Ir para o conteúdo

Casa Saudável

Pesquisa atesta eficácia de vacina que diminui sintomas da rinite

18 de maio de 2016 | postado por Malu Silveira
Imagem de vacina (Foto: Photl.com)

Levantamento apontou que 79% dos pacientes com rinite apresentaram significativa melhora na qualidade de vida (Foto ilustrativa: Photl.com)

Por Malu Silveira

Pessoas que têm rinite alérgica sabem o quão difícil é conviver com os sintomas da doença. Entre os diversos tratamentos disponíveis para aliviar os problemas diários, estão as medicações orais e vacinas que prometem diminuir o quadro clínico. Uma pesquisa desenvolvida na Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ), em São Paulo, por quase dez anos e publicada recentemente analisou a eficácia da imunização que combate os sintomas dessa condição em 281 pacientes. O resultado pode ser uma esperança para milhares de pessoas, já que 79% dos voluntários apresentaram significativa melhora na qualidade de vida.

Leia também:
» Especialista esclarece principais dúvidas sobre a asma
» Pais devem estar atentos à limpeza dos ambientes para evitar rinites alérgicas
» Aplicativo criado por clínica recifense promete mais agilidade para pacientes com alergia
» Aplicativo auxilia pacientes e médicos na prevenção de alergias a medicamentos

Coordenada pelo otorrinolaringologista Edmir Lourenço, professor titular da FMJ, o levantamento tomou como base os principais sintomas das rinites alérgicas: coceira, espirro, secreção e entupimento nasal. A partir de então, os pacientes, com idade superior a 3 anos, foram submetidos a uma sessão de testes cutâneos para identificação das causas da alergia – que vão desde poeira doméstica, ácaros, fungos, pólen e até pelos de animais. “Utilizo vacinas específicas para tratamento de rinites alérgicas severas há mais de 30 anos em meu consultório. Percebia melhora significativa ou desaparecimento dos sintomas na grande maioria dos pacientes, mas não tinha um parâmetro quantitativo de resultados. A intenção do trabalho era divulgar os resultados positivos, já que na literatura médica existem poucos estudos quantitativos sobre o tema”, explica o médico.

O objetivo da imunização, que estimula a formação de anticorpos contra os alérgenos, é diminuir o máximo possível o quadro clínico dos pacientes que, muitas vezes, terminam desistindo dos mais diversos tratamentos uma vez que percebem pouca ou quase nenhuma melhora nos sintomas da rinite. “O estigma alérgico é hereditário, não desaparece nunca. Porém, se a pessoa não tem sintomas, é como se estivesse curada. Houve melhora global em toda a população estudada. Ninguém piorou ou permaneceu inalterado. A intenção da vacina é a melhoria da qualidade de vida. Se há uma melhora nos sintomas estudados, há também no sono, respiração nasal, humor do paciente, até no desempenho profissional”, explica.

O esquema de tratamento com vacinas proposto pelo especialista tem duração de 14 meses. A vacina injetável é preparada individualmente para cada paciente em laboratório especializado e administrada por via subcutânea, num total de 30 doses espaçadas sequencialmente em 4 frascos, com intervalos entre as doses variando entre 7 e 21 dias. Não há restrições médicas para quem se submeter às dosagens.

O paciente que se interessar pela vacina deve procurar o especialista que acompanha seu quadro de rinite e manifestar a vontade de tratamento com as imunizações. “O paciente deve conversar com o médico e saber se o especialista trabalha com vacinas dessensibilizantes específicas para inalantes, embasadas em testes cutâneos, e pedir o tratamento desta forma. As vacinas não existem comercialmente no mercado industrializado e também não são oferecidas pelo SUS (Sistema Único de Saúde) ou pelos convênios”, ressalta Lourenço. O custo da imunização gira em torno de R$ 1500.

O estudo, primeiro no País com dados quantitativos em relação à eficácia da vacina que combate os sintomas da rinite alérgica, foi publicado (em inglês) em março de 2016 na Scielo Brasil, banco de dados internacional.

