12/dez
Foto: André Nery  / JC Imagem
Foto: André Nery / JC Imagem

Promotor recorre e pede prisão preventiva de representantes de PMs

12 / dez
Publicado por Amanda Miranda em Notícias às 20:35

O promotor Quintino Geraldo recorreu nesta segunda-feira (12) da decisão do juiz Luiz Cavalcanti Filho e pediu a prisão preventiva do presidente da Associação de Cabos e Soldados (ACS), Alberisson Carlos da Silva, e do vice-presidente da instituição, Nadelson Leite. Os dois foram presos em flagrante na última sexta-feira (9), durante assembleia da categoria, depois que a Justiça havia decidido que a reunião não era permitida por lei.

O parecer do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) foi apresentado na audiência de custódia realizada no fim de semana, quando o magistrado indeferiu o pedido de prisão preventiva.

LEIA TAMBÉM
» “Exército nas ruas mostra incapacidade do Estado de dialogar”, diz presidente da Associação de Cabos e Soldados
» Ministro quer Guarda Nacional Permanente no País: “Militar não é treinado para exercer funções de polícia”
» Pedido de aumento da PM custaria quase R$ 1 bilhão aos cofres públicos. Paulo Câmara não quer repetir Sérgio Cabral

Após ameaçar entrar em greve na semana passada, os policiais militares decidiram aguardar a próxima rodada de negociação com o governo Paulo Câmara (PSB), marcada para 4 de janeiro, cumprindo o que é chamado de operação padrão, em que os profissionais não cumprem o Programa de Jornadas Extra (PJEs). Mesmo sem a paralisação dos PMs, o Exército foi chamado para ajudar na segurança do Estado.

» Presidente da Associação de Cabos e Soldados é preso durante assembleia no Derby
» Oposição condena prisão de dirigentes da Associação de Cabos e Soldados e cobra diálogo
» Joel da Harpa diz que vai assumir ‘qualquer responsabilidade’ sobre movimento dos policiais e bombeiros

Na pauta de reivindicações da categoria, está o reajuste salarial, o Plano de Cargos e Carreiras e mudanças no pagamento e contratação de agentes. No documento, o reajuste sugerido varia de acordo com os cargos. No caso dos soldados, que hoje recebem R$ 2.319,89 a proposta é de R$ 4.497,84, valor aproximado ao piso da categoria em Sergipe. Os coronéis, que hoje recebem R$ 13.160,95, passariam a ter um salário de R$ 22. 498,82.


PUBLICIDADE
FECHAR