20/mar
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

No Recife, vereador lembra FBC como um dos responsáveis pela Transposição

20 / mar
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 19:47

Em mais um capítulo da disputa pela paternidade da Transposição do Rio São Francisco, o vereador Marco Aurélio (PRTB), primeiro secretário da Câmara do Recife, usou a tribuna da Casa nesta segunda-feira (20) para deixar registrado o que ele pensa sobre o assunto. Para ele, a paternidade é do ex-presidente Lula (PT), que foi a Monteiro, na Paraíba, nesse domingo (19) para cobrá-la. Porém, frisou que o hoje senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), ministro da Integração Nacional no primeiro governo Dilma Rousseff (PT), também mereceria créditos pela obra.

LEIA TAMBÉM
» “Eles peçam a Deus para eu não ser candidato”, diz Lula na Paraíba
» Na Paraíba, petistas reforçam discurso por candidatura de Lula em 2018
» Em Monteiro, Dilma diz que Temer não pode se vangloriar da Transposição

“De março de 2007 a março de 2010, o ministro Geddel (Vieira Lima) evoluiu 16% da obra. De março de 2010 a janeiro de 2011, apenas 11,4% foi executado. Na gestão de FBC, as obras avançaram 22,7%. O patrono é Lula. Não sou do partido dele. Agora, como pernambucano também quero destacar a importância de FBC”, argumentou Marco Aurélio na Câmara do Recife. “Nenhum de nós vamos cometer o erro que o verdadeiro mentor, sem discutir o mérito, foi o ex-presidente Lula. Ele teve importância para a transposição. Mas eu queria fazer justiça a outro pernambucano que foi o senador Fernando Bezerra, que teve importância para obra chegar onde chegou.”

» Lula e Dilma são recebidos pela militância petista na Transposição

Nove dias depois da entrega oficial do eixo leste da Transposição pelo presidente Michel Temer (PMDB), em Monteiro, Lula e Dilma foram à cidade para o ato político que foi intitulado “inauguração popular”. 

» Visita de Lula e Dilma lota hotéis de Monteiro, na Paraíba
» Marília Arraes diz que inauguração da Transposição por Temer foi uma farsa
» Em ato político, Lula e Dilma recebem medalha da Assembleia Legislativa da Paraíba

Lula tem cobrado a paternidade do projeto pelas redes sociais e através da militância. Ele começou a usar essa estratégia após uma aproximação de Temer – que visitou a obra três vezes em três meses – e Geraldo Alckmin (PSDB) – possível candidato em 2018 contra o petista – para melhorar a popularidade no Nordeste.

» “Não quero a paternidade dessa obra. Ninguém pode tê-la”, diz Temer sobre Transposição
» Transposição chega à Paraíba, mas ainda falta muito em Pernambuco

No último dia 10, ao inaugurar oficialmente o eixo leste do projeto em Monteiro, o peemedebista mandou um recado para o ex-presidente afirmando não querer a paternidade da Transposição. Lula rebateu neste domingo: “Se eles têm vergonha, eu não tenho. Nós somos pai, mãe, tio, primo e sobrinho da Transposição do Rio São Francisco.” Dilma também criticou Temer no seu discurso, ao afirmar: “O golpe ainda está em andamento. Faz parte do golpe contar mentiras sistemáticas, que levam alguém que nunca levantou um dedo pela Transposição vir aqui se vangloriar e dizer que foi ele que fez.”

» Novela da transposição. Governo Temer escolhe finalmente empresa que vai concluir eixo norte
» Água da transposição pode encarecer de 8% a 10% contas em Pernambuco
» Ministério vai estudar uso de energia eólica e solar na Transposição

Durante o discurso em Monteiro, Lula exaltou apenas o ex-ministro da Integração Ciro Gomes, que ocupou o cargo desde a posse de Lula até o início de 2006, o último ano do primeiro mandato. A obra começou em 2007, com previsão de ser concluída três anos depois, mas os estudos foram feitos no período anterior. “Ele teve a coragem, a honradez de enfrentar o debate sem fazer cara feia.” Fernando Bezerra Coelho esteve à frente da pasta desde o início do primeiro governo Dilma até outubro de 2013, quando o PSB deixou os cargos na gestão petista.



PUBLICIDADE
FECHAR