petrolão

Ex-diretor da Petrobras cita 28 políticos em sua delação premiada

Publicado em 19/12/2014 às 11:53 por em Notícias
Dúvida é se depoimento será ou não secreto. Foto: Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

Exatos 28 nomes de políticos que estariam envolvidos no esquema de corrupção da Petrobras foram citados nos depoimentos de delação premiada do ex-diretor de abastecimento e refino da estatal, Paulo Roberto Costa, segundo afirma reportagem publicada na edição desta sexta-feira (19) do jornal O Estado de São Paulo. Entre os políticos mencionados na lista, figuram 4 pernambucanos.

Costa citou deputados, governadores e até ministros de estados que, segundo ele, participavam do esquema recebendo propina em contratos assinados entre a estatal e empreiteiras. O dinheiro seria aplicado no caixa 2 de campanha do PT, PMDB, PSB e PP.

Quatro pernambucanos figuram entre os mencionados pelo ex-diretor: o senador Humberto Costa (PT), o deputado federal Pedro Corrêa (PP), o ex-senador e ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra, e o ex-governador Eduardo Campos (PSB), esses dois últimos já falecidos.

Os mencionados negam envolvimento no esquema e o senador Humberto Costa chegou a fornecer o seu sigilo bancário como garantia de que não não possui nenhum envolvimento com o esquema da Lava Jato.

Entenda o caso:

A operação Lava Jato foi iniciada em março deste ano e investiga um esquema de lavagem e desvios de dinheiro nos contratos assinados entre empreiteiras e a estatal petrolífera, uma das principais empresas brasileiras.

Segundo estimativas, cerca de R$ 59 bilhões foram desviados entre os anos de 2003 e 2014, correspondentes aos três mandatos do PT à frente do Palácio do Planalto.

Além de políticos, a Lava Jato também deflagrou fases da operação em que donos e executivos das empreiteiras que mantinham contratos com a Petrobras foram detidos.

Confira a lista completa:

PT

Antonio Palocci – ex-ministro dos governos Lula e Dilma

Gleisi Hoffmann – senadora (PR) e ex-ministra da Casa Civil

Humberto Costa – senador (PE) e líder do PT na Casa

Lindbergh Farias – senador (RJ)

Tião Viana – governador reeleito do Acre

Delcídio Amaral – senador (MS)

Cândido Vaccarezza – deputado federal (SP)

Vander Loubet – deputado federal (MS)

PMDB

Renan Calheiros – presidente do Senado (AL)

Edison Lobão – ministro de Minas e Energia

Henrique Eduardo Alves – presidente da Câmara (RN)

Sérgio Cabral – ex-governador do Rio de Janeiro

Roseana Sarney – ex-governadora do Maranhão

Valdir Raupp – senador (RO) e 1º vice-presidente do partido

Romero Jucá – senador (RR)

Alexandre José dos Santos – deputado federal (RJ)

PSB

Eduardo Campos – governador de Pernambuco de 2007 a 2014 (morto em 2014)

PSDB

Sérgio Guerra – presidente nacional do PSDB de 2007 a 2013 (morto em 2014)

PP

Ciro Nogueira – senador (PI)

João Pizzolatti – deputado federal (SC)

Nelson Meurer – deputado federal (PR)

Simão Sessim – deputado federal (RJ)

José Otávio Germano – deputado federal (RS)

Benedito de Lira – senador (AL)

Mário Negromonte – ex-ministro de Cidades

Luiz Fernando Faria – deputado federal (MG)

Pedro Corrêa – ex-deputado federal (PE)

Aline Lemos de Oliveira – deputada federal (SP)

eleições 2014

Diplomação de Paulo Câmara acontece nesta sexta-feira

Publicado em 19/12/2014 às 11:29 por em Notícias
Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

O governador eleito de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), será diplomado na tarde desta sexta-feira (19), em solenidade no Teatro Guararapes, no Centro de Convenções de Pernambuco, a partir das 15h. Além do governador, o seu vice, o senador e os deputados eleitos pelo Estado de Pernambuco também serão diplomados.

A diplomação é o ato que encerra o ciclo eleitoral e os candidatos eleitos têm a sua vitória nas urnas oficializada através do certificado que reconhece a validade de sua eleição. Nessa quinta-feira (18), Paulo já havia participado da diplomação da presidente reeleita Dilma Rousseff (PT), em cerimônia realizada em Brasília.

