Ir para o conteúdo

Casa Saudável

Confira a nova programação, atividades e eventos das Academias Recife

13 de julho de 2016 | postado por Cinthya Leite
As 13 unidades da Academia Recife funcionam de segunda a sexta-feira, das 5h30 às 11h30 e das 14h às 21h. Aos sábados, das 5h30 às 12h30 (Foto: Clemilson Campos/Acervo JC Imagem)

As 13 unidades da Academia Recife funcionam de segunda a sexta-feira, das 5h30 às 11h30 e das 14h às 21h. Aos sábados, das 5h30 às 12h30 (Foto: Clemilson Campos/Acervo JC Imagem)

A partir desta quarta-feira (13), as 13 Academias Recife passam a contar com uma programação renovada, o que inclui novas modalidades de exercícios, oficinas e eventos semanais. O projeto, criado em 2013 pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Turismo e Lazer, convida a população a desfrutar dos espaços públicos e a praticar exercícios que promovem a qualidade de vida.

Leia também: 

>> Tire suas dúvidas sobre a prática de exercícios físicos durante a gravidez

>> Amigos e vizinhos estimulam a prática de atividade física, aponta pesquisa

>> Dica do bem: Musculação é um grande aliado de quem deseja emagrecer

“Mesmo quem não tem familiaridade ou afinidade com equipamentos de musculação, agora pode se beneficiar do projeto”, diz o secretário de Turismo e Lazer do Recife, Camilo Simões. Entre as novas práticas, estão vôlei, futebol, capoeira, exercício funcional, combat e step, ginástica localizada e aeróbica, dança popular, além de recreação, atividades para idosos, dança de salão e até contação de histórias. Essas atividades são oferecidas sempre pela manhã e à tarde em todas as Academias Recife.

Academias Recife

As Academias Recife localizadas nos parques da Jaqueira e Santana, ambos na Zona Norte, passam a disponibilizar ainda a corrida como prática regular, todas as terças e quintas, às 19h. “Os grupos serão, aos poucos, disponibilizados em outras unidades. Pretendemos até lançar uma corrida com a marca do projeto até o fim do ano”, informa Camilo.

Na Academia Recife do Ibura, na Zona Sul do Recife, outro projeto piloto será implantado. “Adequaremos toda a estrutura para pessoas com necessidades especiais. Implantaremos piso tátil, rampas e respeitaremos a distância regulamentar entre os equipamentos para que usuários de cadeiras de rodas também possam se beneficiar do projeto”, diz Camilo Simões.

As 13 unidades funcionam de segunda a sexta-feira, das 5h30 às 11h30 e das 14h às 21h. Aos sábados, das 5h30 às 12h30.

Circuito

A Secretaria de Turismo e Lazer do Recife dá início ainda ao Circuito Viva Academia Recife. O evento será semanal e vai passar por todas as academias em esquema de rodízio. Será realizado sempre aos sábados, das 5h30 às 12h30. Nesta primeira edição, dia 16 de julho, a Academia Recife do Segundo Jardim de Boa Viagem recebe o grupo Patusco, a partir das 10h. Com musculação das 5h30 às 9h30, a programação conta ainda com recreação, alongamento, treinamento funcional, aulão de dança e posto de informação de saúde.

As próximas unidades que vão receber o Circuito Viva Academia Recife são as de Santo Amaro e do Hipódromo, ainda no mês de julho. Todas as academias serão contempladas até o fim do ano.


Zika vírus: Fundo Newton lança chamada para projetos de pesquisa

12 de julho de 2016 | postado por Cinthya Leite
Zika é um dos vírus transmitidos pelo Aedes aegypti (Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem)

Zika é um dos vírus transmitidos pelo Aedes aegypti (Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem)

O British Council, a Fundação Oswaldo Cruz, a Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba (Fapesq), a Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal  (FAP-DF), a Facepe (Fundação de Amparo a Ciência e Tecnologia de Pernambuco), a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) e a Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap) lançam o Institutional Links, edital vinculado ao Fundo Newton no Brasil.