 


Imagem de larvas do mosquito Aedes aegypti (Foto: Alexandre Gondim / JC Imagem)

Já são 27 mortes confirmadas por arboviroses (chicungunha, dengue e zika vírus) em Pernambuco no período de 3 de janeiro a 14 de maio deste ano. Entre os óbitos, 21 casos tiveram resultado laboratorial positivo para chicungunha outros seis para dengue. Ao todo, o Estado já notificou nesse mesmo período 110.433 casos suspeitos das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegptyi. Os números foram divulgados no final da manhã desta quarta-feira (18) pela Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Leia também:
» PE confirma 354 casos de microcefalia. Outros 555 casos seguem em investigação
» Mais de 60 mil residências foram vistoriadas no Recife nos mutirões de combate ao Aedes aegpyti
» Dengue: Uma luta de 30 anos
» Estudo da Rede Zika comprova relação causal entre vírus e microcefalia

O Estado também notificou 254 casos de formas graves das arboviroses, com 57 confirmações para as complicações e 1 descarte. Com relação às mortes, foram 221 óbitos suspeitos notificados, com os 27 casos confirmados já mencionados acima. Uma morte registrada nesse período foi descartada para as arboviroses. As demais estão em investigação. Em 2015, no mesmo período, foram 35 óbitos suspeitos de dengue e 12 com resultado laboratorial positivo para dengue.

Para a dengue, foram notificados 73.678 casos da doença. Desses, o órgão confirmou 14.591 casos e descartou outros 16.549 casos. O número, segundo a SES, representa uma diminuição de 12,11% em relação ao mesmo período de 2015, quando foram notificados 83.830 (sendo 38.565 confirmados).

Já em relação a chicungunha, foram notificados 27.015 casos. Desses 5.537 foram confirmados e 7.488 descartados. Em 2015, foram notificados 2.605 casos suspeitos de chikungunya, sendo 450 confirmados (3 importados, 2 no município de Iguaraci e 1 em Itaíba, todos com infecção no estado da Bahia; e 447 confirmados autóctones, sendo 220 no Grande Recife) e 589 casos foram descartados.

No mesmo período, Pernambuco notificou 9.740 casos suspeitos de zika em 145 municípios e em Fernando de Noronha. Desses casos, 23 foram confirmados e 171 descartados. Em 2015, desde o início das notificações obrigatórias de zika, em 10 de dezembro, foram notificados 1.386 casos da doença. Ao todo, 46 casos da doença foram confirmados.

Os exames foram feitos pelo Instituto Evandro Chagas (IEC/SVS/MS) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz – PE/CpqAM).


Imagem de recém-nascido com microcefalia (Foto: Edmar Melo / Acervo JC Imagem)

De agosto de 2015 a maio deste ano, foram notificados 1.947 casos suspeitos de microcefalia. Até o momento, 1.038 foram descartados (Foto ilustrativa: Edmar Melo / Acervo JC Imagem)

Segundo boletim divulgado na manhã desta quarta-feira (18) pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), foram notificados em Pernambuco 1.947 casos de microcefalia de 1º de agosto de 2015 até 14 de maio deste ano. Ainda de acordo com os dados, 826 casos (42%) atendem ao parâmetros da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a malformação congênita. Dos registros, 354 casos foram confirmados como microcefalia e outros 1.038 foram descartados. Até o momento, 555 casos seguem em investigação. No último boletim divulgado pela SES, 582 notificações ainda não tinham diagnóstico fechado.

Leia também:
» Microcefalia: exames detectam cálcio em lesões cerebrais de bebês com a malformação
» Minicérebros ajudam a entender relação entre zika e a microcefalia
» FAV procura parceiros que possam custear kit de estimulação para bebês com microcefalia

Também foram registrados 29 casos de bebês natimortos. Outros 27 morreram logo após o nascimento. O órgão ressalta, no entanto, que nenhum dos casos teve microcefalia como causa básica de morte.

Já em relação aos casos de gestantes com exantemas, situação em que a notificação foi tornada obrigatória desde dezembro do ano passado, a SES registrou 4.202 notificações de grávidas com esse quadro clínico. Desse número, 25 possuem detecção de microcefalia intra útero. Vale lembrar também que a notificação das mulheres com exantema não significa, necessariamente, que elas são casos suspeitos de dengue, chicungunha ou zika, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegpyti. Segundo a SES, outros fatores podem ter ocasionado as manchas vermelhas, como rubéola, intoxicação, alergia ou alguma outra virose não identificada. O exantema também não é indicativo que a mulher terá um bebê com microcefalia.

