opinião

Na Globo, debate sobre o passado pode ter deixado indecisos mais indecisos

Publicado em 24/10/2014 às 23:13 por em Notícias

Por Jamildo Melo, editor do Blog

O último debate televisivo, na Rede Globo, acabou em um anticlímax. Nada de novo, mais do mesmo, com o velho show de troca de farpas e a eterna guerra de estatísticas entre os candidatos a presidente. O passado dos dois partidos em disputa, objeto da velha polarização PT e PSDB, acabou dominando os questionamentos, de parte a parte. Os tais leitores indecisos podem ter saido mais indecisos ainda.

Como está na frente, Dilma precisava apenas de um empate no último confronto, para chegar bem no domingo. Torcia para não haver uma bala de prata que pudesse mudar os rumos da eleição. Como sinal dos tempos, a tal bala de prata, a denuncia da Veja sobre a suposta participação de Dilma e Lula nos desvios da Petrobras, foi apenas citada na TV, para criar algum constrangimento à adversária, uma vez que guerra de verdade será feita nas redes sociais, no corpo a corpo das últimas horas da campanha. Se dará resultado ou não, para os tucanos, somente no domingo saberemos.

Dilma mais uma vez foi sofrível na TV, não conseguindo concluir seus raciocínios, atropelando as frases, abusando da prolixidade. Com mais experiência de parlamento, Aécio Neves consegue ser mais assertivo, na maioria das vezes.

Dilma vs Aécio

Quem venceu o debate da Globo?

Publicado em 24/10/2014 às 22:45 por em Eleições, Enquete
Dilma e Aécio em último encontro na TV Globo. Foto: AFP

Dilma e Aécio em último encontro na TV Globo. Foto: AFP

A Rede Globo realizou na noite dessa sexta-feira (24) o último debate das eleições 2014 entre a presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves (PSDB). Os dois se enfrentam nas urnas neste domingo (26); em jogo, o futuro do País pelos próximos quatro anos.

No primeiro turno, os debates entre os presidenciáveis foram fundamentais para definir o resultado da eleição. A pouco mais de 24h da votação, o Blog de Jamildo quer saber, na opinião dos leitores, quem venceu o debate da Globo. Vote na enquete abaixo.


em tempo real

Acompanhe o último debate do 2º turno entre Aécio e Dilma

Publicado em 24/10/2014 às 21:17 por em Notícias


Tags: 2º turno, aécio neves, brasil, debate rede globo, Dilma Rousseff, Eleições,
eleições 2014

No último programa eleitoral, Dilma minimiza ataques da Veja e Aécio ataca com denúncias da revista

Publicado em 24/10/2014 às 21:08 por em Eleições, Notícias

O último guia eleitoral da candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT), exibido nesta sexta-feira (24), foi dedicado a apresentação dos números das últimas pesquisas de intenção de voto – Datafolha e Ibope – que apontam a petista à frente do candidato Aécio Neves (PSDB).

Ao contrário do vídeo publicado na tarde desta sexta (24), em que a petista usou sete dos dez minutos do programa da coligação “Com a Força do Povo” para fazer ataques à revista Veja, a equipe de campanha optou por um programa com tom mais emocional, com a presença da militância. Os atos pró-Dilma ao redor do Brasil foram exibidos no vídeo de despedida da campanha.

Já o candidato Aécio Neves (PSDB) abriu o guia com o hino nacional cantado por eleitores e simpatizantes do tucano. O vídeo também trouxe para o programa eleitoral personalidades do mundo do futebol, da música e da política. A presidenciável Marina Silva (PSB), que ficou em terceiro lugar na disputa presidencial, declarou voto para o tucano. Renata Campos, viúva do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, também sinalizou apoio para o candidato. Os jogadores Neymar e Romário também participaram do guia de Aécio.

No programa eleitoral, o candidato citou a liderança na pesquisa do Instituto Sensus, divulgada nesta sexta-feira. O levantamento mostra Aécio Neves nove pontos à frente da adversária Dilma Rousseff (PT). O tucano aparece com 54,6% das intenções de votos válidos, contra 45,4% de Dilma.

No depoimento, Marina diz que vai votar em Aécio porque ele assumiu o compromisso “com a manutenção e ampliação das conquistas sociais. A melhoria da vida das pessoas e a proteção do meio ambiente para o Brasil encontrar novos caminhos”, disse a candidata.

O pronunciamento do tucano ocupou cerca de quatro minutos dos dez minutos de seu programa no guia eleitoral. Em seguida, foi apresentado um videoclipe em que populares cantavam o hino nacional.

