inserções do PSB

Sílvio Costa cobra de Geraldo Julio ataques a Armando Monteiro

Publicado em 17/09/2014 às 19:41 por em Eleições, Notícias
Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

Um dos principais aliados do senador Armando Monteiro Neto (PTB), o deputado federal Sílvio Costa (PSC) cobrou, nesta quarta-feira (17), do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), as inserções do PSB com ataques ao petebista, afirmando que ele faliu empresas.

“Geraldo Julio reclamou que Armando começou a pedir explicações sobre o caso do avião porque estava desesperado. Eles agora também começaram a criticar. É porque eles também estão desesperados?”, questionou, em conversa com o Blog de Jamildo.

Leia também: TRE suspende inserções do PSB com ataques a Armando Monteiro

Na chegada à TV Jornal, Paulo Câmara defende inserções com críticas a Armando

De acordo com o deputado, os socialistas teriam começado a perceber que o crescimento de Paulo Câmara (PSB) nas pesquisas foi uma bolha, resultado da comoção com a morte do ex-governador Eduardo Campos. Geraldo é um dos coordenadores da campanha de Câmara.

“A estratégia é a mesma que foi usada com Daniel Coelho quando ele tava com medo de perder a eleição”, disse o deputado, em referência às eleições de 2012, quando quase houve segundo turno entre Geraldo e o deputado estadual tucano.

Sílvio Costa também disse que queria fazer um apelo aos pernambucanos através do Blog para pedir que eles assistam o debate da TV Jornal, realizado na noite dessa terça (16).

“Os pernambucanos vão perceber que que o outro candidato não tem a menor condição de governar Pernambuco”, disse o parlamentar, para quem Armando tem mais credenciais.

quebrando paradigmas

Na JC News, Albanise Pires desafia adversários e defende maconha e aborto

Publicado em 17/09/2014 às 18:53 por em Notícias

O IBOPE divulgou em setembro, uma pesquisa apontando que a maioria dos brasileiros são contra o casamento gay, o aborto e a legalização da maconha. Os temas estão em discussão entre os candidatos à presidência no Brasil.

Aqui no Recife, nesta tarde de quarta, em debate na JC News, a candidata do PSOL, Albanise Pires, demonstrou que não está nem aí para as pesquisas de opinião. No ar, defendeu a liberação da maconha e o aborto.

O Blog de Jamildo perguntou se a candidata já havia consumido maconha e ela recusou-se a responder. “Não interessa. O que interessa é o debate político”, disse. “Se eu abortei ou não, também não interessa”, completou.

“Tem que descriminalizar o uso da maconha. Hoje, quem paga é a classe mais empobrecida. O jovem tem que ir para a boca de fumo. Isto coloca o jovem em risco maior. Deveria haver espaços legais com limites permitidos (para a venda). A maconha deve sair do bojo das drogas ilegais. Não podemos ter hipocrisia”, afirmou.

“Não defendo o aborto, mas devemos discutir a descriminalização. Como seria feito, a regulação disto. Não vamos abortar uma barriga de sete meses”, observou.

No meio do debate e também no final, a candidata desafiou os concorrentes, João Paulo e Fernando Bezerra Coelho, a participaram de um debate ao vivo. Ela também pediu que João Paulo assinasse um documento comprometendo-se a não deixar o Senado pela disputa da PCR, depois. “Ele só fala da campanha do Recife no guia”, disse.

Paulo Roberto Costa

Silêncio do ex-diretor da Petrobras gera embate entre oposição e aliados de Dilma

Publicado em 17/09/2014 às 18:52 por em Eleições, Notícias
Paulo Roberto Costa ao lado da advogada preferiu ficar em silêncio. Foto: Agência Senado.

Paulo Roberto Costa ao lado da advogada preferiu ficar em silêncio. Foto: Agência Senado.

Com o silêncio do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa durante o depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) Mista, nesta quarta-feira (17), criou-se um embate entre parlamentares da oposição e aliados do governo.

Tucanos e democratas partiram para o ataque contrao governo federal e disseram que “a corrupção na Petrobras é, na verdade, uma continuidade do mensalão”.

