é muita divulgação!

Cota parlamentar de pernambucanos que deixarão a Câmara aumenta próximo ao fim do mandato

Publicado em 27/12/2014 às 17:55 por em Notícias
Foto: Gabriela Korossy/Câmara dos Deputados

Raul Henry foi o que mais gastou desde julho. Em novembro foram R$ 50 mil para divulgação de atividade parlamentar. Foto: Gabriela Korossy/Câmara dos Deputados

Por Amanda Miranda, repórter do NE10

O deputado federal João Paulo (PT) não é o único parlamentar pernambucano que está se despedindo do Congresso Nacional com aumento em milhares de reais a cota a que tem direito para despesas como passagens aéreas e telefonia. Dos outros nove que não assumirão novamente em fevereiro, sete também tiveram crescimento da cota parlamentar nos últimos meses. Entre eles, cinco aumentaram o uso para divulgação em outubro e novembro, logo após o período eleitoral. No total, Pernambuco tem 25 deputados federais.

O destaque na lista vai para Raul Henry (PMDB), eleito vice-governador de Pernambuco este ano. Embora tenha economizado em dezembro, em novembro o peemedebista gastou R$ 50.250 com divulgação da atividade parlamentar. No mesmo mês, Roberto Teixeira (PP) destinou R$ 50.076,00 para a mesma área. Vilalba (PP) desembolsou R$ 30 mil em outubro.

Com despesas relativamente contidas desde julho, a cota de Paulo Rubem Santiago (PDT), candidato a vice governador na chapa do futuro ministro Armando Monteiro Neto (PTB), deu um salto em novembro. Com R$ 61 mil revertidos à divulgação da atividade parlamentar, atingiu R$ 68.564,67 de gastos.

Fernando Ferro (PT) fez o mesmo. No último mês frequentando a Casa onde esteve por cinco mandatos, o petista gastou R$ 33 mil com divulgação parlamentar, o que fez a sua cotar passar de R$ 10.872,31 em novembro para R$ 36.224,68 em dezembro. O mesmo valor já havia tido o mesmo destino em outubro. Em setembro, comprou R$ 26.328,54 em passagens aéreas.

No sentido inverso, Pedro Eugênio (PT) diminuiu. Apesar de o petista ter passado de R$ 22.338,69 para R$ 33.672,51 gastos registrados entre setembro e outubro, mês das eleições, vem diminuindo esse valor. Em dezembro, foi de R$ 8.801,14, dos quais R$ 5.9 mil foram destinados a uma consultoria.

O deputado que menos gastou em dezembro foi José Augusto Maia (Pros), que desembolsou R$ 162,75 para telefonia. Porém, em outubro registrou R$ 50 mil destinados à divulgação da atividade parlamentar.

DOIS CASOS - Embora não tenha sido reeleito, Augusto Coutinho (SD) voltará à Câmara dos Deputados em fevereiro como suplente, depois que o secretariado do governador eleito Paulo Câmara (PSB) deixou vagas quatro cadeiras. Em dezembro, Augusto Coutinho gastou apenas R$ 1.153,78, principalmente com serviços postais, telefonia e combustíveis. Entretanto, no mês anterior, bateu recorde desde julho, com despesas de R$ 84.274,88, sendo quase R$ 40 mil declarada como divulgação de atividade e mais de R$ 28 mil para consultoria técnica.

Ao contrário, Carlos Eduardo Cadoca (PC do B), outro que voltará à Casa como suplente por causa dos espaços deixados pelo secretariado em Pernambuco, vem registrando suas despesas em decréscimo desde setembro. Naquele mês foi de R$ 29.002,24, valor que diminuiu até chegar aos R$ 944,78 gastos em dezembro, este mês prioritariamente com o pagamento de combustível, alimentação e telefonia.

Todos os dados estão abertos no site da Câmara dos Deputados.

Tags: cota parlamentar, deputados federais, Pernambuco,
ranking

Armando é o 3º melhor senador do País, segundo Veja. Aécio é o pior

Publicado em 27/12/2014 às 17:20 por em Notícias
Armando Monteiro assumiu postura de interlocutor entre Dilma e o governo do Estado. Foto: Léo Caldas/PTB.

Foto: Léo Caldas/PTB

De acordo com o Ranking do Progresso 2014, elaborado pela revista Veja, o senador pernambucano Armando Monteiro Neto (PTB) foi o terceiro melhor na Casa este ano. O parlamentar assumirá o Ministério do Desenvolvimento, Comércio Exterior e Indústria no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff (PT).