Em Pernambuco, o Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães/Fiocruz e o Instituto Evandro Chagas confirmaram 154 casos de microcefalia relacionados ao vírus zika por detecção laboratorial. Outros 94 casos deram negativos e 3 inconclusivos, totalizando 251 testes realizados.


Imagem de larvas do Aedes aegypti (Foto: Alexandre Gondim / JC Imagem)

Ações visam eliminar focos do Aedes aegpyti, transmissor da dengue, chicungunha e zika, orientar moradores e tratar depósitos com água (Foto ilustrativa: Alexandre Gondim / JC Imagem)

Desde que iniciou, em novembro passado, os mutirões de combate ao Aedes aegypti – mosquito transmissor da dengue, chicungunha e zika – de final de semana em diversas localidades da capital pernambucana, 61.884 imóveis já foram inspecionados na cidade. As ações feitas pelos agentes de saúde ambiental e controle de endemias (asaces) ocorrem em parceria com profissionais da Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb) e soldados das Forças Armadas.

Leia também:
» Dengue: Uma luta de 30 anos
» Prefeitos recebem carta de compromisso para continuar com ações de combate ao Aedes
» Estudo da Rede Zika comprova relação causal entre vírus e microcefalia

No último fim de semana, o bairro dos Coelhos, na área central do Recife, foi alvo da iniciativa. Ao todo, 2.167 residências na localidade foram vistoriados. Além da eliminação de possíveis focos do Aedes, os agentes também realizaram tratamento em depósitos de água. Os moradores também receberam orientações de como armazenar e efetuar a limpeza dos reservatórios da melhor maneira.

A ação já passou pelos bairros da Cohab, Morro da Conceição, Espinheiro, Ibura, Nova Descoberta, Jordão, Dois Unidos, Linha do Tiro, Bairro do Recife (Comunidade do Pilar), Jardim São Paulo, Várzea, Brasília Teimosa, Boa Viagem, Joana Bezerra, Bongi, Estância, Vasco da Gama, Macaxeira, Alto do Mandu, Monteiro, Areias, Arruda e Bomba do Hemetério, Alto José Bonifácio, Imbiribeira, Cidade Universitária, Santo Antônio, Várzea (Comunidade Cosme e Damião), Jordão, Mangueira, Ipsep, Santo Amaro, Casa Amarela, Imbiribeira, Coqueiral, Tejipió e Coelhos.


Imagem de coração de tecido nas mãos (Foto: Photl.com)

Atividades acontecem nesta quinta-feira e no dia 30 de maio e têm como objetivo promover discussões, sensibilizar e incentivar nas pessoas a doação, conscientizando sobre a importância da doação de órgãos (Foto ilustrativa: Photl.com)

o Senac Recife realizará nesta quarta-feira (18) e no dia 30 de maio atividades abertas ao público da Semana de Enfermagem da instituição. Com o tema ‘Vamos doar para a vida continuar’, o evento contará com palestras e debates sobre doação de sangue, medula óssea e transplante de órgãos. As inscrições devem ser feitas na unidade Senac do bairro de Santo Amaro, Centro do Recife, através da doação de material de higiene infantil, fraldas, roupas e outros itens. Os donativos serão entregues à União Mães de Anjo, que oferece assistência e acolhimento às mães de crianças com microcefalia.

Leia também:
» Novo sistema pode agilizar doação de órgãos

Voltada em especial para alunos dos cursos de enfermagem e profissionais da área de saúde, a ideia da Semana de Enfermagem é promover discussões, sensibilizar e incentivar nas pessoas a doação, conscientizando sobre a importância do ato. Nesta quinta pela manhã, os participantes assistirão à palestra A importância da doação de sangue e medula óssea. A programação da tarde vai tratar da captação de córnea, trazendo depoimentos de famílias de doadores.

Já no dia 30, será realizada uma coleta de amostra de sangue para cadastro de doação de medula óssea com a equipe da Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco (Hemope). Todas as ações acontecerão na Unidade de Educação Profissional do Senac Recife.

Além das doações feitas pelos participantes do evento, o público em geral também pode realizar doações de material de higiene infantil.

