lula (PT) à militância que está protestando contra a prisão dele. “Eu ouvi o que vocês cantaram”, diz o petista. No texto, publicado nas redes sociais de Lula na noite desta segunda-feira (16), ele reafirma inocência e critica a Operação Lava Jato, em que foi condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso triplex.

“Continuo desafiando a Polícia Federal da Lava Jato, o Ministério Público da Lava Jato, o Moro e a segunda instância a provarem o crime que alegam que eu cometi”, diz o ex-presidente. Preso há dez dias, Lula afirma estar tranquilo, mas indignado. 

O ex-presidente não citou o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Supremo Tribunal Federal (STF), a quem ainda pode recorrer.

LEIA TAMBÉM
» Juíza autoriza fiscalização de comissão do Senado em cela de Lula
» Integrantes do MTST invadem tríplex do Guarujá atribuído a Lula
» Manifestantes fecham acesso à Chesf para protestar a favor de Lula
» Há uma semana preso, Lula já sente isolamento político

O petista foi levado para uma sala reservada no prédio da PF no último dia 7, dois dias após o juiz federal Sérgio Moro decretar a prisão para o início do cumprimento da pena. A decisão do magistrado foi logo após o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que condenou o ex-presidente em segunda instância, encaminhar um ofício para a 13ª Vara Federal em Curitiba autorizando a ordem de prisão.

» Maioria dos eleitores acha justa prisão de Lula, diz Datafolha
» Datafolha: maioria dos eleitores de Lula diz que votará em quem ele apoiar
» Preso, Lula cai na Datafolha; sem ele, nulos crescem e Marina encosta em Bolsonaro

» PDT de Ciro usará visita a Lula para se reaproximar do PT
» Lula pediu para receber visitas da família às quintas-feiras
» PT avalia como funcionar sem a presença de Lula
» Por Lula, governadores querem discutir 2ª instância com Cármen Lúcia

A medida dos desembargadores foi um dia depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) negar o habeas corpus em que a defesa de Lula pedia que o cumprimento da pena só acontecesse após o trânsito em julgado, ou seja, com a análise do caso em todas as instâncias e não apenas em segunda instância.

Desde a prisão, apoiadores de Lula montaram acampamento fora da Superintendência da PF. Mais cedo, nesta segunda-feira, em protesto em defesa do ex-presidente, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) ocuparam o apartamento triplex atribuído ao petista, no Guarujá, no litoral de São Paulo. O imóvel é apontado pela força-tarefa da Lava Jato como vantagens indevidas da construtora OAS a Lula.



FECHAR