publicidade
12/09/17
Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Foto: Ashlley Melo/JC Imagem

PMDB de Pernambuco não pode ser extensão dos interesses familiares de FBC, diz Jarbas

12 / set
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 17:34

Em discurso na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (12), Jarbas Vasconcelos fez duras críticas ao senador Fernando Bezerra Coelho, filiado ao PMDB há uma semana. O parlamentar, que é um dos fundadores do partido, chegou a chamar de traição e desrespeito a atitude do também pernambucano, de articular com o presidente nacional da legenda, Romero Jucá, a tomada do comando da sigla, que é tradicionalmente do grupo de Jarbas e hoje é do vice-governador Raul Henry.

“Jamais me curvarei diante da mesquinharia de homens que, usufruindo de um poder efêmero e frágil, buscam atingir aqueles que, como eu, sempre militaram em nome da democracia, da justiça e da coerência”, afirmou na tribuna. “Vamos resistir e vamos recorrer a todas as instâncias políticas e legais para impedir que o partido se transforme numa extensão familiar dos interesses de Fernando Bezerra Coelho e companhia.”

LEIA TAMBÉM
» Raul Henry busca executiva nacional contra intervenção no PMDB de Pernambuco
» Entrada de FBC no PMDB ocorreu de forma traiçoeira, indigna e desleal, diz Raul Henry
» Raul Henry diz que vai reagir a manobra de Jucá para dar comando a FBC

Para Jarbas, FBC buscou o PMDB em uma ação oportunista para ter em 2018 palanque para ele e os filhos, o ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, e o prefeito de Petrolina (PE), Miguel Coelho. “Fernando Bezerra Coelho tem uma história marcada por adesismos de ocasião”, acusou, citando que FBC passou pelo PDS, pelo PMDB, pelo PPS e, por último, pelo PSB.

“Foi para o PSB com Eduardo Campos e virou ministro de Dilma. Agora, seu filho é ministro de Temer”, lembrou. “Durante todo o período dos governos do PT, estive na oposição. E a bem da verdade é que a maioria dos que hoje pretendem me expulsar do PMDB apoiou os governos que hoje criticam. Foram cúmplices nos malfeitos. Eu mantive a minha coerência. Não titubeei. Não tergiversei. Paguei um preço político por isso mas não me arrependo um segundo sequer.”

» FBC diz que pediu a Jucá para informar a Jarbas condições de ida ao PMDB
» FBC coloca filho como alternativa para disputa com Paulo Câmara
» Agora no PMDB, FBC vira vice-líder do governo. PSB escolhe novo líder terça
» Jucá diz que acertou troca no PMDB com Jarbas; deputado nega e critica FBC

Dias antes da filiação do senador, o meio político comentava a possível intervenção nacional no comando local, e Jarbas concedeu uma entrevista à Rádio Jornal afirmando que ele seria bem-vindo no partido, mas sem citar a possível ação de Jucá. “Ao meu gesto cordial de elogiar, Fernando Bezerra respondeu com desrespeito e prepotência. O ato dele tem nome e sobrenome: traição, traição”, afirmou, após revelar ter sido “alertado” por aliados sobre “a desagregação que o senador Fernando Bezerra Coelho provoca por onde passa”.

No ato de filiação do senador, enquanto o PMDB local divulgava uma nota contra a dissolução da executiva estadual, Jucá afirmava que já havia conversado com Jarbas e ele teria acatado a situação para disputar o Senado em 2018, o que o deputado negou. A disputa pode chegar à Justiça Eleitoral, já que, caso a intervenção seja aprovada, o grupo de Jarbas promete recorrer.

Jarbas afirmou que, apesar de ter discordado da aliança do PMDB nacional com o PT, por exemplo, nunca havia sido punido. “Sempre houve respeito às diferenças. Respeito, condição primária a qualquer convivência e que está faltando a Fernando Bezerra”, disse. O deputado foi punido este ano por votar a favor da denúncia contra Michel Temer por corrupção passiva, alegando que não foi uma opção pessoal contra o presidente, mas sempre foi a favor da apuração. “Minha história confunde-se com a história do PMDB. Não a história destes que negociam espaços com Fernando Bezerra Coelho. O meu PMDB tem o DNA de homens como Ulysses Guimarães e Pedro Simon.”

» Sileno Guedes diz que Jarbas reafirma aliança com Paulo, apesar de FBC
» FBC será candidato do PMDB em Pernambuco, confirma Jucá
» FBC troca PSB por PMDB e pode conseguir comando do partido em Pernambuco

Um dos objetivos de FBC é levar o partido para a oposição ao governador Paulo Câmara (PSB), que hoje o tem como principal aliado. O PMDB tem três secretarias.

Mais cedo nesta terça-feira (12), a direção estadual do PMDB também reagiu à articulação para que o comando vá para Fernando Bezerra Coelho e aprovou uma nota exaltando Jarbas e o criticando. O texto será levado a Jucá por Raul Henry, que embarcou esta tarde para Brasília, onde participará nesta quarta-feira (13) de uma reunião da executiva nacional para analisar a situação da senadora Kátia Abreu (TO), que é uma divergência do governo Michel Temer poderá ser expulsa do partido.



PUBLICIDADE
FECHAR