Aécio aproveita os segundos finais do guia para apresentar a reportagem publicada pela Revista Veja nesta sexta-feira (24), sobre o suposto envolvimento de Dilma e Lula com o doleiro Alberto Youssef.

Tags: Aécio, Dilma, programa eleitoral,
análise

Dilma avança em todas as classes sociais, aponta Datafolha

Publicado em 24/10/2014 às 19:30 por em Eleições, Notícias
Dilma e Aécio em último encontro na TV Globo. Foto: AFP

Dilma e Aécio em último encontro na TV Globo. Foto: AFP

Os números da pesquisa Datafolha apontam que os eleitores de Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, estão divididos por diferentes classes sociais. Inicialmente, a classe média era responsável por desequilibrar a disputa a favor da presidente. Mas, hoje, a liderança na pesquisa de intenção de voto é reflexo do crescimento da candidata tanto nos estratos mais ricos quanto nos mais pobres.

O tucano continua liderando com folga nas classes mais altas de onde extrai a maior parte de seus votos válidos, mas sua participação perante este extrato da sociedade caiu significativamente.

Na primeira pesquisa realizada após o primeiro turno, Aécio alcançava 74% entre os integrantes da classe alta e 67% entre os da média alta. Hoje, essas taxas correspondem a 64% e 58%, respectivamente.

A perda de Aécio na classe média, inclusive no setor mais rico do estrato, o coloca em desvantagem. De seus 47% de votos válidos, 19 pontos vêm dos segmentos mais altos (eram 21 na pesquisa anterior), 14 do intermediário e 14 dos mais baixos. A distribuição por classe dos 53% de Dilma corresponde a 12, 17 e 24, respectivamente.

A maioria da classe média alta reside em Estados do Sudeste, especialmente em São Paulo, a maior parte em grandes cidades, e o estrato é um dos grupos mais ativos economicamente. Estão incluídos no mercado de trabalho como assalariados registrados, autônomos regulares e funcionários públicos acima da média da população. Têm grande potencial de consumo, com quase a totalidade de seus integrantes na classe B.

Instigados pela campanha eleitoral à equação, uma parcela desse segmento, com escolaridade não tão elevada quanto a da classe alta, pode valorizar mais a segurança do emprego formal, o impacto da empregabilidade junto aos seus, do que eventualmente os 6,5% de inflação anual no orçamento familiar.

O Datafolha já havia identificado queda de Aécio Neves e crescimento de Dilma no Sudeste no início da semana, mas não conseguia precisar em qual dos Estados ela ocorria, já que nos estudos anteriores não havia base estatística segura para a análise.

Agora, percebe-se que em comparação com o levantamento de duas semanas atrás, o tucano perdeu oito pontos no Rio e seis em São Paulo. Minas, nesse período, apesar de oscilações, ficou estável, dividida entre os dois.

Mesmo com a variação negativa, é o Sudeste, especialmente o Estado de São Paulo, que sustenta o alto patamar de intenção de voto de Aécio Neves e que mantém chances para o tucano equilibrar novamente a disputa.

De seus votos válidos, metade vem da região, dentre eles aproximadamente 30% provenientes dos paulistas. Dos votos válidos de Dilma, apenas 16% vêm do Estado de São Paulo. O Nordeste que pesa 27% no eleitorado brasileiro contribui com 36% dos votos válidos da petista.

eleições 2014

Dilma e Aécio disputam 2,3 milhões de votos de Marina em Pernambuco

Publicado em 24/10/2014 às 19:26 por em Eleições, Notícias
Foto: montagem.

Foto: montagem.

No Estado natal de Eduardo Campos, morto em uma tragédia aérea em agosto, Dilma Rousseff e Aécio Neves farão um dos duelos com resultados dos mais imprevisíveis do segundo turno em todo o País. Em Pernambuco, a candidata mais votada em 5 de outubro foi Marina Silva, que agora apoia, junto com a família Campos, Aécio Neves. O tucano, por sua vez, conquistou 284 mil votos no Estado 5,92% do total, muito menos do que os 2,1 milhões recebidos por Dilma, que teve 44,22%.

Mas são os 2,3 milhões de votos de Marina que estão em disputa e podem fazer a diferença no resultado da eleição nacional. A própria Marina e todas as forças que deram suporte à candidatura do PSB no Estado declararam apoio a Aécio, o que teoricamente amplia muito o potencial de voto do tucano. Mas, sem segundo turno para governador, os maiores institutos de pesquisa não fizeram levantamentos registrados em Pernambuco e cientistas políticos afirmam não ser possível precisar o potencial de transferência de votos de Marina, da família Campos ou do PSB local.

