Ir para o conteúdo

Casa Saudável

Imagem de bebê com microcefalia (Foto: Diego Nigro / JC Imagem)

Até agora, Pernambuco descartou, entre o universo de 1.968 bebês com suspeita de microcefalia, 1.068 casos notificados da malformação congênita (Foto: Diego Nigro/JC Imagem)

O estado de Pernambuco já notificou 1.968 casos de microcefalia entre 1º de agosto de 2015 até 21 de maio deste ano. Do total, 843 casos (42%) atendem aos parâmetros da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a malformação congênita. Desses números, 359 casos foram confirmados e 1.068 foram descartados. Até o momento, no entanto, 541 registros ainda estão sem diagnóstico. Os dados são do último boletim de microcefalia, divulgado na tarde desta terça-feira (24) pela Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Leia também:
» Microcefalia: exames detectam cálcio em lesões cerebrais de bebês com a malformação
» Minicérebros ajudam a entender relação entre zika e a microcefalia
» FAV procura parceiros que possam custear kit de estimulação para bebês com microcefalia

Também foram registrados 33 casos de bebês natimortos e 28 que vieram a óbito logo após o nascimento. A SES destacou que nenhum dos casos teve microcefalia como causa básica de morte.

Já em relação aos casos de gestantes com exantemas, situação em que a notificação foi tornada obrigatória desde dezembro do ano passado, o Estado registrou 4.244 casos de grávidas com esse quadro clínico. Desse número, 25 possuem detecção de microcefalia intra útero. Vale lembrar também que a notificação das mulheres com exantema não significa, necessariamente, que elas são casos suspeitos de dengue, chicungunha ou zika, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegpyti.

Segundo a SES, outros fatores podem ter ocasionado as manchas vermelhas, como rubéola, intoxicação, alergia ou alguma outra virose não identificada. O exantema também não é indicativo que a mulher terá um bebê com microcefalia.

Em Pernambuco, o Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães/Fiocruz e o Instituto Evandro Chagas confirmaram 154 casos de microcefalia relacionados ao vírus zika por detecção laboratorial. Outros 94 casos deram negativos e 3 inconclusivos, totalizando 251 testes realizados.


Imagem de larvas do Aedes aegypti (Foto: Alexandre Gondim / JC Imagem)

Somando os casos suspeitos, já são 116.533 pessoas com sintomas relacionados às arboviroses no Estado (Foto: Alexandre Gondim / JC Imagem)

Pernambuco já tem 22.133 casos confirmados de arboviroses (dengue, chicungunha e zika vírus) registrados entre 3 de janeiro e 21 de maio deste ano. São 28 mortes nesse período por agravamento dos das doenças transmitidas pelo Aedes aegpyti, sendo 22 mortes por chicungunha e 6 mortes com resultado positivo para dengue. Somando os casos suspeitos, já são 116.533 pessoas com sintomas relacionados às arboviroses. Os dados foram divulgados no final da tarde desta terça-feira (24) em novo boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Leia mais:
» Dengue: Uma luta de 30 anos
» Estudo da Rede Zika comprova relação causal entre vírus e microcefalia

No mesmo período, foram notificados 260 casos de formas graves das arboviroses, com 58 confirmações e 1 descarte. Com relação às mortes, foram 226 óbitos suspeitos notificados, contando com os 28 casos confirmados. Uma morte registrada nesse período foi descartada para as arboviroses. As demais estão em investigação.

Para a dengue, foram notificados 75.997 casos da doença. Desses, o órgão confirmou 15.768 casos e descartou outros 18.023 casos. O número, segundo a SES, os números representam uma diminuição de 14,81% em relação ao mesmo período de 2015, quando foram notificados 89.204 (sendo 40.574 confirmados).

Já em relação a chicungunha, foram notificados 30.684 casos. Desses, 6.342 foram confirmados e 8.093 descartados. Em 2015, foram notificados 6.840 casos suspeitos de chikungunha, sendo 3.649 confirmados e 1.420 casos descartados.