O critério usado pela revista são as propostas apresentadas que, de acordo com a publicação, sejam capazes de contribuir com um País mais competitivo e moderno. Usando esse argumento, Aécio Neves (PSDB) recebeu nota zero e foi eleito o pior do Brasil.

Entre os pernambucanos, Jarbas Vasconcelos (PMDB), que se despede da Casa para assumir uma vaga na Câmara dos Deputados, aparece só em 60º. Humberto Costa (PT), líder do PT no Senado, está em 67º.

Para a Veja, Eduardo Amorim (PSC-SE) é o melhor senador, com Lindbergh Farias (PT-RJ), derrotado por Pezão (PMDB) para o governo do seu estado de origem, em seguida. Cassio Cunha Lima (PSDB-PB), senador que perdeu as eleições para o Governo da Paraíba, é o segundo pior.

DEPUTADOS - Antonio Imbassahy (PSDB-BA) e Marcus Pestana (PSDB-MG) receberam nota 10 e foram escolhidos o melhores deputados federais do País no Ranking do Progresso 2014. Gabriel Guimarães (PT-MG) aparece em segundo. Dois pernambucanos estão entre os dez primeiros colocados: Raul Henry (PMDB) e Jorge Côrte Real (PTB).

Tags: aécio neves, Armando Monteiro Neto, ranking, senador,
aos 75 anos

Inocêncio Oliveira passa bem, mas não tem previsão de alta

Publicado em 27/12/2014 às 16:03 por em Notícias
Foto: Alexandre Severo/Acervo JC Imagem

Foto: Alexandre Severo/Acervo JC Imagem

Internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Real Hospital Português, no Recife, desde quinta-feira (25), o deputado federal Inocêncio Oliveira (PR) passa bem, mas continua sem previsão de alta, segundo boletim médico deste sábado (27).

Aos 75 anos, o parlamentar que se despediu da Câmara dos Deputados em novembro foi submetido a uma cirurgia coronária de urgência para uma ponte de safena e uma ponte de mamária.

TRAJETÓRIA POLÍTICA - Inocêncio presidiu a Câmara em 1993 e 1994, mas entrou em declínio político após ser derrotado por Aécio Neves (PSDB) em 2001, quando tentava novamente voltar ao comando da Casa.

Apesar disso, desde 1989 o pernambucano ocupou vários cargos na Mesa Diretora.

Após deixar o PFL, o deputado passou ainda pelo PMDB antes de ingressar no PL, hoje PR, sua atual sigla. Ele não conseguiu se manter na Mesa nas eleições internas de 2013 e não disputou a reeleição neste ano. Oficialmente, seu último mandato se encerra no final de janeiro.

Nos últimos anos o deputado vem enfrentando problemas de saúde, como artrose e dificuldades de audição.

Na década passada, Inocêncio foi condenado pela Justiça do Trabalho sob a acusação de manter funcionários em situação análoga à escravidão em uma fazenda no Maranhão. Na parte criminal, o Supremo Tribunal Federal rejeitou a acusação e arquivou o inquérito sobre o caso.

Ouça o último discurso de Inocêncio Oliveira na Câmara dos Deputados:

resultado de 2014

Policiais civis dizem que Pacto pela Vida está no limite

Publicado em 27/12/2014 às 15:35 por em Notícias

Um dia depois da divulgação do balanço dos oito anos do Pacto pela Vida pela Secretaria de Defesa Social (SDS), o Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE) afirmou, neste sábado (27), em nota, que o programa “está no seu limite”. Este ano, pela primeira vez desde 2007, houve um aumento de 8,73% no número de homicídios.

LEIA MAIS
» Pacto pela Vida: Waldemar Borges passa a bola da violência para o governo federal
» Saindo da inércia, bancada de oposição critica resultado negativo do Pacto pela Vida
» Pela primeira vez em oito anos, homicídios aumentam quase 9% em Pernambuco
» Com resultado negativo no Pacto pela Vida, SDS troca chefes de polícia

Apesar disso, o Pacto conseguiu reduzir os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) em 33,7% desde a sua implantação. Em relação aos resultados positivos do projeto, que conseguiu atingir a meta de diminuir em 12% a taxa de assassinatos em Pernambuco nos anos de 2009 e 2010, o Sinpol disse que isso foi feito às custas da exploração de policiais civis.