Leia também: 

>> Saiba em que casos planos de saúde devem cobrir testes para detectar zika

>> Após caso de bebê com zika congênita e sem microcefalia, especialistas querem oftalmologistas nas maternidades

A chamada tem como objetivo incentivar parcerias entre instituições de ensino superior e/ou pesquisa britânicas e dos Estados elegíveis (entre eles, Pernambuco), dentro do tema vírus zika a ser abordado de forma interdisciplinar, envolvendo pesquisa aplicada, tendo como foco central o desenvolvimento de capacidades para responder ou prevenir os impactos sociais da síndrome congênita do zika no Brasil. A submissão de propostas deve ser feita até 12 de setembro de 2016 (10h no horário de Brasília).

O valor disponível para o financiamento de cada proposta é entre £ 50.000 e  £ 100.000 (cinquenta e cem mil libras esterlinas), a ser disponibilizado pelas instituições financiadoras, Conselho Britânico e FAPs (Fapesq, FAP-DF, Facepe, Fapeal ou Funcap), respectiva ao Estado de origem do proponente principal.

Informações sobre o edital: www.facepe.br.


 

Otite atinge de 14% a 20% dos cães (Foto: Igo Bione/Acervo JC Imagem)

Otite atinge de 14% a 20% dos cães (Foto: Igo Bione/Acervo JC Imagem)

A otite externa, comumente chamada de inflamação do ouvido, é um problema comum nos cães e causa muito desconforto. É caracterizada pela inflamação da orelha externa, incluindo o conduto auditivo, e atinge de 14% a 20% dos cães. Em cada quatro casos, um é considerado grave. Esse problema é o principal motivo pelo qual os donos de cães levam seus animais às clínicas veterinárias. Se não tratada adequadamente, a otite pode evoluir para casos graves e provocar, inclusive, sintomas neurológicos.

Leia também:

>> Cães reconhecem o significado de expressões emocionais, indica pesquisa

>> Glaucoma em cães exige cuidados especiais

O tema será assunto da palestra Otites recorrentes – Como enfrentar esse desafio, que será promovida no Recife pela MSD Saúde Animal na próxima quarta-feira (13/7). A professora Ana Cláudia Balda, mestre e doutora com ênfase em dermatologia pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (USP) e sócia-fundadora da Sociedade Brasileira de Dermatologia Veterinária, conversará com os profissionais sobre o problema, a importância de identificar as causas da inflamação e o tratamento mais adequado para cada situação.

A palestra é gratuita e voltada para médicos veterinários.

Serviço:

Palestra: Otites recorrentes – Como enfrentar esse desafio

Data: 13 de julho

Horário: 19h30

Local: Buffet e Recepções Porto Fino (Rua Sant’Ana, 65, Casa Forte, Zona Norte do Recife)

Informações e inscrições: 81 99282-0499 e apoio.vendas@melodiapet.com.br


Hospital Mestre Vitalino oferece vagas para pediatras

11 de julho de 2016 | postado por Cinthya Leite
Imagem ilustrativa de médica (Foto: Free Images)

São oferecidas quatro vagas para pediatras no Hospital Mestre Vitalino (Foto: Free Images)

O Hospital Mestre Vitalino (HMV), em Caruaru, Agreste de Pernambuco, disponibiliza quatro vagas para médicos pediatras. Para se candidatar, os interessados devem enviar currículo para o rh.hmv@hospitaldotricentenario.com.br ou deixar na própria recepção da unidade, que fica na Avenida Amazonas, 175, bairro Universitário, BR 104, sentido Toritama.

Leia também:

>> Novos pediatras: estão em formação médicos que falam a língua das crianças e das mães

>> H1N1: Vacina contra gripe pode oferecer proteção contra pneumonia na infância

Segundo a direção da unidade, o HMV é destinado à população da 4ª e 5ª Regiões de Saúde de Pernambuco, que compreendem 53 municípios. Atualmente, a unidade é administrada pela Organização Social em Saúde do Tricentenário.

Mais informações: 81 3725-7797.


Maior tempo assistindo à TV foi significativamente associado ao menor consumo de frutas e verduras e maior consumo de proporções de salgadinhos, doces e bebidas e elevado teor de açúcar (Foto: Free Images)

Maior tempo assistindo à TV foi significativamente associado ao menor consumo de frutas e verduras e ao maior consumo de proporções de salgadinhos, doces e bebidas e elevado teor de açúcar (Foto: Free Images)

O Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (Erica), realizado pelo Ministério da Saúde e pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), revela que 56,6% dos adolescentes fazem refeições sempre ou quase sempre em frente à televisão. E esse índice é mais elevado entre alunos de escolas públicas.