No mesmo período, Pernambuco notificou 9.852 casos suspeitos de zika em 146 municípios e em Fernando de Noronha. Desses casos, 23 foram confirmados e 171 descartados. Em 2015, desde o início das notificações obrigatórias de zika, em 10 de dezembro, foram notificados 1.386 casos da doença. Ao todo, 46 casos da doença foram confirmados em 20 municípios.

Os exames foram feitos pelo Instituto Evandro Chagas (IEC/SVS/MS) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz – PE/CpqAM).


Imagem de quarto com paredes pintadas com cores claras (Foto: Free Images)

Ter atenção com limpeza da casa e adotar alguns hábitos com tapetes, cortinas e outros objetos podem ajudar a diminuir as crises alérgicas (Foto ilustrativa: Free Images)

Nestes dias de clima incerto, é comum fecharmos as janelas da casa, diminuindo a ventilação no ambiente. Os cômodos ficam mais abafados e, em residências com muitos tapetes e cortinas, terminam sendo um risco para pacientes com alergia, já que se torna mais fácil a proliferação de possíveis alérgenos. Evitar esses transtornos é muito simples, basta adotar alguns costumes. A médica Alexandra Sayuri Watanabe, diretora da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), listou algumas dicas para deixar a casa aconchegante e livre de substâncias prejudiciais a quem convive com alergia.

Leia também:
» Especialista esclarece principais dúvidas sobre a asma
» Asma impacta produtividade de 9 em cada 10 funcionários, aponta pesquisa
» Exercício aeróbio reduz inflamação e sintomas de asma, diz estudo

Confira:

» A limpeza da casa sempre deve ser feita com pano úmido, tanto nos móveis quanto nos assoalhos. Evite usar vassoura ou espanadores de pó para que o ácaro não fique em suspensão. Caso observe paredes úmidas ou presença de mofo dentro de armários, faça a remoção com pano úmido embebido em água misturada com vinagre branco. E afaste, pelo menos, 5 cm os móveis das paredes úmidas;

» Os ácaros estão presentes em colchões, travesseiros, sofás de tecido, tapetes, além de cortinas e objetos que acumulam pó: brinquedos, livros e bichinhos de pelúcia que ficam expostos, sem proteção nas prateleiras. Por isso, é necessário ter cuidado dobrado com a limpeza desses itens;

» Roupas de cama devem ser lavadas semanalmente. Prefira tecidos mais leves nas cortinas, que possam ser retirados com facilidade para lavagem. Opte por edredons em vez de cobertores de pelos;

» A lavagem com água é sempre melhor nestes casos ao invés da lavagem a seco ou mesmo somente exposição dos objetos ao sol. A água retira o ácaro do tecido, já o sol somente mata o ácaro, mas mantém o esqueleto dele e as fezes no local;

» Lave com antecedência casacos e roupas de inverno, pois acumulam muitos ácaros pela falta de utilização durante o ano;

» Para amenizar os sintomas do tempo seco, você pode usar aparelhos umidificadores. A especialista alerta, no entanto, que esses equipamentos só sejam utilizados em dia realmente muito secos. “Caso contrário, ele pode aumentar a proliferação de mofo no ambiente. Ingerir maior quantidade de água e fazer lavagem nasal com soro fisiológico para também hidratar a mucosa nasal são ótimas alternativas”, alerta Alexandra.


Imagem de mulher segurando bebê com microcefalia (Foto: Diego Nigro / JC Imagem)

Estudo mostra que todos os bebês têm múltiplas cicatrizes graves em que o cálcio se depositou, em uma localização preferencial do cérebro: a junção entre a cortical e a substância branca subcortical (Foto: Diego Nigro/JC Imagem)

Caruaru, no Agreste pernambucano, sediará nesta sexta-feira (27) o 1º Encontro de mães e familiares de bebês com microcefalia do Agreste. O evento, realizado pela União de Mães de Anjos (UMA), acontecerá na sede da Estação do Governo Presente Caruaru, a partir das 8h.