Com 6,3 milhões de eleitores, Pernambuco é o segundo maior colégio eleitoral do Nordeste, atrás da Bahia e pouco à frente do Ceará. Nas últimas eleições, as figuras do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pernambucano de nascimento, e de Eduardo Campos estiveram do mesmo lado e o PT conseguiu vitórias expressivas no Estado. Para o domingo, tanto PT quanto PSB avaliam que Dilma deve sair vencedora na disputa no Estado, as divergências são o quanto Aécio pode crescer na comparação com o primeiro turno.

“Esta eleição não está contaminada pela eleição estadual. A figura do Campos está menos presente porque Aécio não é alguém que ele chancelou pessoalmente como candidato, como foi o Paulo Câmara e a própria Marina”, avalia o cientista político e professor da Fundação Getúlio Vargas Marco Antônio Carvalho Teixeira. “Não se sabe o potencial de transferência para o Aécio neste novo contexto”, pondera.

Uma das principais lideranças do PT pernambucano, o senador Humberto Costa aposta na pouca ligação do candidato tucano com o Estado e no fato de não haver segundo turno na disputa pelo governo local para frear o crescimento de Aécio. Segundo ele, sem uma campanha para governador, o eleitor será menos influenciado por lideranças políticas, o que seria benéfico para Dilma. “Não vai ser o prefeito, governador ou o senador que vai definir o voto do eleitor. As pessoas querem votar a partir dos seus pontos de vista”, defende Costa, que aposta que Dilma vá conquistar cerca de 65% dos votos válidos.

Senador eleito pelo PSB no Estado, o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho diz que seu partido pretende dar uma votação expressiva a Aécio. Em entrevista, ele contou que espera que Aécio alcance pelo menos 40% dos votos válidos. Mas diz que, “do jeito que os institutos de pesquisa estão”, o tucano pode até ficar “no zero a zero” ou vencer por pouco. Recém-eleito, ele admite porém que será mais difícil transferir votos para Aécio do que foi para Marina. “É mais difícil porque nunca fizemos aliança com o PSDB a nível nacional, mas existe todo um sentimento de mudança e de colocar Pernambuco com protagonismo neste momento em que o País pode iniciar um novo ciclo político” defende.

Tanto a projeção petista quanto a do PSB colocam a Dilma à frente no Estado. Por outro lado, também apontam Aécio conquistando mais votos de Marina do que a adversária, Dilma.

Professor da Universidade Federal de Pernambuco, o cientista político Ernani Carvalho diz que o desempenho de Aécio vai por à prova a força do PSB local em uma disputa mais difícil do que a estadual. “Se for uma eleição apertada, mesmo se a Dilma aparecer à frente, será uma vitória de Aécio. E do PSB local, com as novas lideranças dessa era pós-Eduardo”, explica Ernani.

Opinião parecida tem Marco Antônio Carvalho Teixeira, para quem o Estado pode ser um “decisivo” para o tucano na difícil situação que se desenha no Nordeste. “Para Aécio, Pernambuco é um ganho, não está na conta dele. O que ele conseguir a mais lá, é lucro. Se ele cresce lá, ele pode estar dando um passo decisivo para vencer a eleição”, completa.

Militância – Nas ruas do Recife, o clima é de rivalidade. Derrotada pelo PSB nas disputas locais, a militância do PT voltou às ruas no segundo turno para apoiar Dilma Rousseff. “A candidatura do Armando Monteiro não empolgou a militância do PT. No segundo turno, talvez pelo acirramento, a militância acordou e foi para a rua. Isso tem gerado disputa”, revela Ernani Carvalho.

Desde a morte de Eduardo Campos, muros foram pichados com acusações ao PT. “O PT matou Eduardo” e “Fora PT” são algumas das frases. Neste segundo turno, as acusações se estenderam à prima de Campos, vereadora Marília Arraes, que apoia o PT e vinha em rota de colisão com ex-governador morto.

publicação

Presidente do PT diz que partido entrou com sete ações contra Veja

Publicado em 24/10/2014 às 18:32 por em Notícias
Foto: Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

O presidente do PT, Rui Falcão, afirmou nesta sexta-feira, 24 que o partido entrou com sete medidas judiciais contra a revista Veja. Em edição excepcional desta sexta-feira, uma reportagem da publicação indica que o ex-presidente Lula e a candidata a reeleição, Dilma Rousseff, teriam conhecimento das irregularidades na Petrobras, citando supostos depoimentos do doleiro Alberto Youssef à Justiça.

