publicidade
15/04/18
Segundo neuropediatra, canhotos dominam tarefas que envolvem manipulação mental de objetos com maior facilidade (Foto: Guga Matos/JC Imagem)
Segundo neuropediatra, canhotos dominam tarefas que envolvem manipulação mental de objetos com maior facilidade (Foto: Guga Matos/JC Imagem)

Mito ou verdade: canhotos são mais inteligentes? Neuropediatra responde

15 / abr
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 15/04/2018 às 18:49

Num mundo onde reinam as pessoas que escrevem com a mão direita (90% da população são de destros), os canhotos despertam no mínimo curiosidade – e também precisam se virar para realizar tarefas aparentemente simples, como usar um abridor. Outro detalhe é que, diferentemente do imaginário popular, aqueles que são mais hábeis com a mão esquerda não têm um QI maior do que os destros. “Estes têm um hemisfério esquerdo predominante, enquanto os canhotos possuem dominância no direito. O lado esquerdo de cérebro se associa ao processamento da linguagem falada e escrita; o direito, à percepção e criatividade. Devido a esse fato, surgiu a ideia de que os canhotos seriam mais criativos em suas tarefas, e os destros poderiam realizar atividades acadêmicas melhor”, diz o neuropediatra Lucas Alves, do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip) e do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

“A ciência explica, em parte, por 90% da população ser destra. Existem várias teorias para explicar esse dado. As mais aceitas são a de causa genética, pois já foi demonstrados a existência de genes relacionados ao fato de a pessoa ser canhota”, diz Lucas Alves (Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem)

Ele acrescenta que as pessoas com mais habilidades para usar a mão esquerda ainda podem ter dificuldades de aprendizagem e dislexia (alteração em compreender a leitura) com maior frequência, em comparação com quem é destro. “Por outro lado, canhotos dominam tarefas que envolvem manipulação mental de objetos com maior facilidade. Isso explica a alta proporção de canhotos que se tornam jogadores de xadrez”, ressalta Lucas, que acrescenta o que poderia fazer diferença em relação à aquisição de habilidades: “no fim das contas, melhor mesmo seria a ambidestria (capacidade de ser igualmente jeitoso ao usar ambas as mãos)”.

A conclusão é que, independentemente do lado que nos é mais conveniente, todos nós temos uma destreza peculiar.

O que diz a ciência

“A ciência explica, em parte, por 90% da população ser destra. Existem várias teorias para explicar esse dado. As mais aceitas são a de causa genética, pois já foi demonstrados a existência de genes relacionados ao fato de a pessoa ser canhota. Por exemplo, entre gêmeos idênticos, se um é canhoto, o outro terá 76% de chance de também ser. Outra hipótese está relacionada ao desenvolvimento intraútero: na 13ª semana de gravidez, fetos já demonstram preferência por um dos lados do corpo para a realização de movimentos na gestação. Além disso, ainda há a adaptação da criança ao meio em que ela vive. Certamente
parece ser vantajoso ser destro, em um mundo cheio de coisas e produtos feitos para pessoas que usam a mão direita predominantemente”, ressalta o neuropediatra Lucas Alves.

História

“No século 19, o médico Cesare Lambroso, fundador da Escola Italiana de Criminologia Positivista, desenvolveu a teoria patológica que associava a dominância do uso da mão esquerda a condutas perversas e pervertidas. Os canhotos foram chamados de doentes, feiticeiros; muitos escondiam da sociedade que usavam a mão esquerda. Outros procuraram aprender a utilizar a mão direita, contrariando o próprio impulso. Portanto, ao longo da história, ser canhoto era considerado algo negativo”, diz o médico.


FECHAR