Leia a íntegra da nota:

“O Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE) se pronuncia acerca do aumento do índice de homicídios, divulgados no dia 26/12 pelo Governo do Estado. Para o Sinpol, o que aconteceu é apenas uma constatação do que os policiais civis vêm sentindo no seu cotidiano de trabalho.

O sindicato acredita que o Pacto Pela Vida está chegando ao seu limite e só conseguiu cumprir algumas de suas metas à custa da exploração dos policiais civis, que em função dos baixos salários, são praticamente obrigados a trabalhar em sua folga no Programa de Jornadas Extraordinárias (PJEs).

O PJEs tem exposto os policiais a exaustiva jornada de trabalho. A categoria recebe um dos piores salários do país, trabalha nas folgas e está cansada.

Os policiais civis do cargo de Delegado, recebem gratificação de risco de vida no valor de 225%, enquanto os demais policiais civis, recebem apenas 100% desta mesma gratificação. O policial civil de Pernambuco, diferente de muitos outros Estados da Federação, não recebe hora extra nem adicional noturno.”

Tags: Governo de Pernambuco, Pacto Pela Vida, policiais, Sinpol, Violência,
em meio à crise

Petrobras: produção nacional de petróleo cai 0,7% entre outubro e novembro

Publicado em 27/12/2014 às 14:57 por em Notícias
Foto: Arquivo/Agência Brasil

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Da Agência Brasil

A Petrobras produziu uma média diária de 2,11 milhões de barris de petróleo no Brasil em novembro deste ano. A produção é inferior à obtida no mês anterior, de 2,13 milhões de barris. O desempenho da produção da estatal foi divulgado por meio de nota, na noite dessa sexta-feira (26).

A queda de 0,7% na passagem de outubro para novembro foi provocada, segundo a Petrobras por paradas para manutenção de plataformas como a P-43, a Cidade de Angra dos Reis e a Cidade de Paraty, além de interrupções para permitir a entrada de novos subsistemas nas plataformas P-55, P-58 e P62. A expectativa da Petrobras é que a produção volte a crescer em dezembro.

A produção de gás natural no Brasil também teve queda de 1,8%, no período de outubro a novembro, passando de 72,04 milhões de metros cúbicos (m³) por dia para 70,78 milhões de m³/dia. A queda deveu-se à parada do programa da plataforma de Mexilhão, na Bacia de Santos.

Se considerar o petróleo e gás que a Petrobras também produz em nome de suas parceiras no Brasil, a média diária foi 2,76 milhões de barris de óleo equivalente de petróleo e gás.

No exterior, a Petrobras produziu 185,1 mil barris de óleo equivalente de petróleo e gás por dia, uma redução de 14% em relação aos 215,2 mil produzidos em outubro.

Tags: operação lava jato, Petrobras, Petróleo, produção, Refinaria Abreu e Lima,
mais impostos

Ipojuca: alta na arrecadação e baixa nos indicadores sociais

Publicado em 27/12/2014 às 14:22 por em Notícias

Por Beatriz Albuquerque
No JC Online

A prefeitura de Ipojuca, município localizado no litoral sul do Estado, teve a melhor arrecadação própria per capta no ano de 2013. De acordo com o Tribunal de Contas do Estado (TCE), cada contribuinte pagou em média R$ 2.060,95 em tributos. Entretanto, os últimos indicadores sociais do município revelam a situação de pobreza e os problemas enfrentados pela população.

Com a instalação do Complexo Industrial e Portuário de Suape, Ipojuca passou a ser um dos cinco municípios de Pernambuco com maior receita tributária, ultrapassando em termos proporcionais as receitas de Recife (R$ 1.287.763.806,35) e Jaboatão dos Guararapes (R$ 201.612.928,31).

Além das oportunidades decorrentes da instalação das indústrias nas redondezas, o potencial turístico da praia de Porto de Galinhas e a rede hoteleira local é também uma importante fonte de receita do município. Porém, no último censo demográfico realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no ano de 2010, a incidência da pobreza atingia 62,83% dos moradores de Ipojuca.

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), cálculo que engloba as dimensões da renda, longevidade e educação, apontou que Ipojuca estava atrás de mais de 40 municípios do Estado, com um indicador considerado médio (0,619). Além de ter o rendimento mensal médio por habitante de apenas R$ 296,67, na zona urbana, e de R$ 192,67, na zona rural.

