publicidade
13/02/18
Os sintomas das viroses, segundo infectologista, aparecem normalmente cerca de cinco dias após a infecção e incluem febre, moleza no corpo e dor de cabeça (Foto: Pixabay)
Os sintomas das viroses, segundo infectologista, aparecem normalmente cerca de cinco dias após a infecção e incluem febre, moleza no corpo e dor de cabeça (Foto: Pixabay)

Com o Carnaval chegando ao fim, infectologista alerta para o aumento de casos de viroses

13 / fev
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 13/02/2018 às 10:45

Nos dias de folia, o empurra-empurra é uma certeza de todo folião. Frevo, samba, axé, muito calor e uma enorme aglomeração de pessoas por metro quadrado são algumas das características dos dias de Momo. Porém, quando as orquestras se calam, os problemas geralmente aparecem. Entre eles, as viroses, que são muito frequentes neste período.

Leia também:

Ressaca: nutricionista dá dicas para quem deseja se recuperar dos excessos do Carnaval

Gripe, resfriado e mononucleose (popularmente conhecida como a doença do beijo) são algumas das doenças que costumam ser muito transmitidas nesta época. “Todas são viroses, e os sintomas aparecem normalmente cerca de cinco dias após a infecção. São caracterizados por febre, moleza no corpo e dor de cabeça”, destaca a infectologista Ana Henriques, do Hospital Santa Joana Recife.

A aglomeração de pessoas também facilita a transmissão de conjuntivite. “Isso acontece porque as pessoas não higienizam as mãos de maneira correta durante os dias de folia e acabam levando o vírus para os olhos ao tocar na região”, diz a médica. O cuidado com alimentação também deve ser redobrado para evitar problemas digestivos. “Muitas vezes, para não sair da brincadeira, o folião acaba comendo lanches vendidos em barraquinhas de rua. Comida contaminada pode levar a quadros de diarreia, por exemplo”, reforça Ana Henriques.

Normalmente as viroses se curam após alguns dias, sem a necessidade de remédios. “É importante também se hidratar bastante e repousar. Elas costumam desaparecer em um período curto. Em caso de febre alta ou dores excessivas pelo corpo, é importante procurar atendimento médico”, complementa a infectologista.

 


FECHAR