O líder do DEM na Câmara dos Deputados, Mendonça Filho, disse que a principal estatal brasileira se transformou numa “casa de negócios” para financiar partidos políticos.

“A Estatal está sendo assaltada. Nosso dever é ir a fundo, investigar todas as denúncias. Os indícios de graves problemas estão aí e não são de hoje”, disparou o democrata.

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, afirmou que o PT mostrou ao longo do processo a intenção de que está interessando em investigar.

Segundo ele, o fato de não haver a possibilidade de ouvir Paulo Roberto agora não significa prejuízo à investigação até porque a Polícia Federal e Ministério Público estão investigando.

“Infelizmente o jogo que se faz aqui é o da disputa política. As imagens da TV senado estão sendo usadas em programas eleitorais. Os discursos radicais muitas vezes feitos aqui são para uso político”, observou o senador.

ENCAMINHAMENTOS – Os parlamentares fizeram uma votação simbólica e chegaram a conclusão de convocar a contadora Meire Poza, que trabalhou para o doleiro Alberto Youssef, para depor.

Meire relatou, de acordo com a revista Veja, que Youssef, preso na Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF), circulava com “malas e malas de dinheiro” em esquema de lavagem que teria como destino políticos do PT, PMDB e do PP.

A CPI da Petrobras também aprovou requerimento para ter acesso à cópia dos depoimentosa da contadora na Justiça Federal do Paraná. A decisão ocorreu ao fim do “testemunho” do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa.

Tags: aliados, Dilma, Paulo Roberto Costa, Petrobras, PT,
liminar

TRE suspende inserções do PSB com ataques a Armando Monteiro

Publicado em 17/09/2014 às 18:48 por em Eleições, Notícias
Debate da TV Jornal fica polarizado entre Armando e Paulo. Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem.

Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem.

Decisão liminar do desembargador eleitoral Agenor Ferreira Lima, do Tribunal Regional de Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), suspendeu nesta quarta-feira (17) a veiculação de inserções do PSB na televisão que atacavam o senador Armando Monteiro Neto (PTB). O mérito ainda será analisado pelo Pleno do TRE e o PTB espera que seja concedido o direito de resposta à coligação.

Leia também: Na chegada à TV Jornal, Paulo Câmara defende inserções com críticas a Armando

Os vídeos começaram a ser veiculados nessa terça (16) e diziam que o senador petebista faliu empresas e não era um bom patrão. Para o advogado do PTB, Walber Agra, as inserções configuram crimes de calúnia, injúria e difamação.

Na noite dessa terça, assim que chegou ao Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC) para o debate da TV Jornal, Paulo Câmara defendeu os vídeos e disse que tudo o que é dito pelo PSB é verdade.

Tags: Armando Monteiro, Eleições, Eleições 2014, justiça, Justiça Eleitoral, Paulo Câmara, psb, PTB, tre,
envolvimento com doleiro

Justiça condena Youssef a 4 anos e 4 meses de prisão

Publicado em 17/09/2014 às 18:21 por em Eleições, Notícias

A Justiça Federal no Paraná condenou nesta quarta feira, 17, a 4 anos e 4 meses de prisão o doleiro Alberto Youssef pelo crime de corrupção ativa no âmbito do caso Banestado – escândalo de evasão de divisas nos anos 1990. Alvo da Operação Lava Jato – investigação sobre lavagem de R$ 10 bilhões e corrupção na Petrobrás – Youssef sofria ainda acusação por seu vínculo com o caso do antigo banco do Estado do Paraná.

Neste caso, ele foi condenado porque obteve, em agosto 1998, empréstimo fraudulento de US$ 1,5 milhão para a Jabur Toyopar Importação e Comércio de Veículos Ltda. no Banestado, agência de Grand Cayman, mediante pagamento de propina de US$ 131 mil ao então diretor de Operações Internacionais da instituição financeira.

A sentença é do juiz Sérgio Moro. Na mesma sentença, o doleiro foi absolvido da imputação do crime de gestão fraudulenta de instituição financeira. O juiz condenou Youssef ao regime fechado – o doleiro está preso desde 17 de março por sua ligação com a Lava Jato.