O abastecimento de água e a coleta e tratamento de esgotos é um dos principais problemas vivenciados pelos ipojuquenses. O TCE aponta que, até 2011, a cobertura de abastecimento de água no município era de 47,4% e de saneamento básico de 14,7%.

De acordo com o IBGE, a maioria dos domicílios permanentes, tanto na zona rural (50,1%) quanto urbana (52,1%), possui saneamento básico “semi-adequado”. A situação é considerada ainda mais alarmante na zona rural, onde o saneamento é adequado em apenas 4,8% dos domicílios.

A deficiente infraestrutura fez com que o município chegasse a sofrer um surto de casos de esquistossomose no ano de 2000. Apesar da riqueza financeira, até hoje a prefeitura de Ipojuca não conseguiu que esse deixasse de ser um problema de saúde pública entre a população.

Estudos desenvolvidos pela unidade da Fiocruz no Estado, ao longo de 13 anos, mostram que o número de pessoas contaminadas diminuiu de 22% para 15,7% embora a quantidade de focos de caramujos (agente transmissor) contaminados tenha aumentado de 15 para 25. A doença que se tornou crônica na cidade está relacionada à fatores como a degradação ambiental e a ausência de água encanada e saneamento básico.

Ainda com relação aos indicadores da saúde, a taxa de mortalidade infantil cresceu entre 2009 (7,5%) e 2011 (12,6%), apesar das despesas com saúde por habitante terem aumentado em relação ao mesmo período, passando de R$ 688,33 para R$ 851,63.

No quesito educação o município atingiu a marca de 3,5 no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). O município do Estado com melhor desempenho foi Quixaba (5,7) e com o pior foi Agrestina (3,2). Em relação ao indicador de fracasso escolar, ou seja, repetência mais abandono, Ipojuca registrou 22,6%, tendo sido o maior índice atingido em Itaíba (48,6%) e o menor em Parnamirim (11,6%).

Tags: impostos, indicadores sociais, ipojuca, TCE,
cota parlamentar

Despesas de João Paulo aumentam mais de R$ 40 mil no último mês na Câmara dos Deputados

Publicado em 27/12/2014 às 13:35 por em Notícias
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Candidato a senador derrotado este ano, mas sem descartar uma candidatura a prefeito do Recife em 2016, o deputado federal João Paulo (PT-PE) teve um aumento de mais de R$ 40 mil nas suas contas nos últimos meses do mandato que acaba no início de fevereiro – embora já tenha deixado a Casa, que está em recesso. Enquanto declarou ter gasto R$ 27.318,37 na Cota para exercício da atividade parlamentar em novembro, o valor cresceu para R$ 66.729,60 até este mês.

A verba tem o objetivo de custear despesas típicas do exercício do mandato. Durante o exercício de 2013, a Câmara dos Deputados gastou R$ 158.935.409,83 para cobrir os gastos dos 513 parlamentares.

Veja a cota de João Paulo desde julho:

Os maiores gastos vão sempre para a compra de passagens aéreas, mas, desde outubro, o parlamentar também tem pago R$ 7 mil por mês a uma locadora de veículos do Recife, pelo aluguel de um Pajero Dakar. Saiba quais foram as despesas mais altas nos últimos meses:

 

No último dia de atividades na Câmara dos Deputados antes do recesso, a última segunda-feira (22), o petista estava viajando e já havia iniciado o descanso de fim de ano. Embora não mais na casa, João Paulo deve retomar as atividades em janeiro.

Tags: cota parlamentar, despesas, João Paulo, PT,
índice de homicídios

Pacto pela Vida: Waldemar Borges passa a bola da violência para o governo federal

Publicado em 27/12/2014 às 11:59 por em Notícias
Foto: Roberto Pereira Jr./Divulgação

Foto: Roberto Pereira Jr./Divulgação

O líder do Governo na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o deputado estadual reeleito Waldemar Borges (PSB), afirmou, em nota, que o governo federal é omisso em relação ao combate à violência e que a União deve se posicionar em ações para diminuir o número de homicídios.

O texto do socialista foi uma resposta ao pedido da bancada de oposição pela “repactuação do Pacto pela Vida”, programa de combate à violência lançado há oito anos pelo ex-governador Eduardo Campos (PSB) que em 2014, pela primeira vez desde a sua criação, registrou aumento no número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI). Os parlamentares oposicionistas ressaltaram que a meta de reduzir o índice em 12% só foi atingida em 2009 e 2010. Para eles, o programa agora dá sinais de que precisa ser rediscutido.