Leia também:
» Projeto mapeia resposta imunológica ao zika vírus
» Portal Minha Vida lança aplicativo com informações sobre o Zika vírus
» Estudo revela como o vírus zika mata as células cerebrais

Na programação, orientações sobre o Benefício da Prestação Continuada da Assistência Social (BPC) com a participação da presidente da UMA, Germana Soares, e advogados especialistas em previdência social. As mães receberão apoio psicológico e informações importantes sobre o bem-estar dos filhos que convivem com a malformação congênita. Serviço de cadastro para emissão de Registro Geral (RG) também será oferecido na ocasião.

As mães também participarão de momentos de beleza com limpeza de pele, massagem relaxante, assim como também receberão kits com fraldas descartáveis, lenços umedecidos e higiene pessoal. Qualquer mãe de bebê com microcefalia pode participar do encontro. O evento é promovido em parceria com a Secretaria de Defesa Social (SDS), a Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ) através da Secretaria Executiva de Articulação Social e a Estação do Governo Presente Caruaru.

Campanha

Durante o encontro, das 8h às 16h, a organização da União de Mães de Anjos (UMA) arrecadará donativos para famílias de bebês com microcefalia. Leite, produtos de higiene pessoal, roupas, calçados e carrinhos de bebê são alguns dos itens mais pedidos para a campanha da entidade. A ação segue até o dia 20 de junho. Para saber mais sobre a iniciativa, basta acessar a fanpage da UMA no Facebook.

Serviço

1º Encontro de mães e familiares de bebês com microcefalia do Agreste
Data: sexta, 27 de maio
Horário: a partir das 8h
Local: sede da Estação do Governo Presente Caruaru | Avenida Nossa Senhora de Fátima, 400 (em frente à Praça Chico Porto), Caruaru


Imagem de médica segurando prancheta (Foto: Free Images)

Encontro ministrado por médico especialista em nutrologia e longevidade tirará as dúvidas sobre doenças causadas por mau funcionamento das glândulas adrenais (Foto ilustrativa: Free Images)

A Farmácia Roval realiza neste sábado (28) uma palestra gratuita sobre as glândulas adrenais, responsáveis pela produção de cinco hormônios: a aldosterona, o cortisol, os andrógenos, a adrenalina e a noradrenalina. O encontro será ministrado pelo médico Carlos Bayma, especialista em nutrologia e longevidade.

O evento tirará as dúvidas dos participantes sobre as doenças que podem surgir devido ao mau funcionamento das adrenais, como a fadiga da glândula adrenal. A programação iniciará a partir das 9h e seguirá até as 12h. As inscrições são limitadas.

Serviço

Palestra sobre glândulas adrenais
Data: sábado, 28 de maio
Horário: 9h às 12h
Local: sede da AMCHAM | Empresarial Jopin, s/n, Rua das Oficinas, Pina, Recife
Inscrições e informações: (81) 3427.4084


Imagem de criança sendo vacinada (Foto: Clemilson Campos / Acervo JC Imagem)

Apesar do percentual global no Estado passar dos 80% indicado pelo Ministério da Saúde, dois dos sete grupos prioritários ficaram abaixo do indicado (Foto: Clemilson Campos / Acervo JC Imagem)

Durante a campanha nacional de vacinação contra a influenza em Pernambuco, encerrada na última sexta-feira (20), 1.785.990 pessoas foram imunizadas, número que corresponde a 85% do público-alvo. Apesar do percentual global no Estado passar dos 80% indicado pelo Ministério da Saúde (MS), as taxas atingidas por duas populações prioritárias não passaram da meta: as crianças de 6 meses a menores de 5 anos, com 467.819 pequenos vacinados, (74,41%) e as gestantes (68,69%), com 73.917 grávidas imunizadas.