LEIA TAMBÉM:
>> Ao ser diplomada no TSE, Dilma defende Petrobras e condena corrupção
>> PSDB pede cassação de Dilma e diplomação de Aécio Neves

>> De saída, João Lyra dá entrevista bombástica ao SJCC

Na ocasião também serão diplomados o vice-governador eleito, Raul Henry (PMDB), o senador eleito por Pernambuco, Fernando Bezerra Coelho (PSB), além de 49 deputados estaduais e dos 25 deputados federais eleitos em 2014 para representar Pernambuco em Brasília a partir da legislatura que se inicia em 2015.

A diplomação é o ato pelo qual a Justiça Eleitoral concede, ao candidato eleito, o certificado oficial reconhecendo a validade de sua eleição. A entrega do documento encerra o ciclo eleitoral e antecede a cerimônia de posse dos deputados estaduais, no dia primeiro de fevereiro de 2015, no Plenário da Assembleia legislativa de Pernambuco (Alepe), às três da tarde.

A solenidade será coordenada pelo presidente do TRE, desembargador Fausto Campos, com a presença de autoridades dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Primeiro encontro:

A cerimônia proporcionará o primeiro encontro entre Paulo e Fernando Bezerra Coelho depois do mal estar causado na última segunda-feira (15), quando o senador eleito divulgou nota à imprensa onde mostrava desconforto pela pouca participação que teve na formação da nova equipe do secretariado estadual.

LEIA TAMBÉM:
>> Paulo Câmara esnoba indicação de Fernando Bezerra Coelho, que reclama publicamente
>> Raul Henry minimiza queixa de FBC: “É da política”
>> Para aliados de Paulo Câmara, FBC e João Lyra sofrem de vaidade em excesso

votação

Câmara do Recife aprova projeto que altera legislação urbanística em área de preservação

Publicado em 19/12/2014 às 9:00 por em Notícias
Foto: Reprodução/Internet

Foto: Reprodução/Internet

Do JC Online

Foi aprovado nessa terça-feira, na Câmara do Recife, com forte apoio da bancada governista, o projeto de lei do Executivo 43/2014, que altera a legislação urbanística referente à Zona Especial de Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural (ZEPH 08), composta por Boa Vista, Coelhos e Soledade. Apesar das advertências da oposição, a matéria venceu por 23 votos a 7 e deve ser sancionada em até 15 dias.

O texto diz que “os projetos aprovados e com alvará de demolição já expedido serão regularmente concluídos e licenciados segundo as leis e a classificação dos imóveis vigentes à época de sua aprovação”.

O projeto urbanístico da ZEPH 08 foi aprovado em julho deste ano, suspendendo todas as licenças de demolição que estavam em aberto na época. Alguns empreendimentos, como o residencial Nossa Senhora do Carmo, da construtora Conic, na Rua Visconde de Goiana, foram afetados. Nas redes sociais, o movimento Direitos Urbanos vinha se manifestando contrariamente ao PLE 43/2014.

O líder do governo, Gilberto Alves (PTN), por sua vez, fez questão de assegurar que o projeto foi minuciosamente analisado pela Casa e pela Procuradoria Municipal. “Ao longo do dia conseguimos conversar com as bancadas, já que alguns vereadores não estavam ainda convencidos”, afirmou. Na sua justificativa, o prefeito Geraldo Julio (PSB) explica que o projeto visa “impedir a desconstituição de atos jurídicos estabelecidos antes da vigência da Lei Municipal”.

Entretanto, os vereadores Priscila Krause (DEM) e Raul Jungmann (PPS) usaram a tribuna para externar que não ficaram convencidos da constitucionalidade do projeto. Na visão da democrata, a prefeitura afronta a lógica de preservação de “maneira despudorada”. “Existem inúmeras decisões do STF que questionam a validade desse direito adquirido. Se você não executou a licença, isso não se transforma em direito adquirido”, defendeu. O vereador Raul Jungmann declarou que pretende entrar na Justiça para contestar o projeto do Executivo.

Cultura

Museu do Estado de Pernambuco é reinaugurado em novo espaço

Publicado em 19/12/2014 às 8:33 por em Notícias
Foto: Raul Buarque/SEI

O Museu passou por revitalização e o novo espaço já recebe visita do público. Foto: Raul Buarque/SEI

O Palacete Estácio Coimbra, que abriga o Museu do Estado de Pernambuco (MEPE), reabriu as portas na noite dessa quinta-feira (18) para a realização da solenidade de entrega de seu novo espaço. O casarão passou por um processo de reforma e revitalização nos últimos meses e já está aberto para visitações.