Serviço

Semana de Enfermagem | Senac Recife
Dia 18 de maio: Palestras A importância da doação de sangue e medula óssea e sobre Captação de córnea
Dia 30 de maio: Coleta de amostra de sangue para cadastro de doação de medula óssea | Hemope
Local: Unidade de Educação Profissional do Senac Recife – Av. Visconde de Suassuna, nº 500, Santo Amaro, Recife
Inscrições: Doação de material de higiene infantil no local do evento
Informações: (81) 3413-5801


Leite humano em pote de vidro (Foto: Divulgação)

Data celebrada nesta quinta-feira alerta para importância da doação de leite materno; HMG contará com iniciativa de conscientização (Foto: Divulgação)

O Hospital Memorial Guararapes (HMG) realizará nesta quinta-feira (19), data em que se celebra o Dia Mundial de Doação de Leite Materno, uma iniciativa na unidade para conscientizar sobre a importância do ato. O hospital, que já recebeu do Ministério da Saúde (MS) o título de Hospital Amigo da Criança pelo incentivo ao aleitamento materno, disponibilizará online o Fórum global alusivo à data promovido pelo Programa Ibero-americano de Bancos de Leite Humano, além de executar a música Sua Majestade o bebê, cantada em bancos de leite e postos de coleta de todo o País, durante o evento.

Leia também:
» Brasil tem o maior número de doadoras de leite humano do mundo
» Dica do bem: Cochilar e relaxar favorecem a produção de leite materno
» Leite materno pode reduzir chances de câncer no bebê e na mãe, afirma especialista

A ação também estimulará a entrega de potes de vido com tampas plástica, necessários para a coleta, armazenamento e pasteurização do leite humano doado. O HMG possui um posto de coleta de leite humano que funciona 24h. O posto precisa ser abastecido diariamente para que os recém-nascidos prematuros, cuja mãe não consiga oferecer leite, sejam alimentados.

Saiba como funciona a doação de leite humano

Antes de dar início à coleta, a mãe deve prender os cabelos e retirar qualquer adorno que esteja usando, além disso, manter as unhas curtas também é importante. A mama deve ser limpa com água, enxuta com um pano limpo e os primeiros jatos devem ser desprezados para assim dar inicio a coleta. Uma massagem circular pode ser feita nas mamas antes do inicio para ajudar no processo.

Com o leite coletado e armazenado em frascos de vidro com tampas plásticas esterilizadas, como os de maionese e café solúvel, o conteúdo deve ser posto no congelador ou freezer até que seja levado ao Posto de Coleta ou Banco de Leite Humano mais próximo. Uma etiqueta com o nome completo da mãe, data e hora da ordenha deve ser posta no vidro também.

Serviço

Posto de Coleta de Leite Humano do Memorial Guararapes
Avenida Doutor Júlio Maranhão, 911 – Prazeres, Jaboatão dos Guararapes
Informações: (81) 3461-5300 Ramal: 223


Imagem de nariz de homem (Foto ilustrativa: Free Images)

Em artigo publicado na Scientific Reports, pesquisadores caracterizam um subgrupo de neurônios do epitélio olfatório que expressa a proteína CD36, molécula que se associa a lipídeos (Foto ilustrativa: Free Images)

Da Agência Fapesp de notícias

Um estudo publicado na revista Scientific Reports por pesquisadores brasileiros descreve a existência, na cavidade nasal, de um subgrupo de neurônios olfatórios capaz de expressar um receptor celular especializado no transporte de moléculas lipídicas.

Conhecido como CD36, esse receptor de membrana costuma estar altamente expresso no tecido adiposo, onde atua no metabolismo de lipídeos. Também tem papel muito conhecido no sistema imune, participando do processo de fagocitose de moléculas potencialmente danosas por macrófagos. Na língua, a presença de CD36 foi associada em estudos anteriores à preferência de mamíferos pela ingestão de alimentos gordurosos.

Pesquisas feitas com moscas do gênero Drosophila identificaram a existência de um gene homólogo ao CD36, conhecido como SNMP. Nos insetos, essa proteína participa da sinalização feita na antena pelo feromônio cVA (11-cis-Vaccenyl acetate), que medeia respostas de acasalamento e de agressividade entre indivíduos da mesma espécie.

“A existência do receptor CD36 em neurônios sensoriais do nariz é algo novo e parece indicar que há uma detecção olfatória de lipídeos em mamíferos. É possível que, assim como na língua, isso tenha relação com a preferência por alimentos gordurosos”, disse Isaias Glezer, professor do Departamento de Bioquímica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

“Outra possibilidade é esse receptor estar relacionado com a percepção de cheiros de indivíduos da mesma espécie e com interação social, pois há evidências que existem alguns feromônios lipídicos”, explicou o coordenador da pesquisa “Estudo da regeneração celular pós-lesão no sistema nervoso e avaliação da contribuição e dos aspectos funcionais de genes ligados à resposta imune inata”, apoiada pela FAPESP.