Leia também:

>> Dica do bem: Tenha uma boa noite de sono e fique em paz com a balança

>> Obesidade pode interferir na aprendizagem das crianças, aponta estudo

É bom frisar que o maior tempo assistindo à TV foi significativamente associado ao menor consumo de frutas e verduras e maior consumo de proporções de salgadinhos, doces e bebidas e elevado teor de açúcar. Com a mesma frequência de comer assistindo televisão, 39% afirmaram consumir petiscos em frente às telas. As meninas consumiram com maior frequência (sempre ou quase sempre) refeições e petiscos em frente às telas (TV, videogames e computadores).

Pesquisa revela que 39% afirmaram consumir petiscos em frente às telas (Foto: Free Images)

Pesquisa revela que 39% afirmaram consumir petiscos em frente às telas (Foto: Free Images)

Em relação à prevalência, 73,5% dos adolescentes afirmaram passar duas ou mais horas por dia em frente às telas. O hábito mais frequente entre meninos, alunos de escolas particular e do Sul. O percentual de adolescentes que sempre ou quase sempre assistem à TV enquanto realizam as principais refeições variou de 48%, no Norte, a 62%, no Centro-Oeste.

O Erica também apontou que 17,1% dos adolescentes de 12 a 17 anos estão com sobrepeso. Já 8,4% dos jovens avaliados estão obesos, sendo meninos com maior porcentagem (10,8%). O percentual entre meninas é de 7,6%.


Confira as alterações na visão que podem sugerir doenças neurológicas

11 de julho de 2016 | postado por Cinthya Leite
Imagem de pessoa com olhos claros (Foto: Divulgação)

Além da dor de cabeça, dor ocular e retro-ocular, outros sintomas podem sugerir alterações neurológicas, como baixa visão, diminuição dos campos visuais, alteração do tamanho da pupila, visão dupla, estrabismo, queda da pálpebra, sensação de blackout, fotofobia, balanço no olhar e alteração na visão das cores (Foto: Free Images)

A enxaqueca é uma das principais queixas nos consultórios oftalmológicos. Se ela realmente for causada por problemas relacionados à visão, é indispensável procurar um neuroftalmologista. Essa subespecialidade da oftalmologia cuida de problemas no nervo óptico e nas vias ópticas, que são regiões do cérebro responsáveis pela visão. Além da dor de cabeça, dor ocular e retro-ocular, outros sintomas podem sugerir a presença de alterações neurológicas, como baixa visão, diminuição dos campos visuais, alteração do tamanho da pupila, visão dupla, estrabismo, queda da pálpebra, sensação de blecaute, fotofobia, balanço no olhar (nistagmo) ou ainda alteração na visão das cores.

Leia também:

>> Enxaqueca oftálmica causa sintomas que vão além da dor de cabeça

>> Coçar os olhos pode agravar deformidade na córnea e aumentar grau de astigmatismo

“Por isso, é indispensável que o paciente fique atento a esses sintomas, pois eles podem revelar outras doenças neurológicas”, explica a neuroftalmologista Marisa Kattah, do Instituto de Olhos do Recife (IOR).

Segundo a médica, algumas doenças neurológicas podem incidir diretamente na visão e, por conta disso, o paciente também deve ser acompanhado por um neuroftalmologista. Tumores cerebrais benignos, por exemplo, podem comprimir as áreas nobres relacionadas ao sistema visual. “Aneurismas, adenomas de hipófise, suspeita de hipertensão intracraniana, infecções virais, bacterianas e parasitárias, além de doenças autoimunes (como esclerose múltipla), podem afetar o nervo óptico e outras áreas do sistema visual”, diz.

Já acidentes vasculares cerebrais e tromboses podem causar perda súbita da visão e a miastenia grave (comprometimento da comunicação entre os nervos e os músculos) pode provocar visão dupla e queda das pálpebras. “Além disso, alterações nos campos visuais e na pupila, gerando dificuldade para enxergar de perto e fotofobia, podem ser originadas por doenças do sistema nervoso periférico ou autônomo, como Parkinson ou Alzheimer”, complementa a médica.

