Ir para o conteúdo

Blog – Casa Saudável

Pessoas que convivem com epidermólise bolhosa ganham associação de apoio

6 de março de 2015 | postado por Cinthya Leite
Entidade tem como objetivo ajudar pacientes, familiares e voluntários (Foto: Divulgação)

Entidade tem como objetivo ajudar pacientes, familiares e voluntários (Foto: Divulgação)

A epidermólise bolhosa, doença genética rara caracterizada por grande sensibilidade da pele, foi bem divulgada a nível nacional em 2013, quando a família da coreógrafa Deborah Colker enfrentou transtornos para embarcar em um voo porque seu neto tem a doença. A aeronave só decolou depois que um médico da Infraero atestou que a doença não é contagiosa.

Para conscientizar a população e apoiar pessoas que convivem com a enfermidade, será lançada oficialmente hoje, às 9h, no Auditório de Dermatologia do Hospital das Clinicas da Universidade Federal de Pernambuco (HC/UFPE), a Associação de Epidermólise Bolhosa de Pernambuco.

Devido à falta de adesão entre as células da epiderme, qualquer traumatismo (mesmo que leve) pode levar à formação de bolhas e ao descolamento da pele em quem tem a doença. Especialistas afirmam que os pacientes sofrem forte preconceito devido à aparência das feridas.

“As crianças sofrem muito, tem dificuldade para lidar com a situação, vivenciam bullying nas escolas, não conseguem andar de ônibus ou frequentar piscinas públicas. É muito triste”, diz a presidente da Associação de Epidermólise Bolhosa de Pernambuco, Fatima Correia, que tem duas filhas com a doença: Luciana Correia e Renata Correia.

A entidade chega em Pernambuco para unir pacientes, familiares e voluntários dispostos a ajudar e fazer um futuro melhor para os pacientes com epidermólise bolhosa. “Sabemos que a doença ainda não tem cura, mas muitos estudos estão sendo realizados. Bons resultados das pesquisas vão aparecendo até que alguma forma de tratamento seja eficaz”, afirma Fátima.

A associação pretende cadastrar todos os pacientes no Estado e ainda disponibilizar uma equipe de saúde e apoio.


Rosa Arcuri é médica hematologista (Foto: Renato Filho/Divulgação)

Rosa Arcuri é médica hematologista (Foto: Renato Filho/Divulgação)

Fui paciente da hematologista Rosa Arcuri, da clínica Multihemo, no Recife, durante toda a gestação e pós-parto, quando precisei me cercar de cuidados por causa da trombofilia – uma condição que favorece o desenvolvimento de trombose ou outras alterações em qualquer período da vida, especialmente na gravidez, parto e pós-parto.

Graças a ela, essa fase foi muito tranquila, sem complicações. Portanto, fiquei imensamente feliz por ela ser homenageada na noite de hoje (5/3) na categoria medicina e saúde da edição deste ano do Prêmio Tacaruna Mulher.

Para a médica, a premiação louva o trabalho que ela tem abraçado há mais de três décadas como médica. “Foi uma grande honra ser lembrada nessa categoria. Trabalhamos duro para o bem-estar de cada paciente e vemos a evolução clínica de cada pessoa como a nossa evolução também”, diz Rosa, que vê o atendimento humanizado como a garantia de satisfação dos pacientes e como ponto de criação de um vínculo em situações geralmente delicadas e sensíveis.

“Quando criamos laços éticos com nosso paciente, escutamos, somos cordiais e olhamos nos olhos da pessoa, conseguimos ter boas experiências e mostrar como é importante determinado procedimento para o futuro”, acredita a médica. “Essa homenagem diz que nossa prática está no caminho certo e nos motiva.”

Formada em medicina em 1977, pela Universidade de Pernambuco, Rosa Arcuri tem residência e pós-graduação em hematologia, já foi dirigente em diversas palestras sobre a especialidade, além de ser uma das fundadoras da Multihemo, clínica com especialidade em oncologia, hematologia e hemoterapia.


Mulheres não podem deixar de lado exames periódicos das mamas (Foto: Divulgação)

Mulheres não devem deixar de lado exames periódicos das mamas (Foto: Divulgação)

A Secretaria de Saúde do Recife inicia, neste sábado (7/3), um mutirão para diminuir as filas de espera para a realização ultrassonografia (USG) obstétrica e mamária. Os exames serão feitos na Policlínica Lessa de Andrade, no bairro da Madalena, Zona Oeste do Recife, especificamente para as mulheres que estão com exames marcados nas unidades de saúde do Recife através do Sistema de Regulação (Sisreg). Os agendamentos serão comunicados via SMS e telefone.