O evento contou com a participação do governador do Estado João Lyra (PSB), da primeira-dama de Pernambuco, Leila Queiroz, além da ex-primeira-dama Renata Campos, viúva do ex-governador Eduardo Campos.

João Lyra destacou a importância do lugar para o conjunto de obras e agendas culturais em Pernambuco:  “Esse é um importante equipamento da cultura pernambucana. Com sua revitalização, podemos transmitir aos alunos, ao povo pernambucano e a todos que nos visitam, parte da nossa história”.

A ex-primeira-dama, Renata Campos, também participou da solenidade. Foto: Raul Buarque/SEI.

A ex-primeira-dama, Renata Campos, também participou da solenidade. Foto: Raul Buarque/SEI.

Já o secretário de Cultura do Estado, Marcelo Canuto, lembrou que nos próximos dias estão previstas inaugurações de outros espaços culturais no no Estado, como o Museu do Trem, e lembrou a sanção da Lei do Conselho de Patrimônio Cultural, que promoverá a democratização e transparência na área.  “Essa lei ficará marcada na política de cultura de Pernambuco”, pontuou o secretário.

A diretora do Museu do Estado, Maria Digna Pessoa de Queiroz, elogiou a equipe que trabalhou na revitalização do prédio: “Eles são apaixonados, competentes e estudiosos. Eles trabalharam entrando pela noite para que pudéssemos estar aqui hoje”.

Com dois pavimentos e 300 mil metros quadrados, o Museu do Estado mantém a proposta de “museu-casa” e retrata como era um casario pernambucano do século XIX. Para marcar a reabertura do espaço, foi instalada a exposição “O Casarão e a Cidade – usos e costumes”, com o objetivo de resgatar a história do imóvel e também a dinâmica da cidade e das famílias da época, como os hábitos alimentares, a forma de dispor a comida à mesa, além dos costumes do Oriente e da Europa, adotados pelas famílias aristocráticas pernambucanas.

A mostra, que está disposta em 12 ambientes com sete núcleos conceituais, reúne fotografias, textos e mobiliários da época, além de quadros, porcelanas e cristais.

O local estará aberto para visitação do público em geral a partir desta sexta-feira (19/12). Com horário de funcionamento de terças a sextas-feiras (das 9h às 17h), e no sábado e domingo (das 14h às 17h), a entrada custa R$ 5 (inteira) e R$ 2,50 (meia). Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 3184-3174.

solenidade

Ao ser diplomada no TSE, Dilma defende Petrobras e condena corrupção

Publicado em 18/12/2014 às 21:20 por em Notícias
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Da Agência Brasil

A presidente Dilma Rousseff saiu, nesta quarta-feira (18), mais uma vez em defesa da Petrobras, e conclamou a população a firmar um pacto contra a corrupção e afirmar que o crescimento do país vai se acelerar “mais rápido do que alguns imaginam”. Em discurso na cerimônia de diplomação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ela disse também que cabe aos eleitos governarem bem e, ao segundo colocado, exercer o papel de oposição da melhor maneira possível. “Como eleição democrática não é uma guerra, não produz vencidos”, declarou.

Dilma Rousseff discursou logo após receber o diploma – que a habilita a ser empossada no dia 1º de janeiro – das mãos do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Dias Tóffoli. Em uma fala voltada a promessas de ações conceituais, de como pretende iniciar o seu segundo mandato, ela fez questão de repetir palavras como “novo”, “mudança” e “esperança”.

Os casos de corrupção da Petrobras foram explicitamente citados pela presidente em meio à linha de raciocínio de que “alguns funcionários” foram atingidos no processo, mas é preciso “continuar acreditando na mais brasileira das nossas empresas”. O argumento utilizado foi o de que é preciso “punir pessoas, não destruir empresas”. “Estamos enfrentando com destemor, e vamos transformar [o caso] em energia transformadora”, defendeu. Essa luta contra os malfeitos foi exemplificada por Dilma com expressões para “apurar com rigor tudo de errado”, “criar mecanismos que evitem fatos como esse” e “saber apurar, punir”.

“Não podemos fechar os olhos a uma verdade indiscutível. Chegou a hora do Brasil dar um basta à corrupção”, declarou a recém-diplomada, para complementar que um “grande pacto nacional contra a corrupção”, envolvendo todas as esferas da sociedade, “vai desaguar na grande reforma política que o Brasil precisa”. No entanto, não é um conjunto de novas leis que vai resolver os problemas, na opinião da presidente. Ela disse que a mudança envolve uma nova consciência de moralidade pública na atual e nas próximas gerações. “Quero ser a presidente que ajudou a tornar esse processo irreversível”, continuou.

