publicidade
16/jun
Palhaços do Doutores da Alegria promovem arraial com muita animação para crianças internadas em hospitais do Recife (Foto: Lana Pinho / Divulgação)
Palhaços do Doutores da Alegria promovem arraial com muita animação para crianças internadas em hospitais do Recife (Foto: Lana Pinho / Divulgação)

Doutores da Alegria promovem o São Joãozinho em hospitais públicos do Recife

16 / jun
Publicado por Malu Silveira em Blog - 16/06/2017 às 16:42

As principais datas comemorativas não passam em branco nos principais hospitais públicos do Recife. Isso porque os palhaços da associação Doutores da Alegria marcam presença nas unidades. Não poderia ser diferente no mês de junho, sinônimo de “São Joãozinho” promovido pelos profissionais. O arraial começa na próxima segunda-feira (19), no Hospital da Restauração (HR), área central da capital pernambucana. Também receberão os festejos o Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC) e o Procape, no dia 20; o Barão de Lucena, no dia 21; para encerrar a programação, no dia 22, será a vez do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip). As atividades iniciarão sempre a partir das 10h.

Este ano, os palhaços matutos resolveram incrementar a festa. O Trio Porta Soro, que puxa o forró no cortejo junino pelas alas pediátricas dos hospitais, é formado só por mulheres: Dra. Tan Tan (Tâmara Floriano) assume a zabumba; Dra. Svenza (Luciana Pontual) o triângulo; e a musicista Verônica Sanfoneira faz uma participação especial neste São Joãozinho.

A principal novidade é que os palhaços encenarão um espetáculo criado especialmente para a data: “A peleja do noivo que tentou enganar a noiva na festa de São João ou vice e versa”. A montagem tem inspiração na literatura de cordel e nos encontros e desencontros amorosos. A peça conta a história de Marmelo (Marcelo Oliveira) que, para fugir do casamento com Baju (Juliana de Almeida), se veste de noiva. Mas como não é besta, Baju conta com a ajuda do pai, Mircolino Lampião (Marcelino Dias), para dar a volta no palhaço fujão. Para completar a algazarra, o trio Fuxiquinha (Svenza/Luciana Pontual), Fuxiqueira (Verônica Sanfoneira) e Fuxicão (Tan Tan/Tâmara Floriano) talvez entregue o paradeiro da falsa noiva. São João (Eu_zébio/Fábio Caio) espera abençoar o casal; o balão de São João é Ado (Arilson Lopes); Lui (Luciano Pontes) vive seu dia de majestade como Rei do Milho; e Dud Grud (Eduardo Filho) esquenta a festa com a fogueira de São João.

O espetáculo elaborado coletivamente, sob a coordenação artística de Arilson Lopes (Dr. Ado), foi ensaiado durante os encontros semanais dos artistas. “Estamos sempre buscando novas formas de potencializar o nosso encontro com a criança hospitalizada, o foco do nosso trabalho. A nossa peça de São João foi criada nesse intuito, de estabelecer o jogo e a brincadeira com a criança”, comenta Arilson. A produção do São Joãozinho é de Nice Vasconcelos.

Associação

O Doutores da Alegria é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que utiliza a arte do palhaço para intervir junto a crianças, adolescentes e outros públicos em hospitais públicos e ambientes adversos. Fundada por Wellington Nogueira em 1991, a associação foi inspirada no trabalho do Big Apple Circus de Nova York. Há 25 anos no Brasil, já realizou mais de um milhão e setecentas mil intervenções junto a crianças hospitalizadas, seus acompanhantes e profissionais de saúde.

A partir das intervenções em hospitais, Doutores da Alegria amplia canais de diálogos reflexivos com a sociedade, compartilhando o conhecimento produzido através de formação, pesquisa, publicações e manifestações artísticas, contribuindo para a promoção da cultura e da saúde e inspirando políticas públicas. Em 2016, a associação se reposicionou institucionalmente a partir de uma nova governança e tarefa institucional, propondo a arte como mínimo social, ou seja, como uma das necessidades básicas para o desenvolvimento digno do ser humano, assim como alimentação, saúde, moradia e educação.

A rotina dos palhaços do Doutores da Alegria inclui intervenção artística em duplas duas vezes por semana em cada hospital atendido pelo grupo e ainda um encontro às sextas-feiras de aperfeiçoamento e intercâmbio. O trabalho da associação Doutores da Alegria é gratuito para os hospitais, mas não é voluntário. O elenco é formado por artistas profissionais.

O trabalho da associação Doutores da Alegria, gratuito para os hospitais, é mantido por doações de empresas e de pessoas físicas, tanto por recursos próprios quanto por recursos advindos por meio das leis de incentivo fiscal. Os recursos das contribuições permitem a continuidade e a expansão das atividades e da estrutura do grupo, a realização de atividades de formação, oficinas e o aprimoramento técnico dos artistas. Em 2016, a manutenção do grupo no Recife recebeu o aporte do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura). Quem quiser ajudar o trabalho da associação Doutores da Alegria pode entrar no site www.doutoresdaalegria.org.br e em facebook.com/doutores.


FECHAR