LEIA MAIS
» Saindo da inércia, bancada de oposição critica resultado negativo do Pacto pela Vida
» Pela primeira vez em oito anos, homicídios aumentam quase 9% em Pernambuco
» Com resultado negativo no Pacto pela Vida, SDS troca chefes de polícia

“Imagine se o Brasil estivesse assim: num período de oito anos, ter a violência diminuída em sete e em apenas um não se observar essa diminuição. Isso só ocorreu em Pernambuco graças a uma forte determinação de governo, a uma extraordinária  capacidade de gestão e uma enorme dedicação de milhares de profissionais ligados à área”, respondeu Waldemar Borges às afirmações dos colegas.

“Mesmo em 2014, observamos a diminuição da violência em vários segmentos importantes, como o das mulheres e o LGBT. Certamente, muito mais estaríamos fazendo se contássemos com o posicionamento proativo de um governo federal que insiste em fingir que não tem nada a ver com isso”, disse ainda o deputado.

Uma das propostas de campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) é enviar ao Congresso uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para fazer a integração do combate à violência entre estados e União.

Tags: Alepe, Governo de Pernambuco, Governo Federal, Pacto Pela Vida, Waldemar Borges,
Lava Jato

Doleiro fazia entrega internacional de dinheiro para empreiteira, diz revista

Publicado em 27/12/2014 às 11:34 por em Notícias

Da Folhapress

Um funcionário do doleiro Alberto Youssef que fez um acordo de delação premiada entregou aos procuradores e policiais da Operação Lava Jato registros que apontam que ele fazia entregas internacionais de dinheiro para a empreiteira OAS, segundo a edição da revista “Veja” publicada neste sábado (27).

Os investigadores da Lava Jato suspeitam que os recursos eram usados para pagamento de suborno.

O entregador de dólares e euros chama-se Rafael Ângulo Lopes. Ele decidiu contar o que sabe sobre o esquema do doleiro para tentar obter uma condenação menor.

Documentos entregues por ele no acordo de delação apontam que houve entregas em Lima, no Peru, na Cidade do Panamá e em Porto da Espanha, em Trinidad e Tobago.

O funcionário já havia revelado que o doleiro havia aberto uma conta em nome dele em Miami, para fazer operações nos Estados Unidos.

Ângulo Lopes relatou às autoridades que retirava o dinheiro na sede da OAS em São Paulo com José Ricardo Nogueira Breghirolli, que está preso desde o último dia 14 de novembro. Nesse dia a Polícia Federal desencadeou a chamada sétima fase da Operação Lava Jato, batizada de Juízo Final, com a prisão de diretores de empreiteiras suspeitas de pagar propina para conseguir contratos na Petrobras.

Da sede da OAS o dinheiro era levado até o escritório de Youssef em sacolas pretas, ainda de acordo com o entregador. Ângulo Lopes contou que o dinheiro era preso ao seu corpo e ele viajava até o Rio de Janeiro, onde era mais fácil embarcar sem sofrer revistas porque um agente da PF que trabalhava no aeroporto fazia parte da quadrilha de Youssef.

Em Lima, de acordo com o funcionário, o dinheiro era entregue a um gerente de contratos da OAS chamado Alexandre Mendonça. A entrega ocorria em uma universidade para não provocar desconfianças, segundo o relato do delator.

Em Trinidad e Tobago era outro gerente de contratos da OAS, Marcelo Falcochio Coura, quem recebia os recursos num escritório da empreiteira, de acordo com Ângulo Lopes.
Segundo a revista, a empreiteira conseguiu contratos na América Latina com a ajuda do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Quatro executivos da OAS estão presos na custódia da Polícia Federal em Curitiba, entre os quais o presidente da companhia, conhecido como Léo Pinheiro.

A empreiteira não tem se pronunciado sobre as acusações dos investigadores da Lava Jato desde que a operação foi desencadeada, em março deste ano.

LIBERDADE - De acordo com a Agência Brasil, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, negou nessa sexta-feira (26) pedido de liberdade de Agenor Franklin Medeiros e José Ricardo Nogueira Breghirolli, presos em novembro, durante a Operação Lava Jato. Os investigados estão presos na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Tags: Alberto Youssef, delação premiada, OAS, operação lava jato, Petrobras, Polícia Federal,
Página 1 de 9.61912345678Última »