“Temos a felicidade de viver em um país onde a verdade não tem mais medo de aparecer”, afirmou. Punir os responsáveis, no entanto, não diminui a importância e a competência da empresa, de acordo com a presidente reeleita. Para ela, é preciso continuar apostando na governança da Petrobras, no modelo de partilha e na política de conteúdo local. “A Petrobras e o Brasil são maiores que qualquer problema e crise”, acrescentou, e “por isso temos capacidade de superá-los e deles sair melhores e mais fortes”, afirmou.

Após a fala de Dilma, Dias Tóffoli declarou que as eleições são “página virada” e “que os especuladores que se calem”. “Não há espaço para terceiro turno que possa vir a caçar voto desses 54.501.118 eleitores”, frisou.

“Estamos aqui cumprindo o desejo da maioria do povo brasileiro. O povo, na sua sabedoria, escolhe quem ele quer que governe e quem ele quer que seja oposição. Simples assim”, disse a presidente ao iniciar o seu discurso, antes de dizer que saber vencer é fazer com que todos tenham oportunidades iguais para construir um futuro melhor.

“Ser a primeira mulher eleita e reeleita para ocupar o mais alto cargo da nação deixa minha alma plena de alegria, responsabilidade e destemor”, declarou Dilma Rousseff, para depois complementar que não deve ter medo de mudar a realidade, mesmo que seja difícil. “Nem tampouco medo de mudar a si próprio, mesmo que isso cause algum desconforto”.

Após dizer que as portas a serem fechadas são as da corrupção, e não as do crescimento e do progresso, Dilma anunciou que reserva para o seu discurso de posse, daqui a duas semanas, o detalhamento de “medidas que vamos tomar para mais crescimento, mais desenvolvimento econômico e mais progresso social”. Ao terminar sua fala, convocou todos os brasileiros que a acompanhem “nessa caminhada de transformação e de mudança”.

Ocorrida no plenário do TSE, a cerimônia de diplomação contou com a presença de autoridades como os presidentes do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski; do Senado Federal, Renan Calheiros; e da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves; além do procurador-geral da República, Rodrigo Janot; do comandante da Força Aérea Brasileira, Juniti Saito; e dos ex-presidentes da República José Sarney e Luiz Inácio Lula da Siva.

Tags: Dilma Rousseff, diplomação, Justiça Eleitoral,
abuso do poder econômico

PSDB pede cassação de Dilma e diplomação de Aécio Neves

Publicado em 18/12/2014 às 20:13 por em Notícias

Momentos antes da cerimônia de diplomação de Dilma Rousseff (PT), o PSDB pediu nesta quinta-feira (18) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a cassação do registro de candidatura da presidente reeleita e do vice, Michel Temer (PMDB).

O partido protocolou uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em que cita casos de utilização da máquina administrativa e abuso do poder econômico cometidos pela petista.

No documento, o PSDB solicita ainda que o tribunal diplome, para os cargos, Aécio Neves e Aloysio Nunes, candidatos a presidente e vice da Muda Brasil, que ficaram em segundo lugar na disputa eleitoral.

No texto, o PSDB menciona desvios que, na avaliação do partido, comprometeram a legitimidade das eleições. Como exemplo, a convocação imprecisa de redes de rádio e televisão para pronunciamentos, a manipulação de indicadores sócio-econômicos, o uso de prédios públicos, entre outros.

RECADO - No entanto, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) afirmou, durante a diplomação da presidente, nesta quinta (18), que as eleições de 2014 são página virada para a Justiça Eleitoral. “Não haverá terceiro turno na Justiça Eleitoral. Que os especuladores se calem. Não há espaço para terceiro turno para cassar o voto de 54.511.118 eleitores˜, afirmou.

Tags: aécio neves, cassação, Dilma, diplomação, Michel Temer, PSDB,
bye bye

Depois de quase seis décadas de vida pública, José Sarney se despede do Senado

Publicado em 18/12/2014 às 19:38 por em Notícias
José Sarney confirma voto em Aécio. Foto: Fotos Públicas.

José Sarney confirma voto em Aécio. Foto: Fotos Públicas.

O senador José Sarney, 84 anos, subiu à tribuna do Congresso Nacional nesta quinta-feira (18) fazer o último discurso na carreira política, após 59 anos de vida pública.