A descoberta foi feita por meio do estudo da mucosa nasal de camundongos, com a colaboração de Bettina Malnic, do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (IQ-USP), de Fabio Papes, do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (IB-Unicamp), e com suporte do Centro de Pesquisa em Processos Redox em Biomedicina (Redoxoma), um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID), financiado pela FAPESP.

O grupo pretende agora confirmar se também em humanos o receptor de moléculas lipídicas está presente no epitélio olfatório. Segundo Glezer, o objetivo inicial da investigação era entender qual papel desempenham em neurônios algumas moléculas associadas à resposta imune inata, entre elas a proteína CD36.

“Tentamos um lance de sorte: verificar se no epitélio olfatório havia expressão desse receptor. Para nossa surpresa, ele estava altamente expresso em alguns grupos de neurônios espalhados pela cavidade nasal, mas não em todos. Esse era um campo totalmente inexplorado”, disse.

Na tentativa de desvendar a função desses neurônios olfatórios que expressam CD36, foram feitos experimentos com dois grupos de camundongos: um composto por animais “selvagens” (sem alteração genética) e outro por roedores da mesma linhagem que não expressam o receptor de moléculas lipídicas.

Em cada um dos grupos, foi avaliado o tempo que os animais passavam explorando um pedaço de papel embebido apenas com uma solução salina em comparação com o tempo dedicado a explorar um papel odorizado com uma mistura de ácidos graxos.

Os pesquisadores então observaram que os animais selvagens (com CD36) passavam muito mais tempo explorando o papel que continha a mistura lipídica do que o papel com a solução salina. Já no grupo sem CD36 essa diferença de tempo não foi significativa.

“Claro que isso isoladamente não prova que o receptor CD36 nesses neurônios sensoriais seja responsável pela detecção olfatória de lipídeos e pela preferência por esse tipo de odor quase imperceptível, mas é uma forte evidência nesse sentido. Além disso, mostramos que o receptor é encontrado na porção do neurônio responsável pela detecção de odorantes – os chamados cílios olfatórios. Mas para revisores de periódicos científicos ainda faltavam mais evidências”, avaliou Glezer.

Confira a matéria completa no site da Agência Fapesp de notícias.


Inclusão na escola é tema de palestras no Recife e em Caruaru

16 de maio de 2016 | postado por Malu Silveira
Autismo

Terapeuta ocupacional criador do método Life – inclusão de pessoas que convivem deficiência física, mental ou autismo na escola – discutirá estratégias com profissionais da área (Foto: Internet)

O catarinense Régis Nepomuceno, terapeuta ocupacional criador do método Life – para inclusão de pessoas que convivem com alguma deficiência física, mental ou autismo na escola – ministrará cursos sobre o tema no Estado em junho. As aulas acontecerão em Caruaru, no Agreste do Estado, e no Recife, capital pernambucana, entre os dias 3 e 5 do mês.

Em caruaru, o tema será ‘Autismo em sala de aula: estratégias facilitadoras’. O workshop no município acontecerá no dia 3 de junho, no Maysa Plaza Hotel, das 9h às 18h. Já no Recife, o foco será ‘Rotina: Organização, exploração e estimulação cognitiva’. As aulas na capital pernambucana acontecerão nos dias 4 e 5 de junho, na Plexos, no bairro do Rosarinho, Zona Norte da cidade.

Foto do terapeuta ocupacional Régis Nepomuceno (Foto: Inclusão Eficiente / Divulgação)

Catarinense Régis Nepomuceno comandará palestras no Recife e em Caruaru, no Agreste do Estado (Foto: Inclusão Eficiente / Divulgação)

O curso tem como público-alvo profissionais da saúde e da educação, englobando terapeutas ocupacionais, psicólogos, pedagogos e professores. A metodologia aplicada pelo terapeuta é trabalhada em Pernambuco através da empresa Inclusão Eficiente.