O petista citou sete ações judiciais movidas pelo partido contra a revista. No Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi solicitado direito de resposta contra a reportagem considerada “difamatória”. O partido também pediu a proibição da publicidade da revista que, segundo ele, poderia ser considerada “propaganda eleitoral” contra a campanha de Dilma Rousseff.

Outra ação movida pelo partido foi um pedido de investigação junto ao Ministério Público Eleitoral (MPE) sobre o “uso dos meios de comunicação com a intenção de prejudicar a candidatura e desequilibrar o pleito”. “Não podemos tolerar tanta tentativa de interferência no processo eleitoral através de matérias mentirosas e caluniosas, sem fontes”, afirmou Falcão.”

O próprio advogado, que participou dos depoimentos, disse não ter ouvido nada semelhante. Não se sustenta, é uma peça para operação casada”, classificou o presidente do partido. “A revista é um panfleto que faz jornalismo de esgoto. Tem uma regra das eleições que diz que quanto mais se aproxima das eleições, menor credibilidade tem as denúncias, por mais que seja veraz.”

Além das ações na esfera eleitoral, o partido também solicitou ao procurador Geral da República, Rodrigo Janot, que abra uma investigação sobre a quebra do sigilo da delação premiada. Em paralelo, um novo pedido de acesso ao conteúdo da delação foi feito Supremo Tribunal Federal (STF).

Além das medidas, o partido também entrou com representação criminal contra o jornalista responsável pela matéria, alegando difamação. Na esfera Cível, o partido propôs uma ação indenizatória “com valor simbólico”, afirmou.

O presidente também negou que as ações sejam uma tentativa de censurar a revista ou impedir sua circulação. “Não pedimos a suspensão da circulação. A revista está publicada. Ninguém pretende censurar, somos contra isso”, afirmou. Segundo Falcão, o partido defende a “regulação da mídia para veículos com concessão publica, e as publicações impressas não são”.

“Somos a favor de regulamentar a constituição no artigo que diz respeito à comunicação social que diz que ‘fica assegurada a mais ampla liberdade de expressão’. E em seguida, diz que fica proibido o monopólio, o que até hoje não teve regulamentação”.

sem censura

Leitores no Recife dizem ter sido impedidos de comprar Veja, mas vendas estão liberadas

Publicado em 24/10/2014 às 18:10 por em Eleições, Notícias
Revista Veja exposta na Livraria Cultura. Foto: Elvis de Lima/BlogImagem.

Revista Veja exposta na Livraria Cultura. Foto: Elvis de Lima/BlogImagem.

Na tarde desta sexta-feira (24), correu pelo Recife a informação de que a Revista Veja, que trouxe a polêmica capa com o suposto envolvimento de Dilma e Lula com o doleiro Alberto Yousseff, estava sendo recolhida das bancas da cidade.

Uma arquiteta de 62 anos, que não quis se identificar, chegou a comprar a revista numa livraria do Recife pois já estava no caixa para pagar a conta. Porém, outras pessoas que tentaram adquirir o semanário no mesmo estabelecimento foram impedidas. O gerente da loja, presente no momento, não informou qual teria sido o motivo para a retirada da revista do expositor. A leitora ainda comentou que seu filho também não teria conseguido comprar a publicação em uma banca no bairro de Boa Viagem. Segundo a arquiteta, o filho flagrou as revistas sendo recolhidas por uma carro do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE). A informação, no entanto, foi rebatida pelo TRE-PE, que afirma não ter recebido nenhuma notificação sobre o caso.

A reportagem do Portal NE10 procurou a revista na Livraria Cultura, do Paço Alfândega, e encontrou a publicação exposta no mostruário. Um vendedor da loja informou que o boato sobre a suspensão chegou até o local, mas não passava de falácia. A reportagem também encontrou a revista em bancas do Centro do Recife e no bairro da Jaqueira. Em três bancas da Avenida Guararapes, os vendedores afirmaram que a censura à revista não passa de boatos. “Aqui não tem a revista, porque acabou. Vendemos todas”, disse um deles.

O pedido, de fato, chegou a ser solicitado pela campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, mas o TSE negou o requerimento. A reportagem da Veja, publicada a três dias da eleição,  aponta o doleiro Alberto Youssef afirmando que Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sabiam dos desvios na Petrobras. As informações, no entanto, não têm provas.