Serão ofertadas 25 ultrassonografias no turno da manhã para gestantes, das 8h às 12h, e mais 25 no turno da tarde, das 14h às 16h. Durante a semana, também serão ofertados mais 20 exames, seguindo o mesmo critério de agendamento. Toda ação seguirá até o dia 30 de maio para mulheres em diferentes idades gestacionais, com o objetivo de diagnosticar as condições de saúde da mãe ou do bebê nesse período, bem como a prevenção de doenças mamárias.

A secretária Executiva de Regulação, Fernanda Casado, ressalta a importância do cancelamento do agendamento, caso a paciente não possa comparecer, através do telefone (81 3355-7400), das 7h às 18h, de segunda a sexta. “Lembramos que, quando a usuária não comparece e não avisa, impede que outra pessoa possa fazer o exame”, destaca Fernanda.


Dica do bem: Incremente o cardápio com frutas secas

5 de março de 2015 | postado por Cinthya Leite

Damasco é uma opção de fruta seca para o lanche (Foto: Alexandre Severo/Acervo JC Imagem)

Damasco é uma opção de fruta seca para o lanche (Foto: Alexandre Severo/Acervo JC Imagem)

Frutas secas como damasco, uva-passa, ameixa seca, figo e tâmara dão um gostinho e um toque especiais às refeições, como também oferecem benefícios para a nossa saúde. As mesmas propriedades são oferecidas pelos frutos secos oleaginosos, como amêndoas, castanhas-do-pará, castanha de caju e nozes.

“As frutas secas passam por um processo em que são retirados cerca de 80% de água. Dessa maneira, nutrientes como fibras se mantêm concentrados. Por outro lado, é preciso ficarmos atentos às calorias e não exagerar nas porções”, diz a nutricionista Bárbara Portela, da rede hortifrúti Frutaria, que tem lojas nos bairros de Boa Viagem e do Espinheiro, no Recife.

Ela informa que, em 100 gramas de damasco desidratado, por exemplo, pode ter mais calorias do que na mesma quantidade do alimento in natura. “Por outro lado, a fruta seca pode ter mais fibra do que a in natura, o que é uma opção para quem tem constipação intestinal. Como nas frutas desidratadas é retirada a água, é preciso associar o consumo delas a um aumento na ingestão de líquidos para controlar a prisão de ventre”, explica Bárbara.

Castanha-do-pará é uma ótima fonte de selênio (Foto: Alexandre Severo/Acervo JC Imagem)

Castanha-do-pará é uma ótima fonte de selênio (Foto: Alexandre Severo/Acervo JC Imagem)

Também vale adicionar as oleaginosas ao nosso cardápio diário. Elas podem ser colocadas nos lanches ou saladas. Elas são fontes de minerais, vitaminas, fibras e gorduras saudáveis. Como o próprio nome diz, são ricas em óleo, além de gorduras poli-insaturadas e monoinsaturadas, que auxiliam na prevenção de doenças cardiovasculares. A castanha-do-pará, por exemplo, é uma ótima fonte de selênio, que funciona como antioxidante porque protege nosso organismo dos radicais livres. A dica é consumir de uma a duas por dia.


Metade dos brasileiros não vai ao oftalmologista anualmente, diz pesquisa

5 de março de 2015 | postado por Cinthya Leite
olho

Entre os entrevistados, 64% têm alguma dificuldade de enxergar (Foto: Free Images)

Quando o assunto é saúde ocular, os brasileiros fazem vista grossa para a prevenção, apesar de 77% afirmarem que a visão é um sentido muito importante. É o que mostra pesquisa online coordenada pelo oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, em Campinas (SP). Desenvolvida de 13 de janeiro a 12 de fevereiro deste ano, contou com a adesão de 814 pessoas, entre 25 e 65 anos.

A pesquisa revela que metade dos entrevistados não faz acompanhamento oftalmológico anualmente, embora 64% tenham alguma dificuldade de enxergar. Para Leôncio Queiroz Neto, a falta de acompanhamento está relacionada ao fato de 47% acreditarem que os problemas de visão são percebidos logo que aparecem.

