publicidade
05/09/17
Nos dias de hoje, quem tem medo da psiquiatria? Especialistas em saúde mental convidam a não ter. Quem está passando por algum sofrimento mental deve procure atendimento especializado (Foto: Pixabay)
Nos dias de hoje, quem tem medo da psiquiatria? Especialistas em saúde mental convidam a não ter. Quem está passando por algum sofrimento mental deve procure atendimento especializado (Foto: Pixabay)

‘Quem tem medo da psiquiatria?’ é tema de evento que alerta para a prevenção do suicídio

05 / set
Publicado por Cinthya Leite em Blog - 05/09/2017 às 10:23

Como atividade alusiva ao Setembro Amarelo, campanha que tem como objetivo informar corretamente a população sobre a prevenção do suicídio, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) sedia, nesta terça-feira (5/9), o evento Quem tem medo da psiquiatria?, das 17h30 às 20h. O encontro, gratuito e aberto ao público, será realizado no Auditório do Núcleo Integrado de Atividades de Ensino (Niate) do Centro de Ciências Biológicas e Centro de Ciências da Saúde da instituição, que fica na Cidade Universitária, Zona Oeste do Recife.

Leia também:

Prevenção ao suicídio: entenda por que é urgente quebrar o silêncio

Prevenção ao suicídio: como a empatia (ou a arte de entender a dor do outro) pode ajudar a salvar vidas

O evento, organizado pelo psiquiatra Leonardo Machado, secretário da Sociedade Pernambucana de Psiquiatria (SPP), reforça a necessidade de as pessoas procurarem um psiquiatra caso estejam vivenciado algum sofrimento mental. “Há uma relação muito próxima entre os transtornos psiquiátricos e o suicídio. A maioria das pessoas que cometeu o ato, cerca de 95%, apresentava uma condição que afeta a saúde mental (distúrbios de humor e esquizofrenia, por exemplo). São transtornos que aumentam muito o risco de tentativas. Mas é bom reforçar que muitos dos que apresentam algum problema nem vão tentar”, explica o psiquiatra.

Dessa maneira, ele reforça que os casos de suicídio devem ser prevenidos. É o psiquiatra que tem habilidade e competência para avaliar se o sofrimento está ligado a um transtorno e, se necessário, indicar acompanhamento terapêutico adequado. Ao desmistificar os distúrbios mentais e o papel do psiquiatra, é possível romper mitos, oferecer tratamento e suporte emocional a quem precisa.

“Sabemos que 90% dos casos de suicídio podem ser evitados se estivermos atentos a sinais de alerta e quebrarmos tabus em torno do tema”, comenta a presidente da SPP, Kátia Petribú.

Na manhã do próximo domingo (10), marcado pelo Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, psiquiatras e demais profissionais da saúde mental vão se unir em ato de valorização da vida no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife. Informações sobre o evento desta terça-feira (5/9): 81 99703-2063.


FECHAR