A ação contra Youssef havia sido suspensa em 2004, quando o doleiro fez delação premiada e revelou bastidores de um grande esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas por meio do Banestado.

Com a descoberta da participação de Youssef nos crimes de lavagem e corrupção no âmbito da Lava Jato, deflagrada em março pela Polícia Federal, a Justiça reabriu duas ações penais contra o doleiro, ainda da época do caso Banestado.

A condenação hoje imposta ao doleiro é oriunda de ação penal originariamente proposta em 2003 pelo Ministério Público Federal – ela foi suspensa em decorrência daquele acordo de colaboração premiada celebrado pelo Ministério Público Federal e pelo Ministério Público do Estado do Paraná com Alberto Youssef.

Em decorrência dos fatos apurados na Operação Lava Jato, o acordo a pedido do Ministério Público Federal, foi declarado rompido e a ação penal retomou o seu curso agora.

pedido do governador

STF derruba censura e Istoé volta a circular em Fortaleza

Publicado em 17/09/2014 às 18:18 por em Eleições, Notícias

Decisão do ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), cassou a liminar da juíza de Fortaleza Maria Marleide Maciel Queiroz, que proibia a circulação da revista Istoé, atendendo a pedido do governador do Ceará, Cid Gomes (PROS). A edição semanal da revista inclui o nome de Cid Gomes como um dos beneficiários de um esquema de desvio de dinheiro da Petrobras.

A reportagem traria revelações sobre a delação premiada do ex-diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa. Segundo a Istoé, no depoimento dado à Polícia Federal, Costa teria dito que o projeto de instalação de uma mini-refinaria no Ceará seria uma fachada para um esquema de lavagem de dinheiro.

Procurado pela própria Istoé, Cid Gomes negou participar do esquema e afirmou que não conhece Paulo Roberto Costa.

Leia também: Juíza atende pedido de Cid Gomes e proíbe revista IstoÉ de circular em Fortaleza

Tags: Ceará, Cid Gomes, justiça, PROS, STF,
eleições 2014

No Recife, candidata do PSOL diz que vídeo de Marina sobre bolsa família é piegas

Publicado em 17/09/2014 às 17:46 por em Notícias

Albanise Pires, a candidata do PSOL ao Senado em Pernambuco, instada nesta tarde de quarta a comentar o vídeo em que Marina Silva se defende das acusação de querer acabar com o Bolsa Família, se eleita, criticou a peça de campanha, em sabatina na JC News.

“Não precisava deste tipo de apelação. Ficou piegas”, disse acreditar.

Perguntada se concordava que o PT estava fazendo terrorismo eleitoral, a candidata respondeu, mas de forma aparentemente evasiva. “O terrorismo é maléfico, pois ele é desqualificante”, disse.

Ao falar da emoção usada pelo PSB na internet e no guia eleitoral, nesta terça-feira, Albanise Pires aproveitou a oportunidade para criticar o concorrente do PSB, Fernando Bezerra Coelho, candidato ao Senado. “Vi um candidato chorando. Achei feio para ele”, afirmou, em referência a uma gravação do socialista logo após a morte de Eduardo Campos.

De acordo com os jornais nacionais, a campanha de Dilma Rousseff (PT) vai ampliar os ataques a Marina na TV. Em peça que vai ao ar hoje, dirá que as propostas da rival representam “um grande risco para programas sociais como o Minha Casa, Minha Vida e o ProUni”.

O coordenador do programa de governo de Marina Silva condenou os ataques à candidata na propaganda do PT. “Ao falsificar a realidade e mentir sobre Marina Silva, a presidente Dilma Rousseff menospreza e infantiliza o povo brasileiro.”

showmício

MP Eleitoral quer ampliar multa contra PSB por propaganda durante “O Maior Show do Mundo”

Publicado em 17/09/2014 às 17:44 por em Eleições, Notícias
Placas luminosas no "Maior Show do Mundo". Foto: divulgação.

Placas luminosas no “Maior Show do Mundo”. Foto: divulgação.