Leia também:
» Pernambuco confirma 75 casos de H1N1. Sobe para 12 número de mortes pela doença
» Vacinação contra H1N1 e outros vírus da gripe deve ser feita todos os anos
» H1N1: Conheça as idas e vindas do vírus desde a pandemia de 2009
» H1N1: Tire suas dúvidas sobre as complicações respiratórias relacionadas aos vírus da influenza
» H1N1: Confira orientações para prevenção da infecção pelos vírus da influenza

Os números alertam para a importância da imunização contra o H1N1 e outros vírus da gripe nos dois grupos de risco, principalmente entre os pequenos, mais afetados por formas agressivas da doença. “A ênfase da vacinação é para os grupos de maior risco, como crianças, principalmente abaixo dos dois anos, e os idosos. A medida que vamos crescendo, ficamos expostos a vários tipos de vírus. O sistema imune vai amadurecendo com o tempo e o organismo cria um efeito de memória imunológica. Por isso, a importância da imunização na infância. Atingir uma meta alta de vacinação nessa faixa etária é uma forma de proteger essa população”, explica o infectologista Vicente Vaz, do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc).

A imunização também é essencial para as gestantes, já que a vacina, além de evitar possíveis complicações causadas pela doença, protege o bebê. “Antes dos seis meses de vida, o bebê não pode ser imunizado porque não responde bem à vacina e termina sem a proteção adequada. A gestante que toma a vacina não apenas se protege, como também passa a proteção para a criança”, ressalta a coordenadora do Programa Estadual de Imunização da Secretaria Estadual de Saúde (PEI/SES), Ana Catarina de Melo.

Quem ainda não se vacinou, deve procurar a secretaria de saúde de seu município e se informar sobre postos de saúde que ainda têm a vacina. “O Estado repassou aos municípios toda a vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde. As doses restantes não serão recolhidas e os municípios podem continuar vacinando esses grupos”, finaliza Ana Catarina.

Todos os demais grupos prioritários atingiram a meta. São eles: trabalhadores de saúde: 163.112 (109,93%); puérperas: 15.498 (87,61%); indígenas: 31.148 (91,24%) idosos: 769.007 (80,85%); comorbidade: 275.846 (132%).

Gripe x Resfriado

Para o infectologista Vicente Vaz, tão importante quanto vacinar os grupos de risco, principalmente as crianças e os idosos, é ficar atento ao diagnóstico correto de gripe ou resfriado. “Quando o paciente tem uma infecção viral, há uma mobilização no sistema imune que termina abrindo muitas possibilidades de infecções secundárias. A gripe, se não tratada corretamente, pode causar várias complicações, como pneumonia, sinusite e otite. É uma doença potencialmente grave, que sempre merece mais atenção”, alerta.

Por isso, vale ficar atento aos principais sintomas das infecções para conseguir distinguir cada doença. Enquanto o resfriado é uma doença autolimitada – com começo, meio e fim definidos – com sintomas mais brandos, a exemplo da coriza e mal-estar leve, a gripe normalmente vem acompanhada de características mais severas. Entre os principais sintomas estão febre, de dor no corpo, falta de apetite e moleza. “Quando houver sintomas de gripe, a atenção tem que ser redobrada para os grupos de riscos. Uma série de sinais de alerta que são importantes e que, quando aparecem, o médico deve ser consultado”, finaliza o especialista.


medicamentos-600

Misturar bebidas alcoólicas com analgésicos pode causar danos à saúde, como gastrite, taquicardia e problemas no fígado (Foto: Free Images)

Um alerta para aqueles que costumam misturar bebidas alcoólicas com medicamentos analgésicos. Essa combinação perigosa pode causar no organismo efeitos prejudiciais à saúde, como gastrite, taquicardia e problemas no fígado. Segundo o Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (Cisa), organização não governamental atuante no País nos estudos sobre o tema, os analgésicos são campeões de vendas nas farmácias brasileiras e, por vezes, podem causar quadros de dependência por suas substâncias.