O pedido da coligação de Dilma para retirar a publicação do site de VEJA do ar e do perfil da revista no Facebook foi protocolado pelo PT nesta sexta-feira, sob o argumento de que a publicação desrespeita a legislação eleitoral. Mas o ministro Admar Gonzaga negou o pedido.

eleições 2014

Dilma e Aécio têm propostas similares para o Nordeste

Publicado em 24/10/2014 às 15:31 por em Eleições, Notícias
Foto: reprodução do NE10

Foto: reprodução do NE10

Em que se pese a diferente penetração no eleitorado nordestino, a presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves (PSDB) têm propostas similares para o Nordeste brasileiro, região que concentra mais de 38 milhões de eleitores e que pode ser decisiva para o resultado das eleições do próximo domingo (28).

Uma das principais obras da região, a Transposição do Rio São Francisco é prometida tanto pelo PT, quanto pelo PSDB. Em meio ao acirramento do segundo turno, o empreendimento ganhou espaço nos guias eleitorais de Dilma e Aécio nas últimas três semanas. A obra prevê a construção de dois canais de 477 quilômetros

O pivô do debate foi o início dos testes no sistema de bombeamento do empreendimento, iniciados dias antes do segundo turno, que foram apresentados pelo PT como a prova de que a obra está saíndo do papel. Na oposição, o PSDB acusa a Transposição de estar parada e de ter estourado o prazo de conclusão e a previsão de custo.

Dilma fala com a militância em Petrolina. Foto: PT

Dilma fala com a militância em Petrolina. Foto: PT

Numa região marcada por um perímetro de mais de 950 mil quilômetros quadrados de semiárido, não é de se estranhar que os projetos de segurança hídrica sejam priorizados. Além da construção de adutoras e ramais em diversos estados, Dilma e Aécio também prometem ampliar o número de poços e cisternas à disposição da população local; que a petista pretende fazer a partir do Programa Água para Todos.

Na área de infraestrutura, os dois candidatos prometem investir no setor ferroviário e concluir a Transnordestina e a Ferrovia Oeste-Leste. O tucano quer dar prioridade a parcerias público-privadas (PPPs).

Tanto Aécio, quanto Dilma também prometem ampliar e fortalecer o programa Bolsa Família, que atinge até sete milhões de pessoas na região, embora tenham visões diferentes para o programa. O PT quer que ele siga no modelo atual, prometendo ampliá-lo a partir da melhora do sistema de busca ativa dos possíveis beneficiários.

Já o PSDB quer transformá-lo no Programa Família Brasileira, que classificaria o benefício em cinco níveis progressivos. Durante a campanha, boatos de que Aécio poderia acabar com o programa foram disseminados na região, o que o levou a prometer transformar o Bolsa Família numa política de Estado.

Foto: Marcos Fernandes/PSDB

Foto: Marcos Fernandes/PSDB

Outro ponto polêmico na campanha, o Programa Mais Médicos também é defendido por ambos os candidatos que prometem ampliá-lo. Hoje, o Mais Médicos atende 3.700 municípios em todo o País. Foram contratados 14.400 médicos para atuar no programa. Desses, 80% são de origem cubana.

Enquanto Aécio fala em melhorar as condições de trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS) e “regular o acesso de estrangeiros ao mercado nacional”, Dilma promete criar o Mais Especialidades para ampliar o atendimento que hoje é restrito à saúde básica.

IMPORTÂNCIA – No primeiro turno, Dilma venceu em oito dos nove estados do País, perdendo apenas em Pernambuco, onde a ex-senadora Marina Silva (PSB) foi a mais votada por contar com o apoio da família e aliados do ex-governador Eduardo Campos, falecido em agosto.

Na região, a petista abriu 12,2 milhões de votos de vantagem em relação ao candidato tucano, o que foi fundamental para neutralizar a liderança de Aécio no Sudeste do País, que concentra os maiores colégios eleitorais. Na primeira votação, a diferença de voto entre os dois candidatos foi de 8,3 milhões.

Leia também: Dilma tem apoio de mais governadores no Nordeste

Para tentar compensar a desvantagem no Nordeste, Aécio foi o único candidato a lançar uma lista de propostas exclusivas para o Nordeste. O plano é chamado de “Nordeste Forte” e promete, até o final do mandato, elevar a renda per capita mínima dos nordestinos para US$ 1,25 diário.