Na infância

Quem tem filhos, especialmente bebês, deve ficar atento a comportamentos que podem ser indicativos de doenças neurológicas. “Se perceber, por exemplo, que a criança não fixa o olhar ao amamentar ou ao olhar para mãe, que apresenta estrabismo ou queda da pálpebra, que tem diferenças no tamanho da pupila e na cor da íris, que não acompanha objetos e não reage à luz, ou mesmo se tem convulsões, deve procurar imediatamente um neuroftalmologista”, indica Marisa Kattah.

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Antes mesmo de completar o primeiro mês de vida, é indispensável que o bebê faça exames de prevenção e de investigação, como exame oftalmológico completo, teste do olhinho e neuroftalmológico (Foto: Diego Nigro/JC Imagem)

Antes mesmo de completar o primeiro mês de vida, é indispensável que o bebê faça exames de prevenção e de investigação, como o exame oftalmológico completo, teste do olhinho e neuroftalmológico. “Esses testes incluem movimentação ocular, reflexos fotomotores da pupila e de convergência e mapeamento da retina, que ajudam a detectar qualquer anomalia”, explica.

A neuroftalmologista também chama a atenção para o fato de que, seja adulto ou criança, testes de prevenção e a indicação de exames eletrofisiológicos são indispensáveis para a eficácia do diagnóstico precoce e tratamento. “Os neurologistas, pediatras e principalmente os oftalmologistas devem encaminhar seus pacientes ao neuroftalmologista, em qualquer suspeita de alteração visual, para que ele possa ajudar a diagnosticar o quanto antes a patologia e saber lidar com ela”.

Outra alerta feita pela médica é que todo paciente, após os 15 ou 20 anos de idade, deveria realizar um exame de campo visual, como parâmetro, e não somente após a suspeita de algo importante. “Isso preveniria muitas patologias neurológicas que podem produzir alterações visuais”, finaliza Marisa Kattah.


Quando sintomas como sangramento já são aparentes, a paciente se encontra no estágio avançado do câncer de colo do útero, diz médica (Foto: Free Images)

Quando sintomas como sangramento já são aparentes, a paciente se encontra no estágio avançado do câncer de colo do útero, diz médica (Foto: Free Images)

Pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha, encomendada pela Roche Farma Brasil, aponta que 58% das pernambucanas não conhecem o câncer de colo do útero, o segundo mais incidente no público feminino no Estado e que mata uma mulher a cada 90 minutos no País. A falta de informação também chega aos exames de diagnóstico e tratamento da doença.

Leia também:

>> Câncer de colo do útero: 80% das brasileiras entre 25 e 64 anos fazem o papanicolau

>> Mais de 30% das mulheres desconhecem relação do HPV com câncer de colo do útero

Dados da pesquisa mostram que, entre as mulheres do Estado, 85% nunca realizaram o teste do HPV, teste específico para detectar o principal causador do câncer de colo do útero. Grande parte delas também nunca realizaram o papanicolau e a colposcopia, respectivamente 44% e 42%, exames de rotina ginecológica para rastreamento desse tipo de câncer. A maioria das mulheres realiza esses exames quando necessitam avaliação médica por outras causas e não de forma rotineira e regulada como propõe o programa de rastreamento de câncer de colo de útero no Brasil, conta a  médica oncologista Carla Rameri de Azevedo, pesquisadora do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip) e da clínica MultiHemo.

Outro detalhe é que 63% das pernambucanas dependem do Sistema Único de Saúde (SUS), que demora cerca de seis meses para concluir o ciclo de atendimento, que abrange desde a consulta inicial, passando pela realização do exame e à consulta de retorno. “A demora agrava o cenário, fazendo com que os tumores sejam diagnosticados já em estágios avançados”, relata Carla.

De acordo com a especialista, quando sintomas como o sangramento já são aparentes, a paciente se encontra no estágio avançado da doença, o que acontece em 77% dos casos.