Leia também:
» Estudo revela que analgésicos podem aumentar em até 80% risco de arritmia cardíaca
» Conheça os riscos do consumo excessivo de álcool por atletas
» Pesquisa aponta relação entre consumo de álcool e desenvolvimento de câncer
» Jovens têm comportamento de risco depois de ingerir álcool, diz pesquisa

Muitos desses medicamentos são derivados de opioides e só podem ser comprados com prescrição médica. Outros, são compostos por dipirona, cafeína e orfenafrina e estão isentos de receitas. Essa brecha faz com que muitas pessoas exagerem no consumo das medicações.

tabela-alcool-analgesicos-600

Fonte: Harmful Interactions: Mixing Alcohol with Medicines NIAAA – National Institute on Alcohol Abuse and Alcoholism (*a interação de álcool com esta substância é especialmente arriscada para problemas no fígado)

É importante lembrar também que os efeitos do álcool para as mulheres podem oferecer mais riscos, já que a composição corporal feminina possui menos água do que a dos homens. Esse fator faz com que a concentração de álcool no sangue das mulheres alcance níveis mais elevados. Diante do cenário, a recomendação é que o paciente evite a ingestão de álcool quando estiver fazendo tratamento com algum analgésico. Em caso de dúvidas, a sugestão é procurar um médico especialista.


Imagem de Bruna Gabrielly, 19 anos, beijando a filha Anne Beatrys, diagnosticada com microcefalia (Foto: Edmar Melo / JC Imagem)

União de Mães de Anjos, entidade voltada para mães de bebês com microcefalia, realizará evento especial em homenagem ao Dia das Mães (Foto ilustrativa: Edmar Melo / Acervo JC Imagem)

A União de Mães de Anjos (UMA) promoverá no próximo sábado (28) o 4º encontro da entidade para mães de bebês com microcefalia. As atividades, em homenagem ao Dia das Mães, acontecerão no Clube Português, no bairro das Graças, Zona Norte do Recife, das 9h às 18h. Na programação, diversas atividades especiais voltadas para as 296 mães registradas na UMA.

Leia mais:
» Crianças são convocadas a combater o Aedes em vídeo educativo transmitido em canal fechado
» Estudo revela como o vírus zika mata as células cerebrais
» Dengue: Uma luta de 30 anos
» Estudo da Rede Zika comprova relação causal entre vírus e microcefalia

Durante a manhã, a organização do evento oferecerá diversas ações sociais, como serviço de retirada do Registro Geral (RG). Ao meio-dia, haverá intervalo para o almoço completo oferecido pela UMA. No período da tarde, período para interação entre as mães e momento especial para elas, já que a marca de cosméticos Mary Kay estará na festa com serviço de estética para as participantes.

O dia terminará com distribuição dos donativos. arrecadados durante a campanha anterior, para as mães da união. O evento é restrito às participantes registradas na entidade.

Campanha

A União de Mães de Anjos (UMA) está arrecadando donativos para famílias de bebês com microcefalia. Leite, produtos de higiene pessoal, roupas, calçados e carrinhos de bebê são alguns dos itens mais pedidos. A campanha segue até o dia 20 de junho. Para saber os pontos de entrega das doações, basta acessar a fanpage da UMA no Facebook.


Imagem do logo da campanha Saúde não é Comércio (Imagem: Divulgação)

Seminário faz parte de comemoração de 23 anos de atuação da ONG Gestos (Imagem: Divulgação)

A ONG Gestos – Soropositividade, Comunicação e Gênero realizará na próxima sexta-feira (27), a partir das 17h, o seminário ‘Saúde não é Comércio’, com abordagem direcionada aos aspectos que regem atualmente as relações de saúde e a indústria farmacêutica no País. O evento faz parte das comemorações em referência aos 23 anos de atuação da ONG na defesa e promoção dos direitos sexuais, reprodutivos e promoção de políticas que promovam a melhoria das condições social, política e econômica das pessoas.

