20/mar
Foto: José Cruz/Agência Brasil
Foto: José Cruz/Agência Brasil

Churrascaria que serviu Temer usa carne de empresa investigada

20 / mar
Publicado por Camila Souza em Notícias às 9:03

A churrascaria de Brasília que recebeu o presidente Michel Temer (PMDB) e embaixadores na noite desse domingo (19), têm entre seus fornecedores uma das empresas investigadas pela Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. Temer foi ao rodízio de carne para minimizar os efeitos negativos da Operação no Planalto.

Segundo a Folha de S. Paulo, o gerente da churrascaria, Paulo Godoi, afirmou que todos os cortes servidos na casa são de origem nacional. Godoi também disse que as carnes são compradas da Marfrig, Minerva e da JBS. No entanto, o gerente explicou que, após a operação, pediu a redução de compras da JBS (que responde por quase 20% do fornecimento do estabelecimento”.

LEIA TAMBÉM
» Planalto diz que todas carnes servidas a Temer e embaixadores eram brasileiras
» Temer convoca reuniões para tratar de impactos da Operação Carne Fraca

“Eles tinham um centro de distribuição em Brasília, mas não têm mais. Ficou difícil a logística e diminuímos para 20%. Nunca tivemos problema de qualidade com nenhum dos nossos fornecedores”, disse Godoi à Folha.

“Mas não estou defendendo uma empresa ou outra. Até por isso, após a operação, na sexta-feira mesmo fiz um pedido para procurarmos outros fornecedores e reduzirmos a parte da JBS”, completou.

Segundo Godoi, a churrascaria às vezes também compra picanha australiana, dependendo do preço, o que rendeu uma brincadeira do presidente com os funcionários. “A compra da picanha australiana é feita em momentos oportunos de preço menor, com qualidade igual”, disse Godoi.
» Planalto minimiza grampo que flagrou ministro na Operação Carne Fraca

Sobre a reação de Temer, o gerente contou. “A compra da picanha australiana é feita em momentos oportunos de preço menor, com qualidade igual”, disse Godoi. O presidente e seus convidados foram servidos de picanha, alcatra, fraldinha, linguiça e carne de cordeiro.

A comitiva movimentou o restaurante, que sofreu uma baixa procura desde a última setxa-feira (17), dia em que a operação foi deflagrada. “Quando saiu a notícia da operação na sexta, o movimento foi bem abaixo do esperado. No sábado, voltou um pouco e hoje foi normal”, afirmou o gerente.


PUBLICIDADE
FECHAR