Pela própria vontade, Sarney decidiu não disputar mandato em outubro último. Antes de se despedir da Casa, o senador criticou o sistema político do Brasil. A corrupção da Petrobras também entrou no discurso do político.

Sarney falou que as denúncias envolvendo a estatal “envergonham” o País e prometer reapresentar o projeto, de sua autoria, que cria um estatuto para as estatais.

O maranhense falou para um plenário vazio. O peemedebista escolheu o primeiro horário dedicado aos discursos na sessão de quinta-feira –que é tradicionalmente esvaziada no Senado –para fazer sua despedida. A escolha, segundo ele, foi proposital.

“Eu quis fazer cedo para que não tivesse ninguém mesmo, para falar para as cadeiras vazias. Mas a Casa está enchendo”, afirmou.

Diversos senadores foram ao plenário homenagear Sarney. Com o fim do mandato, ele disse que vai dedicar seu tempo ao seu único hobbie: a leitura. “Acredito que passei 20% da minha vida lendo. Não tenho outra dedicação para encher meu ócio, senão o prazer de ler.”

efeito da corrupção

Petrobras e bancos fecham no vermelho, e puxam Bolsa para baixo

Publicado em 18/12/2014 às 19:15 por em Notícias
Foto: Reprodução/Internet

Foto: Reprodução/Internet

Da FolhaPress

Influenciado pela instabilidade das ações da Petrobras e dos bancos, o principal índice da Bolsa brasileira fechou esta quinta-feira (18) em queda. Com isso, destoou do clima positivo nos mercados internacionais, que refletiram a sinalização por parte do banco central dos EUA de que será paciente para subir os juros naquele país.

O Ibovespa teve desvalorização de 0,45%, para 48.495 pontos. O volume financeiro foi de R$ 6,054 bilhões. As ações preferenciais (sem direito a voto) da Petrobras fecharam em queda de 2,07%, para R$ 9,46 cada uma. Elas chegaram a subir 7,14% ao longo do dia.

Já as ações ordinárias da estatal (com direito a voto) encerraram o pregão com recuo de 0,22%, para R$ 9,02 cada uma, após terem registrado valorização de até 7,41% no dia. Segundo analistas, a mudança na tendência desses papéis seguiu a virada nos preços do petróleo no exterior, que, depois terem começado o dia em alta, fecharam no vermelho.

“A ação da Petrobras está muito volátil, é natural esse movimento que vimos hoje. Vejo o desempenho da Bolsa hoje como o Ibovespa retornando à sua tendência principal, que é de baixa. Teve apenas um ‘repique’ [retomada de curto prazo]. Acho que, até o fim do ano, o Ibovespa vai continuar instável, oscilando entre os 47.000 e 50.000 pontos”, disse Filipe Machado, da Geral Investimentos.

Para Machado, o que influencia a tendência de baixa da Bolsa é a queda das commodities, além do fato de os emergentes estarem sofrendo com incertezas econômicas e os EUA se recuperando de maneira consistente.

“No Brasil, a nova equipe econômica ainda não assumiu. Em suas falas, os novos ministros têm mostrado que querem transparência e ajuste fiscal. A partir do momento que forem tomadas medidas, se elas agradarem, o mercado pode mudar de tendência. Até lá, nada muda”, acrescentou.

A avaliação de Wagner Caetano, diretor da consultoria Cartezyan, é que foi natural o ajuste da Bolsa nesta quinta, depois de ter subido 3,63% na véspera. “Ontem, com o vencimento de opções, os estrangeiros dobraram a posição que eles tinham em compra de índice futuro. Com isso, o dólar teve uma queda muito forte, que foi mantida hoje. Isso significa que está tendo entrada de capital estrangeiro no país, especialmente para a renda variável”, disse.

enquetes

Você concorda com o cadastramento dos flanelinhas?

Publicado em 18/12/2014 às 18:10 por em Enquete

Marcada por muita polêmica, a proposta de cadastrar os flanelinhas do Bairro do Recife, na área central da cidade, começou a sair do papel no início desta semana. O projeto-piloto, encabeçado pela Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano do Recife, tem o objetivo de coibir práticas de extorsão e outras irregularidades cometidas pelos guardadores. Nas ruas, a indignação está presente na fala de muitos cidadãos, que denunciam a exploração do espaço público e irregularidades cometidas pelos flanelinhas.

E você, leitor, qual sua opinião sobre a nova medida?

Tags: cadastramento, Enquete, flanelinhas, prefeitura do recife,
Página 1 de 9.60612345678Última »