Participarão do debate o psicólogo Alexandre Magno, membro do Fórum Articulação Aids Pernambuco e conselheiro estadual dos Direitos da População LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), e a médica epidemiologista Ana Brito. Questões como direitos, interesses comerciais, lobby, fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS) e a relação entre os políticos e os financiadores de campanha estarão na pauta do seminário.

A programação na ONG começará às 16h, com apresentações e bazar para os participantes. Confira as atividades:

16h – DJ VirguLINUX (www.iteia.org.br/virgulinux)

17h – Debate Saúde não é Comércio

19h – Palco aberto (poesias cordéis, músicas, críticas, recados e desabafos)

20h – Apresentação de El Negro

Serviço

Aniversário de 23 anos da Gestos – Soropositividade, Comunicação e Gênero | Seminário ‘Saúde não é Comércio’
Data: 27 de maio (sexta), das 16h às 22h
Local: sede da Gestos | Rua dos Médicis, 68, Boa Vista, Recife


Reprodução de vídeo transmitido no canal Cartoon Network (Foto: Reprodução do vídeo)

Ação feita em parceria com o Ministério da Saúde convoca crianças a serem super-heróis na luta contra o Aedes aegpyti, transmissor da dengue, chicungunha e zika (Foto: Reprodução do vídeo)

A conscientização sobre os danos que o Aedes aegypti, transmissor da dengue, chicungunha e zika, precisa atingir todas as faixas etárias, inclusive a dos pequenos. Por isso, o Ministério da Saúde (MS) lançou, em parceria com o canal Cartoon Network América Latina, uma ação educativa para conscientizar as crianças sobre o mosquito. No vídeo transmitido no canal voltado ao público infantil, as crianças são convocadas por personagens conhecidos a serem super-heróis na luta contra o Aedes.

A campanha conta com a presença de vários personagens de sucesso no canal como as meninas superpoderosas e Ben 10. Eles informam e convidam as crianças a participarem do combate ao Zika, eliminando os focos do mosquito. Dentre as informações repassadas para as crianças, estão sugestão de uso de calças e blusas de manga comprida, sempre que possível, e o uso de repelentes recomendados pelas autoridades sanitárias de acordo com as instruções do produto. As crianças são orientadas a sempre que tirarem uma soneca durante o dia, proteger-se com mosquiteiros, e pedindo aos seus pais ou outros adultos para instalarem telas de proteção em portas e janelas. Confira o vídeo:

Os pequenos também são convidados a acessar as “instruções da missão’, uma cartilha elaborada pelo MS e disponível online no site do Cartoon Network. Nos próximos dois meses, a campanha irá ao ar em todos os países da América Latina. “O projeto é importante para a mobilização da sociedade contra o Aedes aegypti, a partir da conscientização das crianças. De forma lúdica, a campanha permite engajar as crianças e, consequentemente, quem vive com elas para o combate ao mosquito. Vale lembrar que as crianças multiplicam o conhecimento entre os familiares, promovendo uma mudança de comportamento dentro de casa”, afirma o diretor de Comunicação Social do Ministério da Saúde, Walter Nunes de Vasconcelos Junior.

A iniciativa é uma colaboração entre o Cartoon Network América Latina, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). O Cartoon Network América Latina é um canal 24 horas da TV paga que exibe personagens em séries de desenhos animados, filmes e vídeo games, sendo transmitido a mais de 60 milhões de domicílios em espanhol, português e inglês.


 
Todas as informações apresentadas neste blog estão disponíveis com objetivo exclusivamente educacional. Dessa maneira, nosso conteúdo não pretende substituir consultas médicas, realização de exames e tratamentos médicos. Sempre que tiver uma dúvida, não deixe de conversar com o seu médico, que é o profissional mais adequado para esclarecer todas as suas perguntas. E nunca se esqueça de que o direito à informação correta é essencial para a prevenção e o sucesso do tratamento. E mais: o conteúdo editorial do Casa Saudável não apresenta relações comerciais com possíveis anunciantes e patrocinadores do blog.
© Copyright 2015. NE10 - Recife - PE - Brasil.
-->