O especialista ressalta que, no início, a maioria das doenças oculares passam despercebidas, com de conjuntivite, terçol ou inflamação da córnea.

O estudo também mostra que 35% dos brasileiros guardam colírio como se fosse medicamento oral para ser compartilhado com alguém da família. Isso é um erro colírio é igual à escova de dente: não pode ser compartilhado. Depois de aberto, perde-se a validade em 30 dias.


Proteste reprova oito antitranspirantes, que não reduzem sudorese

5 de março de 2015 | postado por Cinthya Leite
Das marcas avaliadas pela Proteste, nenhuma atinge redução mínima de 20% na sudorese (Foto: Proteste/Divulgação)

Das marcas avaliadas pela Proteste, nenhuma atinge redução mínima de 20% na sudorese (Foto: Proteste/Divulgação)

A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste) realizou um teste com oito aerossóis antitranspirantes e percebeu que os produtos analisados não cumprem totalmente o seu papel. De todas as marcas avaliadas, nenhuma atinge a redução mínima de 20% na sudorese – algumas não chegam nem perto disso. Por outro lado, os produtos testados conseguem afastar o mau odor da região.

É importante destacar que os termos antitranspirante e desodorante são geralmente usados sem distinção, o que pode causar confusão. Os antitranspirantes inibem a atividade das glândulas sudoríparas, que passam a produzir menos suor. E os desodorantes contêm apenas agentes antibacterianos, que evitam o odor do corpo sem controlar o suor. Um mesmo produto, vale salientar, pode ser antitranspirante e desodorante.

No teste em uso, cada produto foi avaliado por 30 mulheres (para os femininos) e 30 homens (para os masculinos). Eles avaliaram, entre outros itens, a facilidade de uso e a não irritabilidade da pele.

Clique aqui e confira como os produtos foram avaliados.


Fita verde é o símbolo de apoio à doação de órgãos

Fita verde é o símbolo de apoio à doação de órgãos

A Central de Transplantes de Pernambuco e a Defensoria Pública de Pernambuco conseguiram autorização, por via administrativa, para que uma paciente com morte encefálica pudesse realizar a doação de órgãos. A mulher não possuía parente até segundo grau disponível para comparecer ao hospital para efetivar o ato. Por isso, chegou-se à medida administrativa.

Essa é a segunda doação realizada a partir da assinatura do termo de cooperação assinado pela Secretaria de Saúde de Pernambuco e a Defensoria, no segundo semestre de 2014. O caso ocorreu na última terça-feira (3/3).

A doadora foi uma jovem de 18 anos, vítima de acidente de trânsito, que veio a óbito no Hospital de Trauma, em Petrolina, no Sertão pernambucano. Ela conseguiu doar o coração, fígado e os dois rins. Uma equipe captadora foi de táxi aéreo buscar órgãos para trazê-los ao Recife. Todos já foram transplantados e os receptores passam bem.

“Em caso de não parentes ou familiares que não conseguem comprovar parentesco, ou mesmo quando o parentesco é acima do segundo grau, a doação só pode ser feita por meio da atuação dos órgãos competentes para legitimar o ato”, diz a coordenadora da Central de Transplantes em Pernambuco (CT-PE), Noemy Gomes.

O mesmo ocorre quando não há documento oficial com foto do doador. São nessas situações que a assessoria jurídica dará todo o suporte necessário de forma gratuita. “Sabe-se que o tempo é fator primordial e indispensável para que a doação seja bem sucedida. Esse apoio é muito importante para salvar vidas”, acrescenta Noemy.

PRIMEIRO CASO

A primeira doação feita após a assinatura do termo de cooperação entre a Secretaria de Saúde de Pernambuco, a Defensoria Pública de Pernambuco e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) ocorreu em setembro de 2014. O paciente, um homem de 49 anos, vítima de um acidente cerebral hemorrágico, faleceu no Hospital Pelópidas Silveira, no Curado (Zona Oeste do Recife), onde estava sendo assistido.

Apesar de a família concordar com a doação dos órgãos, a intervenção da Defensoria foi essencial porque o paciente não possuía documento oficial com foto. O homem doou o fígado, os dois rins e as duas córneas.

FILA DE ESPERA

Atualmente, 1.270 pessoas aguardam a doação de um órgão. A maior fila é de rim, com 1.051 pessoas. Ainda há 14 que esperam por um coração, 83 por fígado, 1 por rim-pâncreas, 26 por medula óssea e 94 por córnea.