A Procuradoria Regional Eleitoral em Pernambuco (PRE-PE) recorreu nesta quarta-feira (17) da decisão que condenou o candidato ao Governo de Pernambuco, Paulo Câmara, o postulante a deputado federal Felipe Carreras e o PSB pela realização de propaganda eleitoral irregular no evento conhecido como “Maior Show do Mundo”.

Depois de julgar a representação proposta pela procuradoria, o desembargador eleitoral José Ivo de Paula Guimarães aplicou aos candidatos e ao partido multa no valor de R$ 2 mil – valor mínimo previsto no artigo 37, da lei 9.504/97.

Entretanto, o procurador regional eleitoral auxiliar Joaquim José de Barros Dias pede ao Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) que a multa seja fixada no limite máximo previsto pela legislação, que é R$ 8 mil reais.

A imagem e o número de campanha de Paulo Câmara e Felipe Carreras foram divulgados por meio de diversas placas luminosas exibidas no evento, que ocorreu no último dia 24 de agosto, no Centro de Convenções de Pernambuco.

Em um dos registros fotográficos apresentados pela PRE-PE, 16 pessoas portavam as placas, lado a lado, formando um verdadeiro “paredão”. Além disso, Carreras chegou a circular entre os indivíduos que levavam as placas luminosas, de modo a aumentar a promoção de sua candidatura.

Embora se trate de evento privado, o “Maior Show do Mundo” foi realizado em local considerado, para fins eleitorais, como “bem de uso comum”, que é o bem particular a que a população em geral tem acesso. Para a PRE-PE, a aplicação da multa em seu valor máximo se justifica pelo volume e o caráter ostensivo da propaganda eleitoral, bem como pela magnitude do evento, que contou com a presença de cerca de 35 mil pessoas.

opinião

Só há duas políticas e dois candidatos em Pernambuco

Publicado em 17/09/2014 às 17:43 por em Notícias

Por Roberto Numeriano, especial para o Blog de Jamildo

Ontem à noite, durante o debate da TV Jornal, constatei, fazendo a análise do discurso dos três candidatos, que na prática só dois candidatos estavam ali, em termos políticos: Zé Gomes, do PSOL, e Armando Monteiro, do PTB. Como assim? De fato, o Paulo Câmara não entrou no debate. Não por acaso, os candidatos Zé Gomes e Armando Monteiro enquadraram-no em todas as intervenções em que se dirigiram ao mesmo.

O candidato Paulo Câmara é um homem sem lastro político próprio, independência de opinião e capacidade para ser líder (pelo menos por enquanto). De modo abusivo, não falava uma frase sem escorar-se no falecido Eduardo Campos. Apenas quando Armando Monteiro, de modo educado e com fina ironia, aludiu a esse fato, é que Câmara deixou de citar o antigo mentor político.

Câmara não defendeu ali nenhuma política que possa se alicerçar, em termos político-ideológicos, numa agenda para romper paradigmas antigos e autoritários na discussão de políticas públicas e modos de intervenção da cidadania sobre temas como saúde, educação, transporte, segurança etc. Nem podia, pois é usuário desse paradigma, como antigo burocrata de carreira.

O candidato Zé Gomes foi o único a fazê-lo. Armando também não o fez, mas Armando é um candidato real, com todas as contradições e limites de sua agenda de poder. A real polarização da disputa político-ideológica é entre Armando e Zé Gomes, para além das intenções de voto.

Paulo Câmara nem é candidato dele mesmo. É apenas uma voz órfã de um grupo político órfão e destroçado depois da morte do líder político que centralizava e decidia tudo de modo politicamente imperial.

Temo muito por Pernambuco, se Câmara vencer esta eleição. E isso independentemente de minha condição de eleitor do PSOL. E temo porque vamos ter uma disputa intestina eterna pelo espólio do poder político de Campos. Todos apenas aguardam a poeira da disputa assentar. As belas palavras de “legado político” os ventos levam. Há pelo menos três sub-grupos no PSB de Pernambuco, e nenhum deles vai se submeter a um neófito que foi “sagrado” pelo grupo hegemônico de Campos, e que era, na essência, ele próprio.

Roberto Numeriano é jornalista, professor e doutor em Ciência Política.

Página 1 de 9.37912345...102030...Última »