“O acesso à prevenção e ao tratamento a contento são muito importantes para elas. Não somente pela maior chance de cura, como também na melhora na qualidade de vida”, completa Carla Rameri. Entre as entrevistadas, 89% acham muito importante ter mais um dia de vida e 85% acreditam que o tratamento correto pode possibilitar mais tempo a elas.

Segundo a especialista, para o estágio avançado, o tratamento com bevacizumabe, novo medicamento disponível no Brasil, permite mais tempo de vida às pacientes. A combinação do medicamento com a quimioterapia isolada (cisplatina + paclitaxel) aumentou a expectativa média de vida em 30% e reduziu 33% na progressão da doença. “Trata-se do primeiro medicamento biológico que trouxe benefício em sobrevida global sem redução da qualidade de vida em pacientes com câncer de colo de útero nos últimos dez anos”, afirma Carla.


A maioria dos homens já fez ou conhece alguém que precisou fazer a cirurgia de fimose, caracterizada pela dificuldade ou até impossibilidade de expor a glande (cabeça do pênis) porque o prepúcio (pele que envolve a glande) estreita a passagem. Essa condição gera desconforto e pode favorecer o desenvolvimento de diversas doenças, como doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e câncer de pênis, pois a impossibilidade de limpeza adequada da região abre portas para infecções.

Leia também:

>> Pesquisa: 50% dos homens recifenses nunca se consultaram com um urologista

>> Contra o câncer de pênis, nada melhor do que água e sabonete

“A fimose é um fator de risco para a infecção pelo HPV (papilomavírus humano), que pode ser transmitido durante a relação sexual. Já se sabe que, em países onde a cirurgia de fimose é feita de forma rotineira, há uma diminuição na incidência do câncer de colo do útero”, explica o urologista Guilherme Maia, do Hospital Santa Joana e do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), ambos no Recife.

Também chamada de circuncisão, a cirurgia de fimose é normalmente realizada na infância, geralmente após os 4 anos, segundo Guilherme. “Mas o homem adulto também pode se submeter ao procedimento, que é simples. Passados cinco dias da cirurgia, é possível voltar as atividades do dia a dia e, após um mês, há liberação para atividade sexual”, ressalta o urologista. Após o procedimento, é possível realizar a higiene peniana adequada e, assim, reduzir riscos de desenvolvimento de câncer de pênis e de DSTs. “Quando a higiene é precária, facilita a proliferação dos vírus”, explica Guilherme Maia.

Além disso, a cirurgia de fimose deixa os homens menos expostos à infecção pelo HIV. “A Organização Mundial da Saúde passou a recomendar a cirurgia em países com alta prevalência de HIV como uma das medidas preventivas para essa e outras doenças, como HPV, herpes, sífilis e câncer de pênis”, frisa o urologista.


Oficinas lúdicas de arte fazem parte da programação de férias para as crianças do Sesc Santo Amaro (Foto: Free Images)

Oficinas lúdicas de arte fazem parte da programação de férias para as crianças do Sesc Santo Amaro (Foto: Free Images)

O Sesc Santo Amaro, área central do Recife, promove o projeto Trela para a garotada neste mês de férias. Com a iniciativa, a unidade desenvolveu ações que contemplam bebês, crianças e adolescentes. De 11 a 14 de julho, serão oferecidas aulas lúdicas de arte para os pequenos entre 6 e 11 anos. O curso acontece das 14h às 17h e será realizado pelas instrutoras Morgana Brandão e Jaqueline Cavalcante.

Leia também:

>> Saiba como evitar acidentes domésticos nas férias da garotada

>> Veja como aproveitar ao máximo as últimas semanas de férias das crianças

Já os pequenos de 18 a 36 meses vão vivenciar momentos inspirados na musicalização. A ferramenta permite, além de acalmar e tranquilizar, o despertar para reação a estímulos. Os encontros vão acontecer de 11 a 14 de julho, das 9h às 11h.

Já o público entre 5 e 10 anos pode participar do Teatro para Crianças, que trabalhará com a garotada noções básicas da expressão cultural de 18 a 21 de julho. A iniciativa é comandada por Giordano Castro, com aulas no turno da manhã, das 9h às 12h.

Outra opção é o curso de introdução ao desenho para crianças, com Java Araújo, para crianças de 9 a 13 anos. As aulas serão de 18 a 21 de julho, das 14h às 17h.