Notificações de casos de dengue aumentam 150% em Pernambuco

4 de março de 2015 | postado por Cinthya Leite
Desde novembro de 2014, Pernambuco vem se mobilizando para combater os casos de dengue (Foto: Free Images)

Desde novembro de 2014, Pernambuco vem se mobilizando para combater os casos de dengue (Foto: Free Images)

O Estado de Pernambuco está em alerta para o aumento das notificações de casos de dengue neste início de ano, que vem apresentando períodos de sol intercalados com chuvas, clima propício para a proliferação das larvas e do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue e da febre chicungunha. Entre os dias 4 de janeiro e 21 de fevereiro, foram notificados 3.571 casos da doença (481 confirmações) em 115 municípios, um crescimento de 150,60% em relação ao mesmo período de 2014, quando foram notificados 1.425 casos (431 confirmados). Em relação aos óbitos, quatro suspeitos estão em investigação, contra 15 suspeitos (12 confirmados) em 2014, uma redução de 73%.

Em relação à febre chicungunha, Pernambuco não registrou nenhum caso autóctone. Em 2014, foram quatro confirmações, todas importadas. Em 2015, dos 48 casos suspeitos, 39 já foram descartados e 9 estão sob investigação. Entre os descartados, 14 deram positivo para dengue.

“O Estado ainda não está em situação epidêmica. Contudo, temos que agir mais enfaticamente neste momento para evitar que os números cresçam ainda mais. Para isso, a população precisa ficar vigilante e agir como peça essencial nesse panorama, já que cerca de 90% dos focos do mosquito transmissor da doença estão nas residências ou no seu entorno. Os pernambucanos precisam eliminar esses focos do vetor e, principalmente, evitar que eles apareçam”, frisa a coordenadora do Programa de Controle da Dengue e Febre Chicungunha, Claudenice Pontes.

Desde o mês de novembro de 2014, quando foi lançado o Plano de Contingência da Chicungunha e da Dengue 2015, que a Secretaria Estadual de Saúde (SES) vem se mobilizando para combater os casos de dengue em Pernambuco. Na área da assistência, estão sendo capacitados médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), hospitais de grande porte, policlínicas, postos de saúde e profissionais da Estratégia Saúde da Família.

“As UPAs e postos de saúde estão sendo responsáveis por realizar o primeiro atendimento e encaminhar o paciente para a unidade que tenha o perfil adequado para a necessidade dele. Por isso, é muito importante que os profissionais que atuam nesse âmbito estejam aptos a realizarem o diagnóstico correto, otimizando, assim, a assistência”, afirma Claudenice.

Em casos de suspeita de dengue, a coordenadora indica procurar imediatamente uma unidade de saúde. “Neste momento, alguns pacientes têm apresentado menor tempo e intensidade de febre, enquanto que as coceiras e manchas vermelhas na pele têm ocorrido em maior proporção. Por isso, os médicos precisam pedir o exame de sangue para confirmar a doença e manter os pacientes hidratados, para evitar as formas com agravamento, que podem levar a óbito”, frisa a coordenadora.

Para a área de vigilância, o Estado está realizando a distribuição dos insumos (larvicida) para os municípios fazerem o bloqueio de casos. “Estamos a postos para auxiliar as cidades que precisarem de treinamento para bloqueio de casos ou para seus profissionais de saúde”. A SES ainda faz o controle químico por meio de pulverização em apoio ao município.


Suplementação nutricional em creches deve reduzir em 40% casos de anemia

4 de março de 2015 | postado por Cinthya Leite
A fortificação não altera o sabor da comida servida na creche. Ela apenas complementa a alimentação diária (Foto: Heudes Regis/JC Imagem)

A fortificação não altera o sabor da comida servida na creche. Ela apenas complementa a alimentação diária (Foto: Heudes Regis/JC Imagem)

No Brasil, estima-se que uma em cada cinco crianças menores de cinco anos apresentem anemia, que é mais frequente em menores de dois anos. Com o objetivo de prevenir essa condição e controlar carências nutricionais na infância, o Ministério da Saúde lançou o NutriSUS, estratégia que distribuirá 734 mil sachês de vitaminas e minerais para fortificar a alimentação ofertada em 394 creches no Estado de Pernambuco. A iniciativa beneficia mais de 12 mil crianças de 112 municípios do Estado.