“Se eu puder escolher uma marca pela qual gostaria de ser lembrado, daqui a quatro anos, encerrando meu mandato, eu quero ser lembrado como o melhor presidente que o Nordeste já teve”, disse Aécio, em Campina Grande, na Paraíba.

“Eles que têm uma visão afastada do Brasil não sabem que esse povo é trabalhador, que paga seus impostos”, afirmou Dilma em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. “Hoje aqui no nordeste tem cisternas. Tem casa pra morar. Tem garantia da continuidade do Bolsa Família”, lembrou.

Tags: aécio neves, Dilma, Dilma Rousseff, Eleições, Eleições 2014, Nordeste, PSDB, PT,
eleições 2014

Último guia de TV: Dilma ataca a revista Veja e Aécio pede votos

Publicado em 24/10/2014 às 13:36 por em Eleições, Notícias
Foto: Reprodução/PT

Foto: Reprodução/PT

O último programa da campanha de Dilma Rousseff (PT) no guia de televisão exibido no início da tarde desta sexta-feira (24) foi usado para desmentir e atacar diretamente a revista Veja, que na sua edição mais recente trouxe como capa uma machete afirmando que a petista e o o ex-presidente Lula sabiam do esquema de corrupção na Petrobras. “A Veja atropela toda ética e decência jornalística na tentativa de reverter a decisão popular”, diz o narrador do programa.

Cerca de sete dos dez minutos do programa da coligação “Com a Força do Povo” foi utilizado para fazer ataques à revista, acusada de tentar manipular a decisão do eleitorado. Tanto o narrador como a própria Dilma afirmaram que “em todo ano eleitoral, nas vésperas da eleição, a Veja publica uma denúncia supostamente bombástica contra o candidato do PT”.

A edição da revista que chega às bancas dias antes da eleição traz a denúncia de que Lula e Dilma foram citados no depoimento de delação premiada do doleiro Alberto Youssef à Polícia Federal.

Foto: Reprodução/Revista Veja.

Foto: Reprodução/Revista Veja.

Dilma endossou os ataques à publicação, chamando-a de “mentirosa” e “criminosa”: “Gostaria de encerrar minha campanha de outra forma, mas não posso me calar diante desse ato de terrorismo eleitoral articulado pela revista Veja e seus parceiros ocultos”, bradou a petista, concluindo ao falar que “a atitude da revista envergonha a imprensa e a democracia do país”.

A candidata ainda falou que todas as denúncias publicadas pela Veja não apresentam nenhuma prova e que o processo ainda está sob investigação do Ministério Público e da Polícia Federal.

“Desta vez a Veja excedeu todos os limites”, disse Dilma adjetivando as denúncias da Veja como barbaridades, infâmias, absurdo e crimes. “Mas, desta vez, a Veja não ficará impune. A justiça livre deste país vai condená-la por este crime”, concluiu a petista, dizendo que a população dará a resposta à Veja no dia 26 de outubro, quando os eleitores vão às urnas decidir a disputa  do segundo turno entre a petista e seu adversário, Aécio Neves (PSDB).

Assista  ao programa de Dilma completo:

Já Aécio Neves usou seu último programa na TV para agradecer aos brasileiros pelo voto em sua candidatura e fazer ataques ao PT. “Valores fundamentais estão se perdendo. Recuperar esses valores é parte da mudança que queremos fazer”, disse o tucano.

Aécio também lembrou de seu avô, Tancredo Neves, para fazer uma comparação entre o movimento “Diretas já” e o atual cenário político. Aécio considera que parte da população brasileira pede para que o PT seja tirado do poder e pede mudança, alternância no Governo Federal: “Há 30 anos os brasileiros se uniram em torno do meu avô, Tancredo Neves, para vencer a ditadura e gritaram por todo o país ‘muda Brasil’. Hoje está claro que estamos prontos para iniciar um novo e belo momento na nossa história.

O pronunciamento do tucano ocupou cerca de quatro minutos dos dez minutos de seu programa no guia eleitoral. Em seguida, foi apresentado um videoclipe em que populares cantavam o hino nacional.

Após conversa com populares nas ruas, artista, cantores e jogadores de futebol declararam seu apoio à candidatura tucana. Entre os jogadores de futebol estavam o senador eleito pelo Rio de Janeiro, Romário (PSB) e o jogador da seleção brasileira, Neymar Jr, que apareceu no guia através de um vídeo já publicado nas redes sociais horas antes.

Foto: Reprodução/PSDB.

Foto: Reprodução/PSDB.

Assista  ao programa de Aécio completo:

Página 1 de 9.48312345678Última »