Os interessados em participar das atividades devem se inscrever no ponto de atendimento do Sesc Santo Amaro. A unidade fica localizada na Rua Treze de Maio, n° 455, no bairro de Santo Amaro, área central do Recife. Informações: 81 3216-1616.

Serviço:

11 a 14 de julho
9h às 11h
Oficina Musicalização para Bebês
Inscrição: R$ 30 (dependente de comerciário) e R$ 60 (público e geral)

11 a 14 de julho
14h às 17h
Oficinas Lúdicas de Arte
Inscrição: R$ 30 (dependente de comerciário) e R$ 60 (público e geral)

18 a 21 de julho
Oficina Teatro para crianças
9h às 12h
Inscrição: R$ 30 (dependente de comerciário) e R$ 60 (público e geral)

18 a 21 de julho
Pequenos Traços – Curso de introdução ao desenho para crianças
14h às 17h
Inscrição: R$ 30 (dependente de comerciário) e R$ 60 (público e geral)


Samu alerta que trotes podem comprometer uma vida (Foto: Free Images)

Samu alerta que trotes podem comprometer uma vida (Foto: Free Images)

Durante as férias escolares, aumenta o alerta em relação às chamadas na central de teleatendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-192) do Recife. Embora a média de ligações falsas tenha caído de 45%, nos primeiros meses de 2015, para 30% este ano, a preocupação continua.

Leia também:

>> Qualidade de vida de enfermeiros do Samu é comprometida por má condição de trabalho

De acordo com o coordenador do Samu Metropolitano, Leonardo Gomes, o número é o menor desde 2003, mas ainda não é o ideal. “A nossa meta é sempre diminuir a quantidade das chamadas falsas recebidas. Nos países desenvolvidos, essa média fica entre 20% e 25%. Então, precisamos continuar as ações educativas para que as pessoas se conscientizem que esse tipo de atitude pode comprometer uma vida”, explica Leonardo. Ele reforça que o alerta também é para os adultos, que poderão responder por crime previsto no Código Penal. “Durante o dia, os trotes são realizados normalmente por crianças e, à noite, por adultos”, informa.

A redução no índice deve-se, segundo ele, às ações educativas do Projeto Samu nas Escolas e de divulgação na imprensa. “Além de realizarem os atendimentos médicos, nossos profissionais se dedicam a levar o assunto para dentro das escolas. Nas palestras, eles fazem demonstrações de primeiros socorros e falam sobre a importância desse socorro às vítimas, enfatizando que o trote dificulta o trabalho das equipes.”

Neste ano, 21 escolas municipais já receberam as equipes do Samu, atingindo mais de mil alunos da rede. “Percebemos que, quanto maior o número de escolas que recebem o projeto, menor o número de trotes recebidos”, afirma o coordenador médico do Núcleo de Educação Permanente, Sérgio Murilo.

Saiba mais

No Recife, o Samu tem nove bases descentralizadas além da central, localizada na Avenida Manoel Borba, 951, na Boa Vista, no Centro do Recife. Na Central de Regulação Médica das Urgências, trabalham 163 profissionais (entre médicos, enfermeiros, rádio operadores e teleatendentes) 24 horas por dia, recebendo chamadas via 192.

Atualmente, a frota é composta por 22 viaturas, sendo 18 unidades de suporte básico e quatro unidades de suporte avançado. Ainda há sei motolâncias e 10 veículos do tipo 4 x 4 – estes últimos substituem os furgões no período de chuva.


 
Todas as informações apresentadas neste blog estão disponíveis com objetivo exclusivamente educacional. Dessa maneira, nosso conteúdo não pretende substituir consultas médicas, realização de exames e tratamentos médicos. Sempre que tiver uma dúvida, não deixe de conversar com o seu médico, que é o profissional mais adequado para esclarecer todas as suas perguntas. E nunca se esqueça de que o direito à informação correta é essencial para a prevenção e o sucesso do tratamento. E mais: o conteúdo editorial do Casa Saudável não apresenta relações comerciais com possíveis anunciantes e patrocinadores do blog.
© Copyright 2015. NE10 - Recife - PE - Brasil.
-->