O Ministério da Saúde investiu R$ 7,5 milhões na ação, que atenderá mais de 330 mil crianças de 6.864 creches em 1.717 municípios por todo o Brasil.

De acordo com o Estudo Nacional de Fortificação da Alimentação Complementar, realizado pelo Ministério da Saúde em parceria com a Universidade de São Paulo (USP), a suplementação reduz em 38% os casos de anemia e em 20% a deficiência de ferro após o uso do sachê em pó. A participação no programa é voluntária e depende do interesse do gestor municipal em aderir à iniciativa.

“Para garantir o pleno desenvolvimento na infância é fundamental fazer uma complementação com micronutrientes que permita o enfrentamento não só da mortalidade, mas também das infecções, desnutrição e obesidade. Por isso, é um grande desafio garantir uma alimentação saudável e fortificada para as nossas crianças”, avaliou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

A estratégia já funciona como projeto piloto em 470 creches de 151 municípios do Brasil e beneficia mais de 29 mil crianças. A falta de micronutrientes nos primeiros anos de vida pode prejudicar o desenvolvimento, causar doenças infecciosas e respiratórias, levar à desnutrição e ate à morte, sobretudo nas populações com menor renda, que tem menos acesso à alimentação balanceada. Uma alimentação equilibrada é um dos fatores para garantir o crescimento e desenvolvimento saudável.

O sachê que será entregue para as creches é composto de 15 micronutrientes e é facilmente administrado, devendo ser adicionado uma vez ao dia em uma das refeições oferecidas à criança. O suplemento não altera o sabor do alimento, o que evita rejeição, é de fácil absorção pelo organismo e não causa irritação gástrica. O consumo do sachê deve ser feito durante 60 dias e ter uma pausa por quatro meses. O ciclo deverá se repetir até a criança completar 3 anos e 11 meses.

“Não estamos substituindo a merenda escolar de maneira alguma. A fortificação não altera o sabor da comida servida na creche. Ela apenas complementa a alimentação diária”, esclareceu o ministro.


Dica do bem: Musculação é um grande aliado de quem deseja emagrecer

4 de março de 2015 | postado por Malu Silveira
musculação-600

Musculação é importante aliado na perda de gordura corporal, explica especialista (Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem)

Ao contrário do que muitos pensam, musculação ajuda a emagrecer. A dica do bem de hoje é para desmistificar alguns pontos sobre o assunto. “Podemos destacar que a musculação é o exercício mais seguro que existe”, explica o profissional de educação física Manoel Costa, doutor em ciências do esporte.

Devemos entender que a perda de peso significa eliminar gordura corporal, e não meramente o peso corporal – aquele que vemos na balança. “Existem pessoas pesadas que são magras, como também há pessoas leves que são gordas. Peso não é o fator preponderante. O importante é a proporção de massa magra e massa gorda”, esclarece Costa.

Nesse sentido, a musculação é um importante aliado na redução de gordura corporal. “Temos duas formas de controlar a proporção de gordura corporal: uma é reduzindo a quantidade de gordura através da dieta e exercícios. Outra, mais eficiente ainda, é aumentando a massa magra. A musculação ajuda nisso”, defende.

REPOUSO

E mais: sabia que não emagrecemos apenas durante o exercício? “O gasto calórico no tempo de exercício é muito curto. A gente não emagrece enquanto faz exercício, e sim nos intervalos. Quanto mais massa magra você adquire, maior o gasto calórico em repouso”, explica Manoel Costa.

Ao fazer musculação, ganhamos massa magra. “A musculação acelera esse metabolismo de repouso. Enquanto repousamos, gastamos gordura corporal. O segredo é este: fazer com que a gente gaste o metabolismo de repouso, o momento em que estamos prioritariamente gastando gordura como fonte de energia”, conclui o especialista.


 
Todas as informações apresentadas neste blog estão disponíveis com objetivo exclusivamente educacional. Dessa maneira, nosso conteúdo não pretende substituir consultas médicas, realização de exames e tratamentos médicos. Sempre que tiver uma dúvida, não deixe de conversar com o seu médico, que é o profissional mais adequado para esclarecer todas as suas perguntas. E nunca se esqueça de que o direito à informação correta é essencial para a prevenção e o sucesso do tratamento. E mais: o conteúdo editorial do Casa Saudável não apresenta relações comerciais com possíveis anunciantes e patrocinadores do blog.
© Copyright 2015. NE10 - Recife - PE - Brasil.