publicidade
06/01/18
"Com a saúde quântica, mudamos a forma de olhar para os problemas", relata Núbia Robalinho, que recorre à meditação (prática respeitada na saúde quântica) para afastar atitudes que levam a doenças (Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem)

Saúde quântica convida a tirar o pé do acelerador para cuidar da mente, do corpo e das emoções

06 / jan
Publicado por Cinthya Leite em Bem-estar - 06/01/2018 às 17:03

O mundo acelerado que nos faz abraçar multitarefas é o mesmo que também nos leva a viver no piloto automático. O ponteiro do relógio vai girando e, quando a gente se dá conta, vem a sensação de esgotamento físico e mental que parece não cessar com remédio algum. Pudera: o ritmo tão frenético nos impede de tomarmos consciência daquilo que vivenciamos e consequentemente ficamos sem saber identificar sentimentos nocivos que ganham força se não desativarmos “vírus emocionais” que tentam sugar a nossa energia. Essa é uma das muitas mensagens da saúde quântica – aquela capaz de descortinar o ser humano de forma integral, ao congregar mente, corpo, emoções e espírito.

Assista ao programa na TV JC sobre o tema:

“A física moderna mostra que somos energia. Tudo o que tem energia possui uma vibração e pulsa em frequências específicas. É como se nós tivéssemos uma música pessoal, que nos alinha com a nossa capacidade de ter uma vida saudável ou doente”, explicou o professor e terapeuta quântico Wallace Lima. Em entrevista na TV JC, na última sexta-feira (5), ele ressaltou que a melodia interior de cada ser humano está ligada a um padrão energético relacionado a tudo o que nutre a vida. “Do ponto de vista quântico, a nutrição envolve não só o que se coloca no prato, como também pensamentos, sentimentos e emoções. Tudo isso se transforma no nosso corpo.”

Leia também:

2018: um ano para vigiar os sentimentos; saúde quântica mostra caminhos possíveis

Autor do livro recém-lançado Dê um salto quântico na sua vida: como treinar sua mente para viver no presente e fazer o mundo conspirar a seu favor (Editora Gente), Wallace Lima caminha na contramão da ideia de que estamos destinados a ser cansados e doentes neste mundo impulsionado pelo estresse. “A doença é um sinal que possibilita olhar para nós mesmos e fazer as correções adequadas. A saúde quântica vem para mostrar que precisamos ir mais além para deixar de olhar o problema e atentar na solução. Devemos deixar de ver a doença e olhar para a saúde a partir da compreensão integral (mente e corpo) do ser humano.”

“Vivemos um tempo de analfabetismo emocional. O ensino não se volta para a vida. Nunca tive aula, por exemplo, sobre como lidar com raiva e medo, que são emoções destrutivas”, diz Wallace Lima (Foto: Filipe Jordão/JC Imagem)

Qualidade de vida

O depoimento de Wallace Lima ilustra bem as atitudes que a empresária Núbia Robalinho, 65 anos, passou a ter desde que conheceu os preceitos da saúde quântica. “Aos poucos, a gente vai mudando padrões de comportamento e de alimentação. Percebemos que temos metas a cumprir e não devemos entrar em desespero. Aprendemos que vivenciar experiências ruins também nos faz evoluir. Ou seja, mudamos a forma de olhar para os problemas”, relata Núbia, que recorre à meditação (prática respeitada na saúde quântica; veja quadro ao lado) para afastar atitudes que levam a doenças.

“Para respirar, puxo o ar e expiro lentamente. Faço isso diversas vezes. A sensação que tenho é de que posso dar um ‘reset’ na mente, ficando apenas os pensamentos positivos, dos quais realmente precisamos”, ensina Núbia, com a certeza de que, ao aproveitarmos um dia de cada vez, não deixaremos de perder as surpresas boas da vida.


FECHAR