publicidade
13/11/17
Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República
Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República

Temer afirmou que fará reforma ministerial ainda este ano, diz Eunício

13 / nov
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 18:54

Estadão Conteúdo – O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), afirmou nesta segunda-feira (13) que conversou nesse domingo (12) à noite com o presidente Michel Temer (PMDB) sobre a reforma da Previdência e o alertou que apenas uma reforma enxuta tem chances de seguir adiante. Eunício disse ainda que o presidente lhe disse que pretende fazer as alterações ministeriais – para atender aliados – ainda este ano.

“Reforma ministerial é uma reforma administrativa, só tem uma pessoa que pode fazer que o é presidente. Ele falou ontem que pretende fazer essa, que depois conversaria comigo e com o presidente da Câmara (Rodrigo Maia), mas que não tem prazo e nem definição e que seria este ano”, disse. Ao ser questionado das garantias de que o presidente faria mesmo as mudanças ainda em 2017, Eunício reafirmou: “Ele falou para mim que quer fazer a reforma ainda este ano, mas não marcou a data comigo.”

LEIA TAMBÉM
» Temer: ‘Com toda certeza vamos terminar as reformas neste governo’ 
» Para votar Previdência, relator diz que Temer precisa mudar ministérios
» Temer diz que reforma ministerial será inevitável e reafirma mudar previdência
» Temer admite risco de derrota na Previdência

O presidente do Senado disse que na conversa desse domingo com Temer alertou para dificuldades na reforma da Previdência. “Eu disse que sinceramente não aceitava neste momento que (a reforma) ela fosse discutir a questão da previdência do homem do campo, que mexesse nisso”, afirmou, ressaltando: “O presidente me disse que ia preservar essa questão”.

Segundo Eunício, ele avisou ao presidente também que, na sua avaliação, a reforma foi “mal vendida”. “Precisamos fazer uma reforma enxuta, que tire os privilégios, preserve essa rede de proteção social que a Previdência também faz e faça uma idade mínima”, disse. “No meu entendimento essa seria a reforma que o Brasil precisa.”



PUBLICIDADE
FECHAR