Serviço:

Rotina: Organização, exploração e estimulação cognitiva
Local: Plexos, localizada na Av. Norte, número 3003, no Rosarinho,
Data: 4 e 5 de junho
Horário: 9h às 18h
Valor: R$ 350
Inscrições e informações sobre pagamento: contato.pe@inclusaoeficiente.com.br

Autismo em sala de aula: estratégias facilitadoras
Local: Maysa Plaza Hotel – Teófilo Dias, 93 – Maurício de Nassau, Caruaru
Data: 3 de junho
Horário: 9h às 18h
Valor:R$ 350
Inscrições e informações: contato.pe@inclusaoeficiente.com.br


Imagem de livro (Foto ilustrativa: Free Images)

21ª edição do Congresso Brasileiro de Fisioterapia, evento voltado para atualização profissional da área, acontecerá entre os dias 31 de agosto e 3 de setembro (Foto ilustrativa: Free Images)

Estão abertas as inscrições para a 21ª edição do Congresso Brasileiro de Fisioterapia (Cobraf 2016), que este ano será realizado na capital pernambucana entre os dias 31 de agosto e 3 de setembro. O evento, organizado pela Associação dos Fisioterapeutas do Brasil (AFB), acontecerá no Centro de Convenções de Pernambuco (Cecon-PE).

Segundo a presidente do Congresso, a Prof. Dra. Andréa Lemos (UFPE), essa edição agregará uma nova proposta. “Aproveitaremos a oportunidade de congregação de saberes e encontro das Associações e Conselhos para lançar um novo desafio: a criação de uma força-tarefa para o desenvolvimento das Diretrizes Clínicas Brasileiras de Fisioterapia”, explica.

“A discussão em torno da integração da experiência clínica com as melhores evidências científicas disponíveis, a segurança nas intervenções e a ética das ações em saúde, com foco na tomada de decisão clínica e desfechos relacionados à funcionalidade humana”, completa o presidente da Comissão Científica do congresso, Prof. Dr. Rodrigo Luiz Carregaro (UnB).

As inscrições já se encontram abertas no site do evento. Até o dia 20 de junho, os valores variam de R$ 360 a R$ 600. A organização espera um um público de 2 mil participantes para esta edição do Cobraf.


Imagem ilustrativa do aplicativo TagFit (Foto: Divulgação)

Aplicativo que serve como incentivo e acompanhamento para quem busca emagrecer já alcançou a marca de 10 mil usuários (Foto: Divulgação)

Lançada há apenas um mês, a rede social brasileira TagFit, focada em saúde e qualidade de vida, já ultrapassou a marca de 10 mil usuários. O principal objetivo do software, que tem o pernambucano Yelken Gonzales como um dos desenvolvedores, é servir como incentivo e acompanhamento para quem busca emagrecer.

Imagem ilustrativa do aplicativo TagFit (Foto: Divulgação)

Aplicativo conta com sistema de troca de mensagens, postagem de fotos, armazenamento de histórico e dicas de especialistas (Foto: Divulgação)

O aplicativo conta com sistema de troca de mensagens, postagem de fotos, armazenamento de histórico e dicas personalizadas dadas por especialistas em saúde 24h por dia. A ferramenta está disponível para download gratuito apenas na Play Store, para Android.

Imagem de Yelken Gonzales (Foto: Isabela Giatomaso / Cortesia)

O pernambucano Yelken Gonzales é um dos desenvolvedores do TagFit (Foto: Isabela Giatomaso / Cortesia)

A ideia de Gonzales e do outro desenvolvedor, o empresário Guilherme Sakajiri, é é incentivar e promover mudanças saudáveis na rotina dos usuários de uma forma divertida e fácil, porém com suporte profissional. Outras informações na fanpage do aplicativo no Facebook.


 
Todas as informações apresentadas neste blog estão disponíveis com objetivo exclusivamente educacional. Dessa maneira, nosso conteúdo não pretende substituir consultas médicas, realização de exames e tratamentos médicos. Sempre que tiver uma dúvida, não deixe de conversar com o seu médico, que é o profissional mais adequado para esclarecer todas as suas perguntas. E nunca se esqueça de que o direito à informação correta é essencial para a prevenção e o sucesso do tratamento. E mais: o conteúdo editorial do Casa Saudável não apresenta relações comerciais com possíveis anunciantes e patrocinadores do blog.
© Copyright 2015. NE10 - Recife - PE - Brasil.
-->